Nome do Projeto
Arqueologia das Epidemias
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/06/2020 - 28/09/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Cultura
Linha de Extensão
Divulgação científica e tecnológica
Resumo
No ensejo do isolamento social provocados pela pandemia do novo coronavírus que causa COVID-19, o projeto se coloca como uma alternativa de difusão do conhecimento sobre como diferentes povos e populações lidaram e/ou lidam com diferentes epidemias e/ou pandemias atualmente e ao longo da história. Por meio da investigação de leituras dirigidas, examinaremos as evidências materiais das tecnologias médicas e tecnologias não ocidentais, do comportamento humano e das relações entre as pessoas e seus ambientes durante as epidemias passadas e presentes. Ao passo em que os dados colhidos e as interpretações realizadas, os discentes serão instigados a produzir conteúdos de caráter científico para serem compartilhados em redes sociais.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste projeto é difundir o conhecimento sobre como diferentes povos e populações lidaram e/ou lidam com diferentes epidemias e/ou pandemias atualmente e ao longo da história. A partir do objetivo geral desdobram-se os seguintes objetivos específicos:
• Investigar e analisar paisagens, ambientes construídos, todo tipo de tecnologias, artefatos e traços materiais da experiência humana passada em epidemias, a partir de disciplinas optativas e grupos de estudo sobre o tema.
• Compartilhar os conhecimentos apreendidos com a investigação a partir da realização de webnários, e alimentação de página própria em redes sociais.
• Retroalimentar o compartilhamento de informações a partir do feedback dos seguidores das redes sociais.

Justificativa

No ensejo da pandemia do novo coronavírus que causa COVID-19, o projeto se coloca como uma alternativa de compartilhamento de informações com embasamento cientifico em redes sociais, fazendo reflexões sobre práticas e comportamentos passados e atuais frente a situação que estamos vivenciando. É notoriamente sabido que atualmente vivemos um momento de negação da ciência no Brasil e este projeto se coloca como mais um instrumento de difusão e debates sobre o conhecimento.

Metodologia

Por meio da investigação de leituras dirigidas, examinaremos as evidências materiais das tecnologias médicas e tecnologias não ocidentais, do comportamento humano e das relações entre as pessoas e seus ambientes durante as epidemias passadas e presentes. Considerando que ao longo da história do colonialismo as doenças foram diversas vezes usadas como armas biológicas no genocídio de populações oprimidas, os estudos de epidemias precisam considerar que povos e populações não modernas e não brancas têm modos e tecnologias próprias de gestão de doenças. Nosso foco está na evidência física e material e em como podemos entender comportamentos e relacionamentos humanos a partir dessas fontes de dados.
Especificamente, quanto à atividades de ensino serão realizados encontros remotos de grupos de estudo (contando com participação de discentes matriculados em disciplina optativa ofertada no semestre alternativo 2020/1), em que será instigada a leitura e debate de textos sobre arqueologia das epidemias.
Os encontros realizados virtualmente pelos grupos de estudo serão o local de trocas de experiências sobre o tema em análise e o local onde discentes serão encorajados a tornar-se protagonistas de uma investigação sobre arqueologia das epidemias que tenha objetivo final produzir conteúdo para difusão em redes sociais. A pesquisa a ser realizada abarcará tanto epidemias passadas, como a presente (percebendo e comparando estrategias adotadas, cultura material envolvida, estudos de paleopatologia, estudos sociodemográficos, estudos de saúde publica, etc). Num primeiro momento a investigação será estritamente por bibliografia disponível digitalmente ou conseguida através de redes digitais. Assim que as condições de saúde pública o permitirem serão analisadas possibilidades de atividades de investigação de campo, incluindo etnografia de arquivos para investigar as síndromes respiratórias agudas que afetavam pessoas escravizadas em Pelotas e outras regiões do sul do Brasil nos séculos XVIII e XIX.
Ao passo que em que as leituras e investigações forem sendo realizadas, os dados colhidos e as interpretações realizados, os discentes serão instigados a produzir os conteúdos para serem compartilhados em redes sociais. Cabe enfatizar que cada rede social tem uma linguagem especifica, ou seja, um conteúdo produzido para Instagram não é o mesmo que produzido para Twitter. Da mesma forma que o público atingido também difere de uma rede para outra. Assim sendo, na medida que os grupos de pesquisa/ação forem se consolidando serão definidas as redes sociais a serem utilizadas.

Indicadores, Metas e Resultados

A extroversão dos resultados da investigação sobre epidemias passadas será levada aos seguidores das páginas do projeto em redes sociais (tais como Twitter, Instagram, Facebook ou podcasts para Spotify). A participação em programa de rádio de outro projeto de extensão UFPel – Nós Nosotros: antropofonias e charlas – também está sendo programada. Também serão propostos webnários que podem ser inseridos no calendário de atividades institucionais da UFPel sobre o tema da pandemia de COVID-19 (tal como o UFPel Talks). Poderão ser desenvolvidos produtos interativos através de geoprocessamento. Análises espaciais poderão ser realizadas sobre dispersão tanto da COVID-19, como de outras pandemias no passado, de modo a ter elementos de observação espacial que possam ser, a priori, relativos a raça/etnicidade, classe social e gênero, por exemplo. Para tal, será importante o imbricamento entre dados bibliográficos disponíveis e fontes originais de ocorrência das pandemias.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE DE CASTRO SANCHEZ
ANA JULIA DOS SANTOS
BRUNO PINHO CHAVES
BÁRBARA MARIA BICHLER BORCK
CAMILLA MARIA PANASSOL
CAMILLA MURTA RIBEIRO
CAROLINE BORGES
CAROLINE DOS SANTOS SAVEDRA
Camila Quevedo Oppelt
Cidileia Costa da Rosa
DIONE CLEI NUNES DUARTE
EDUARDO ETCHART DOS SANTOS
Fernando Dias Leitzke
Fernando da Silva Moreira
GUSTAVO PERETTI WAGNER21
HELOISE DE OLIVEIRA WOEHL
ISABEL BUENO CAETANO
ITALO MARQUES DE CASTRO
JOÃO URSINE MAGALHÃES DE ANDRADE
JULIA BRAGA DOS SANTOS
LARISSA OSTERBERG DA CRUZ
LEONARDO DA SILVA SENS
LOREDANA MARISE RICARDO RIBEIRO1
LUIZA KOHN
LÉO ARAÚJO LACERDA
MARIA EDUARDA FERREIRA SANTANA
MARIANA GRIVOT RODRIGUES
Marcio Teixeira Bastos
Marina Nogueira Di Giusto
PEDRO HENRIQUE CAETANO
RAFAEL CORTELETTI22
RAFAEL GUEDES MILHEIRA1
RAQUEL MOTTA CORREA PINTO ROMAINE
TAINARA CRISTINA SILVA CARVALHO
VAGNER BARRETO RODRIGUES

Página gerada em 22/09/2021 01:32:27 (consulta levou 1.109125s)