Nome do Projeto
O acesso dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial aos serviços da Atenção Primária à Saúde
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/09/2022 - 31/08/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Introduçao: O acesso de pessoas com transtornos mentais aos serviços das UBS, por muitas vezes se esbarra no preconceito em torno da sua condição de usuários de serviços psiquiátricos e, por muitas vezes, as queixas clínicas não são levadas em consideração, sendo essas queixas geralmente relacionadas aos fatores psíquicos. Desta forma, este estudo tem o objetivo de avaliar o acesso das pessoas usuárias dos Centros de Atenção Psicossocial aos serviços da Atenção Primária à Saúde. Metodologia: Trata-se de um estudo quanti-qualitativo a ser realizado com306 usuários dos seis serviços de CAPS tipo II no município de Pelotas-RS. O estudo quantitativo objetiva avaliar a ocorrência, prevalência e utilização dos serviços da APS pelos usuários dos CAPS. A amostra será composta por 306 usuários adotando-se um índice de confiança (IC) de 95%, admitindo-se um erro amostral de 5%.O estudo qualitativo objetiva analisar os fatores que influenciam como facilitadores e/ou como barreiras para o acesso aos serviços da APS por esses usuários, bem como, a articulação entre os serviços de CAPS e UBSs.

Objetivo Geral

Avaliar o acesso das pessoas usuárias dos Centros de Atenção Psicossocial aos serviços da Atenção Primária à Saúde

Justificativa

A avaliação do acesso de pessoas com transtornos mentais aos serviços de APS configura-se em uma estratégia que busca o cuidado integral dessas desta população específica. A identificação das comorbidades e suas prevalências podem evidenciar o perfil epidemiológico desta população, com possibilidades de criação de estratégias de cuidado em saúde em conjunto, CAPS e APS, com foco na diminuição desses marcadores, que por consequência, na melhoria da qualidade de vida dos usuários dos serviços. Também podem auxiliar, profissionais e usuários a construírem projetos terapêuticos que foquem não somente a saúde mental dos usuários, mas também projetos que potencializem a articulação entre os serviços que compõem a rede de saúde mental, sendo a Atenção Primária como parte desta. Justifica-se também pela importancia de compreender como eventos como a pandemia de COVID -19 pode ter impactado o acesso dos usuários de CAPS aos serviços de APS, dado que mudanças no processo de trabalho e reorganização dos serviços foram realizadas. A partir do reconhecimento do impacto da pandemia neste acesso, estratégias no processo de trabalho de ambos serviços poderiam ser construídas a fim de mitigar as consequências negativas nos aspectos clínicos dos usuários.

