Nome do Projeto
Influência do fornecimento mineral com metionina protegida sobre o desempenho reprodutivo e o estresse térmico em novilhas e vacas de corte
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2020 - 01/07/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
O presente projeto possui aderência ao setor de biotecnologia da área de Tecnologia Habilitadora, ao setor de agronegócio da área de Tecnologia de Produção e ao setor de saúde da área de Tecnologia para Qualidade de Vida definidas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Para confirmar a importância dos minerais e aminoácidos nos processos fisiológicos das funções reprodutivas em bovinos de corte ainda existem poucos trabalhos de pesquisa sobre o assunto . Devido a isso, pretende –se avaliar o efeito da suplementação com metionina protegida sobre o desempenho reprodutivo de novilhas e vacas com cria ao pé submetidas a um protocolo de IATF, comparando o índice de prenhez aos 30 e 60 dias após A IATF e ao final do entoure, além de quantificar possíveis perdas gestacionais em idade precoce.Também avaliar os efeitos da suplementação de metionina protegida sobre as taxas de sobrevivência embrionária no terço inicial da gestação, correlacionando com os efeitos do estresse térmico (T.H.I) neste período crítico do desenvolvimento embrionário. Confirmando a importância dos minerais e aminoácidos nos processos fisiológicos da prenhez em ruminantes (gado leiteiro), estudos que confirmem estas relações em bovinos de corte ainda precisam ser desenvolvidos.

Objetivo Geral

Avaliar a resposta reprodutiva de novilhas e vacas com cria ao pé suplementadas com um sal mineral comercial adicionada a metionina protegida durante a estação reprodutiva.

Justificativa

De acordo com as prioridades definidas no âmbito do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), no que se refere a projetos de pesquisa, de desenvolvimento de tecnologias e inovações, o presente projeto possui aderência ao setor de biotecnologia da área de Tecnologia Habilitadora, ao setor de agronegócio da área de Tecnologia de Produção e ao setor de saúde da área de Tecnologia para Qualidade de Vida definidas pelo MCTIC, atendendo as solicitações da Portaria MCTIC nº 1.122, de 19.03.2020 que visam: I- contribuir para a alavancagem em setores com maiores potencialidades para a aceleração do desenvolvimento econômico e social do país; II - promover o alinhamento institucional de todos órgãos que integram a estrutura organizacional do MCTIC, com intuito de obter sinergia entre eles para melhorar a alocação de recursos orçamentários e financeiros, humanos, de logística e de infraestrutura e III - racionalizar o uso dos recursos orçamentários e financeiros, conforme a programação inicial do PPA 2020-2023.

