Nome do Projeto
Etnologia Ameríndia e Mitologia: O ponto de vista autóctone sobre xamanismo, espiritualidade, epistemologia ameríndias, relações interétnicas, recuperação de saberes e políticas públicas na América do Sul
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
05/07/2021 - 01/07/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Baseado, sobretudo, em estudos realizados por etnólogos/as e intelectuais ameríndios/as, o presente projeto de pesquisa (ênfase), ensino e extensão, a partir das áreas de Etnologia Ameríndia e Mitologia, além do método etnográfico, busca compreender o ponto de vista autóctone sobre os seguintes temas: xamanismo, espiritualidade, epistemologias ameríndias, relações interétnicas, recuperação de saberes e políticas públicas. Tratando-se do universo de pesquisa, o mesmo abrangerá, de início, Kaingang, Mbyá-Guarani, descendentes Charrua/Minuano, Guarani-missioneiros e Tapes (“índio”, “pelo duro”, “pecuarista tradicional”, “gaúcho”, “peão”, “crioulo”, “mestiço”, “mestizo”, “criollos”, “changadores”, “paisanos” e “campesino”), incluindo ainda afrodescendentes, pescadores artesanais (marítimos e ribeirinhos) e demais coletivos tradicionais que habitam na América do Sul. Esse projeto se vincula à linha de pesquisa “Comunidade, Rede e Performance” do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGAnt) e às linhas “Cosmologia, Mitologia e Memória”, “Relações Interétnicas, Etnicidade e Território” e “Universidade, Educação e Ações Afirmativas” do Núcleo de Etnologia Ameríndia (NETA).

Objetivo Geral

O objetivo geral do projeto de pesquisa, baseado em estudos realizados por etnólogos e intelectuais ameríndios, a partir das áreas de Etnologia Ameríndia e Mitologia, além do método etnográfico, é a compreensão do ponto de vista autóctone sobre xamanismo, espiritualidade, epistemologia ameríndias, relações interétnicas, recuperação de saberes e políticas públicas.

Justificativa

O(s) Estado(s) privilegia(m) a dominação do mercado e da natureza enquanto horizonte para a sociedade. Com isso, institui-se um distanciamento acerca dos povos autóctones e seus saberes relacionados à floresta, à espiritualidade, às epistemologias ameríndias e às políticas públicas. Pode-se dizer que, o pensamento sensível que conecta a lógica das qualidades protagonizadas pelos ameríndios e demais coletivos tradicionais em seus territórios ligam humanos e não humanos, bem como corpos e interioridades – com ênfase diferente a do Ocidente (DESCOLA, 2015, p. 11). Tais relações sensíveis formam uma epistemologia ameríndia, trazendo uma decisiva contribuição à humanidade e ao delineamento de políticas públicas que visem o bem-estar dessas pessoas, além da preservação do ambiente. O fortalecimento e a recuperação dos saberes ameríndios geram indivíduos criativos e fortalece as suas identidades e culturas, bem como os instrumentaliza para o diálogo com outras culturas, o(s) Estado(s) e a sociedade abrangente (CARRANZA, 2015, p. 21).

Metodologia

No projeto de pesquisa serão empregados os seguintes procedimentos de método, considerando cinco momentos:
1) Assim que retomadas as atividades presenciais, organização de acervo e realização de pesquisa etnográfica, digital, cartográfica, imagética e mitológica visando acessar o ponto de vista dos interlocutores/as ameríndios/as, afro-americanos/as e tradicionais que habitam na América do Sul.
2) Tratando-se dos estudos etnológicos e mitológicos, os/as pesquisadores/as realizarão trabalho de campo, inserindo-se junto aos povos autóctones em seus espaços e territórios na América do Sul. Nesses casos, serão realizados estudos sobre xamanismo, a situação territorial e sócio-econômica das pessoas. Quanto ao método, o recurso da observação participante, realização de entrevistas abertas e fechadas, coleta de narrativas e de imagens serão formas de se remeter às noções êmicas e do pensamento sensível e mitológico. O uso de diário de campo, câmeras digitais, gravadores de áudio/audiovisuais e GPS serão de fundamental importância.
3) A análise dos dados bibliográficos, etnográficos, audiovisuais e a escrita de artigos e livros ocorrerão no NETA. No final, a ideia é a publicação de um livro sobre a contribuição dos ameríndios e tradicionais na formação mitológica, cultural e territorial na América Latina.
4) A equipe participará de congressos e seminários no Brasil e exterior visando aprofundar seus conhecimentos. O NETA realizará um seminário buscando a socialização dos resultados alcançados junto a comunidade acadêmica, governamental, sociedade civil e interlocutores.
5) A equipe retornará os dados e resultados da produção acadêmica aos coletivos ameríndios e tradicionais através da devolução de imagens, textos, livros, mapas de parentesco e convites para eventos. Em todas as fases, recursos financeiros serão buscados na UFPel e editais nacionais.

Indicadores, Metas e Resultados

A consolidação do NETA, do PPGANT e parcerias institucionais propiciaram um incremento do interesse de discentes vinculados a temas e objetos de pesquisa relacionados aos povos ameríndios situados no Brasil. No mesmo sentido, o avanço da teorias etnológica. A meta, a partir desse projeto de pesquisa (ênfase), novas parcerias e produtos acadêmicos, é a expansão ainda maior do conhecimento etnológico e do campo de trabalho às novas gerações.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ABICAEL MOREIRA
AILTON DA SILVA
ANDREIA COSTA MACEDO
ANGELICA DA ROSA SILVA MORTAGUA
ANTONIO ERNANI PINTO DA SILVA FILHO
Ana Paula Lhullier Moreira Pinto
BIANOR SARAIVA NOGUEIRA JÚNIOR
Carla Vargas Bozzato
Clarissa Corrêa Garcia
DAIANE GONÇALVES MOLINA
Fabíola Peres de Souza
ISABEL FERREIRA VARGAS
JANAÍNA VERGAS DA SILVA RANGEL
JANIE CRISTINE DO AMARAL GONCALVES1
JOSIANE ABRUNHOSA DA SILVA ULRICH
LAÍSA ARLENE SALES RIBEIRO
LEONARDO SAPUCAIA
LORI ALTMANN3
LUCAS BRAUNSTEIN DA CUNHA
LUIS OTAVIO COSTA NOYA PENNA
LUIZA MORAIS MARQUES
LUIZA MORAIS MARQUES
LUIZI LOPES DE OLIVEIRA
Lisandra Files Dias
MARCELO CAMPOLIM
MARTIN CESAR TEMPASS
NATHALIA RACHINHAS CARPE
NILZA MORAES DUARTE
REJANE BACHINI JOUGLARD
ROGERIO REUS GONCALVES DA ROSA6
Rosenilda Nunes Padilha
VITÓRIA DE LIMA CARDOSO
ÍTALO MARQUES DE CASTRO

Página gerada em 19/05/2024 08:58:08 (consulta levou 0.202235s)