Metodologia

Trata-se de um estudo quantitativo e qualitativo para avaliar o acesso das pessoas usuárias dos Centros de Atenção Psicossocial aos serviços da Atenção Primária à Saúde. O estudo quantitativoserá transversal com os (as) usuários dos seis Centros de Atenção Psicossocial tipo II da rede de saúde mental de Pelotas-RS.Critérios de inclusão: Ser maior de 18 anos; Ser usuário ativo dos Centros de Atenção Psicossocial nas modalidades de atendimento individual, atendimento grupal e ou oficinas pelo menos seis meses.Critérios de exclusão: Apresentar dificuldade de comunicação no período proposto para as entrevistas; Estar no serviço apenas para acolhimento. Para o cálculo da amostra, realizou-se uma consulta prévia aos serviços acerca do número de usuários ativos dos serviços. No levantamento obteve-se uma média de 250 usuários ativos por CAPS totalizando 1500 usuários ativos nos seis CAPS do município. Utilizou-se o índice de confiança (IC) de 95%, admitindo-se um erro amostral de 5%, obtendo-se o total de amostra de 306 usuários. Foi estabelecida a seguinte estratégia de coleta de dados: convite dos usuários ativos dos CAPS que compareçam para qualquer atendimento pelo menos uma vez ao mês. Será apresentada a proposta do estudo e, caso o usuário concorde, será concedido o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Será utilizado questionário único composto por variáveis de caracterização sócio-demográfica e econômica e como variável dependente, oacesso a um serviço da APS no último ano. Como variáveis independentes:Situação sócio demográfica e de escolaridade, renda familiar, fonte de renda, escolaridade, trabalho, ocupação, vínculo, sexo, gênero, idade, cor da pele, estado civil, possuir comorbidade não psiquiátrica, frequência de ida ao CAPS, atividades realizadas no CAPS, utilização da UBS no último ano, possuir UBS de referência, ida à UBS no último ano por comorbidade não psiquiátrica, ter problema resolvido quando foi à UBS durante a pandemia, satisfação com os cuidados oferecidos pela UBS na pandemia, utilização da UBS antes da pandemia , vezes que utilizou a UBS antes da pandemia, utilização da UBS por comorbidade antes da pandemia, teve problema resolvido ao ir à UBS antes da pandemia, satisfação com os cuidados oferecidos pela UBS antes da pandemia.
Para os usuários que apresentarem alguma comorbidade, serão averiguados o perfil sócio demográfico, o tipo de comorbidade presente, a realização de pelo menos um atendimento em uma UBS por razões não psiquiátricas no último ano e a existência de uma UBS de referência para o usuário com comorbidade.
Os dados serão coletados após autorização do Comitê de Ética e Pesquisa respeitando os preceitos éticos previstos na Resolução 466/2012. A estratégia de coleta de dados levará em consideração o distanciamento social entre as pessoas, considerando pandemia de COVID-19 ainda presente.Desta forma, a coleta ocorrerá nos meses de outubro,novembro e dezembro a qual será realizada no próprio campo com Equipamentos de Proteção Individual disponibilizados por meio do recurso previsto no orçamento deste estudo de modo presencial por 6 entrevistadores (graduandos e pós-graduandos dois por cada serviço). Os entrevistadores farão a primeira codificação antes de entregar os instrumentos para equipe de digitação.
Ocontrole de qualidade será realizado na aplicação dos instrumentos de coleta através da checagem de cada entrevistador ao final da entrevista; na revisão realizada pelos supervisores ao receber o questionário; e na correção da codificação,na entrada de dados: através da dupla digitação, checagem e mapa de consistência, conforme indicado no item processamento e análise de dados. Os questionários aplicados serão codificados pelo entrevistador e o controle de qualidade interno será realizado pelos coordenadores. Os dados sofrerão dupla digitação por 2 digitadores independentes no software Excel. A limpeza dos dados ocorrerá por comparação dos dois arquivos e avaliação de erros de amplitude e consistência. As análises serão realizadas no software Excel, para a identificação das medidas de ocorrência e outras análises.
A etapa qualitativa se constituirá com foco na avaliação do acesso e acessibilidade dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial que apresentem comorbidades aos serviços da APS, com vista à compreensão das principais fatores que influenciam como barreiras de acesso, bem como, os fatores facilitadores do acesso. Participarão pelo menos dois usuários de cada CAPS que apresentem uma ou mais comorbidades listadas nos critérios de inclusão, para que se garanta uma maior diversidade de vozes oriundas dos diferentes serviços de CAPS que estão inseridos nos diferentes distritos sanitários do município. Critérios de inclusão: Ser maior de 18 anos;Ser usuário dos Centros de Atenção Psicossocial por pelo menos 6 meses; Apresentar uma ou mais dessas comorbidades listadas pelo Ministério da Saúde: diabetes, hipertensão arterial ou pulmonar, pneumopatia crônica grave, insuficiência cardíaca, cardiopatias, síndromes coronarianas, valvopatias, arritmia cardíaca, próteses valvares ou dispositivos cardíacos implantados, doença cérebro vascular, doença renal crônica, imunossuprimidos, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de down e cirrose hepática. Critérios de exclusão: apresentar dificuldade de comunicação no período proposto para as entrevistas. O estudo qualitativo será realizado no município de Pelotas, nas dependências do serviço de CAPS em uma sala reservada para garantia de privacidade seguindo os protocolos de segurança com uso de todos os EPIs necessários. A escolha do local foi intencional adotando-se o seguinte critério: ter uma estrutura adequada para garantia de privacidade. A partir da identificação dos usuários que apresentam comorbidades durante a etapa quantitativa, esses usuários posteriormente serão contactados e convidados a participar do estudo qualitativo. Será realizado contato telefônico para a apresentação da proposta do estudo e, a partir do interesse, serão pré-agendadas entrevistas individuais por meio de entrevistas semi-estruturadas em fevereiro de 2023. Estão previstas no mínimo 12 entrevistas e as mesmas serão conduzidas por um único entrevistador selecionado pela sua experiência prévia com entrevistas qualitativas nas quais serão norteadas por um roteiro de perguntas previamente elaborado para um maior aprofundamento dos objetivos e tema do estudo. Análise dos dados:Os dados provenientes das entrevistas serão transcritos, e o seu processamento será baseado na análise temática, que de acordo com Minayo (2012), que consiste em descobrir os núcleos que deem sentido para o objetivo analítico estudado. Primeiramente, os dados qualitativos oriundos das entrevistas serão ordenados, após, serão classificados e posteriormente serão articulados com o referencial teórico do estudo.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que como resultado possa-se identificar a prevalência de usuários comcomorbidades que utilizam os CAPS da rede de Saúde Mental, assim como o perfil sóciodemográfico daqueles que apresentam alguma comorbidade;
Também, identificar as comorbidades mais prevalentes nos usuários dos CAPS;
Analisar o acesso dos usuários de CAPS aos serviços de APS por meio da utilização desses serviços no último ano por razões não psiquiátricas, bem como a existência de uma UBS de referencia para esses usuários.
No estudo qualitativo, pretende-se identificar e analisar o acesso por meio dos principais fatores que contribuem para facilitar ou dificultar o acesso dos usuários dos CAPS que apresentam comorbidades aos serviços da APS;
Por fim, analisar e colaborar com os processos de articulação de ações de cuidado em saúde entre os serviços de CAPS e a APS

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARIANE DA CRUZ GUEDES2
ARLETE ESPIRITO SANTO FONSECA KNUTH
CARLOS ALBERTO DOS SANTOS TREICHEL
DENYAN ALVES SILVEIRA
ETIENE SILVEIRA DE MENEZES
GRAZIELE SOUSA MACHADO
GUSTAVO PACHON CAVADA
JANAINA QUINZEN WILLRICH2
JULINE FONTOURA SEEFELDT
KARINE LANGMANTEL SILVEIRA
LUCIANE PRADO KANTORSKI2
MARIA ELOISA OLIVEIRA COSTA
MARTINA MULLING PRIETSCH
MICHELE MANDAGARA DE OLIVEIRA2
Marina Leite Paulino
POLIANA FARIAS ALVES4
VALERIA CRISTINA CHRISTELLO COIMBRA2

Página gerada em 30/01/2023 02:29:54 (consulta levou 0.102730s)