Metodologia

Instalações e Animais O experimento será conduzido na Estação Experimental Amaricá (Fazenda Experimental Brasão do Pampa Suplementos), localizada no município de São Gabriel, região da Campanha do Rio Grande do Sul. O clima da região, segundo a classificação de Köppen (Moreno, 1991) é do tipo subtropical úmido, com chuvas distribuídas durante o ano, podendo ocorrer, ocasionalmente, períodos de estiagem nos meses de janeiro e fevereiro. O solo é luvisolo crômico órtico típico (Streck et al., 1999). Os animais utilizados serão novilhas de corte, com 24 meses de idade, raça Brangus, provenientes do rebanho comercial disponibilizado pela empresa.Serão avaliadas 36 novilhas homogêneas previamente selecionadas conforme raça, idade, peso, ECC, soronegativas frente ao Herpesvírus Bovino e livres de infecção persistente pelo Vírus da Diarreia Viral Bovina (BVDV). No final de outubro será feita uma pesagem, identificação de ECC e os animais serão divididos nos grupos de acordo com seus peso e ECC ( com suplementação e sem suplementação) e encaminhados para seus respectivos potreiros.Também será feito um exame ginecológico, através de ultra-sonografia nos animais para retirar alguma prenhez indesejada e animais que não estivessem aptos para a reprodução . Nesse momento também se fará uma coleta do sangue para avaliação dos níveis de metionina no dia 0 da suplementação ( uma amostra dos dois grupos). Os animais serão alocados em 2 potreiros, com área e cobertura vegetal semelhantes. Passarão por um período de adaptação ao consumo do mineral e após 30 dias de adaptação, será colocado osal mineral + metionina protegida no cocho do grupo suplementado. O consumo é feito ad libitum, em cochos de madeira protegidos da chuva. Inseminação Artificial Após 30 dias de suplementação será realizada a sincronização de cio para a IATF. Antes da colocação do implante de progesterona as novilhas passarão por outro um exame ginecológico, onde será medido o tamanho dos fólicos e presença ou não de corpo lúteo e coleta de sangue para dosar progesterona. O protocolo de sincronização de cio a ser utilizado será o seguinte: D0 implante de progesterona 2 mL de Benzoato de Estradiol; D8 retirada dos implantes e aplicação de 2 mL de Prostaglandina F2α ; D9 aplicação de 1mL Benzoato de Estradiol ; Inseminação artificial 54h horas após a retirada dos implantes.
Em 20 animais, (10 de cada grupo) junto com os implantes de progesterona, será colocado um termômetro para aferição da temperatura interna (T+Button® Thermodata) que permanecerá durante 8 dias, marcando a temperatura interna de 30/30 minutos. No momento da retirada dos implantes será feita novamente a avaliação dos ovários, se apresentavam folículos e de que tamanho e em qual dos ovários. Isso será feito com auxilio de um ultrasom DP200 Mindray com sonda de 5,4 Hz. Também será feita a aferição da temperatura interna com auxilio de um termômetro digital. No D 9 se faz a mesma avaliação nos ovários e a aferição da temperatura interna com a utilização de um termômetro digital. No D10 pela manhã se realizará novamente estes procedimento e a tarde a partir das 14:00 inicia-se a inseminação artificial das novilhas. Todas as novilhas serão inseminadas com o sêmen de um mesmo touro, já previamente analisado quanto as suas características físicas e morfológicas. O sêmen será descongelado em água a 37°C por 30 segundos com ajuda de um descongelador automático marca Duboi®. Sendo colocadas 3 palhetas de cada vez dentro do descongelador. Decorridos 17 dias após a inseminação artificial, será iniciada a observação do retorno de cio dos 2 lotes, durante o período de 7 dias. Os animais observados em cio pela manhã, serão inseminados no período da tarde e vice versa. Após findando este período serão colocados os touros no rebanho também. Diagnósticos de gestação No D30 será feito o diagnóstico de gestação através de ultra-sonografia, para identificar o índice de prenhez da inseminação em tempo fixo. Esse mesmo diagnóstico será feito no D 60, para identificar o índice de prenhez do retorno de cio. Também será calculado o índice de perdas embrionárias através deste exame. Trinta dias após a retirada dos touros do rebanho será feito o último exame de diagnóstico de gestação para identificar o índice geral de prenhez do rebanho (inseminação + retorno de cio + repasse com touros) e quantificar as perdas gestacionais. Análise da oferta forragem Durante o período que durar o experimento será feito uma dupla amostragem mensal em cada um dos potreiros para permitir uma avaliação da oferta forrageira, disponível para os animais e também será coletada uma amostra para exame de bromatologia deste campo nativo. Coletas de sangue Serão realizadas 2 coletas de sangue, de uma amostra dos animais para dosagem de metionina. A primeira no dia que vai ser iniciada a suplementação e a segunda no dia do diagnóstico de gestação de 60 dias.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se a partir dos resultados gerados pelo trabalho, o desenvolvimento de um novo produto, capaz de promover um aumento no % de prenhez dos rebanhos. Além disso, do ponto de vista científco, é esperado a publicação dos resultados obtidos em pelo menos, dois artigos em revistas
científicas com importante fator de impacto na área de atuação, assim como o treinamento e capacitação de alunos de graduação e pós-graduaçãoenvolvidos no trabalho.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE DALLA COSTA DE MATOS
ANDREZA EBERSOL DOS ANJOS
ANTÔNIO AMARAL BARBOSA
CAROLAINE GARCIA DE MATTOS
CASSIO CASSAL BRAUNER2
CRISTIAN CAIO COFFERRI
CRISTIANE AMANDA DE OLIVEIRA
DIANE RAMIRES DAS NEVES
EDUARDO SCHMITT2
ELIZA ROSSI KOMNINOU2
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO2
JOSIANE DE OLIVEIRA FEIJÓ
JULIANO PERES PRIETSCH
KAREN CRUZ FREITAS
LUDGERO REHERMANN LOUREIRO DA SILVA
MARCIO NUNES CORREA2
MATHEUS WREGE MEIRELES BARBOSA
MILENE LOPES DOS SANTOS
MURYLLO BOTELHO MEDEIROS
NATÁLIA MACHADO RAHAL
RUTIELE SILVEIRA
THAÍS CASARIN DA SILVA
URIEL SECCO LONDERO
VIVIANE ROHRIG RABASSA2

Página gerada em 25/10/2020 02:40:40 (consulta levou 0.132714s)