Nome do Projeto
Desempenho de cultivares de pessegueiro a partir de mudas obtidas em diferentes sistemas de produção
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2023 - 31/12/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Considerando a importância da qualidade da muda sobre o retorno econômico e, consequentemente, a rentabilidade dos pomares frutícolas, com o presente projeto objetiva-se avaliar os efeitos do tipo de muda sobre o crescimento e produção inicial, assim como na qualidade dos frutos de três cultivares de pessegueiro. O experimento será conduzido no viveiro comercial Frutplan Mudas Ltda, localizado no município de Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Serão utilizadas mudas provenientes do ciclo de produção 2020/2021, oriundas de três diferentes sistemas de produção: convencional (no solo), semi-hidropônico utilizando turfa com casca de pinus como substrato, e em sacos plásticos com dimensões de 19 x 35 cm, também utilizando turfa com casca de pinus como substrato. Será utilizada a cultivar de pessegueiro Capdeboscq como porta-enxerto e as cultivares Chimarrita, BRS Fascínio e Maciel como copa, obtidas através de enxertia via borbulhia de gema ativa. As mudas serão plantadas a campo, com espaçamento de 1,5 metros entre plantas e 5,0 metros entre as linhas de cultivo, utilizando sistema de condução em “Y”. O delineamento experimental será em casualização por blocos, em um fatorial 3 x 3 (três sistemas de cultivo x três cultivares copa), totalizando nove tratamentos, utilizando quatro repetições por tratamento, cada uma composta por cinco plantas, sendo avaliadas as três plantas internas de cada parcela, com as duas restantes servindo como bordadura. Serão avaliados o diâmetro do caule, comprimento das pernadas principais, volume de copa, número de frutos por planta, produção média e produtividade estimada, assim como massa fresca, sólidos solúveis totais, acidez total, coloração da epiderme e firmeza de polpa dos frutos. Portanto, com o presente estudo espera-se determinar a influência de três diferentes tipos de muda sobre o crescimento e produção inicial, assim como na qualidade de frutos de pessegueiros ‘Chimarrita’, ‘BRS Fascínio’ e ‘Maciel’, contribuindo para a produção e aquisição de mudas com maior tecnologia e qualidade, que possibilitem um retorno econômico maior e mais rápido aos produtores.

Objetivo Geral

Avaliar o desempenho inicial em crescimento, produção e qualidade de frutos de pessegueiros ‘Chimarrita’, ‘BRS Fascínio’ e ‘Maciel’, a partir de mudas produzidas em sistema de cultivo convencional, semi-hidropônico e em sacos de polietileno.

Justificativa

O planejamento da implantação de um pomar requer a obtenção prévia de mudas de qualidade, considerada um dos principais pilares da fruticultura, influenciando diretamente na produtividade e longevidade dos pomares e, consequentemente, na obtenção de sucesso ou não de um empreendimento frutícola (FACHINELLO et al., 2005). Portanto, torna-se necessária a adoção de tecnologias no processo propagativo das frutíferas de caroço, visando a otimização da estrutura do viveiro e, principalmente,
proporcionar aos produtores mudas com maior qualidade.
Os sistemas de cultivo sem solo apresentam grande potencial na propagação de espécies frutíferas, devido a inúmeras vantagens como o suprimento mais adequado de nutrientes, proporcionando melhores condições para o desenvolvimento das plantas e facilitando o controle de pragas e doenças (SCHUCH; PEIL, 2012). Dessa forma, permitem que as plantas cresçam e se desenvolvam mais rapidamente, com a
diminuição do ciclo vegetativo, podendo reduzir o período para a obtenção de mudas de pessegueiro em até 50 dias quando comparado ao sistema convencional (TOMAZ et al., 2014).
A produção de mudas em embalagem com substrato proporciona uma boa qualidade em relação às mudas produzidas a campo, devido à retenção de água, rápido crescimento no viveiro, melhor controle da adubação e ausência de nematoides pelo uso de substratos estéreis, possibilitando o transplantio para o campo em qualquer época do ano, quando provido de irrigação, além de apresentar desenvolvimento inicial mais rápido (PEREIRA; MAYER, 2005). Outra alternativa ao sistema de cultivo convencional é a semi-hidroponia, considerada um sistema de cultivo inovador para a produção de mudas de espécies lenhosas, sendo fundamental a avaliação das plantas após seu plantio, assim como de seus frutos, para se tornar uma boa opção ao setor produtivo do pessegueiro (SOUZA et al., 2018).

Metodologia

O experimento será conduzido no viveiro comercial Frutplan Mudas Ltda, localizado no município de Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil (Latitude 31o 32’ 58’’ S, Longitude 52o 23’ 46’’ O Greenwich, a 106 metros de altitude) com mudas obtidas durante o ciclo de produção de 2020/2021.
Serão utilizadas mudas oriundas de três diferentes sistemas de produção: convencional (no solo), semi-hidropônico utilizando turfa com casca de pinus como substrato, e em sacos plásticos com dimensões de 19 x 35 cm, também utilizando turfa com casca de pinus como substrato. Será utilizada a cultivar de pessegueiro Capdeboscq como porta-enxerto e as cultivares Chimarrita, BRS Fascínio e Maciel como copa, obtidas através de enxertia via borbulhia de gema ativa.
Será previamente realizada a amostragem e análise do solo no local onde será instalado o pomar, seguidas da calagem e adubação para correção inicial do pH e dos níveis de nutrientes no mesmo, de acordo com as recomendações para a espécie. Após, as mudas serão plantadas a campo, com espaçamento de 1,5 metros entre plantas e 5,0 metros entre as linhas de cultivo, utilizando sistema de condução em “Y” com duas pernadas principais. Posteriormente, será instalado sistema de fertirrigação por gotejamento e ráfia de solo com largura de 1,20 metros ao longo da linha de cultivo.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se determinar a influência de três diferentes tipos de muda sobre o crescimento e produção inicial, assim como na qualidade de frutos de pessegueiros ‘Chimarrita’, ‘BRS Fascínio’ e ‘Maciel’, contribuindo para a produção e aquisição de mudas com maior tecnologia e qualidade, que possibilitem um retorno econômico maior e mais rápido aos produtores.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LUCAS DE OLIVEIRA FISCHER
MARCELO BARBOSA MALGARIM2
MATEUS DA SILVEIRA PASA1
PAULO CELSO DE MELLO FARIAS1
VAGNER BRASIL COSTA1

Página gerada em 01/03/2024 05:22:18 (consulta levou 0.174071s)