Nome do Projeto
Pensamento pedagógico e desenvolvimento profissional docente
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/09/2022 - 31/08/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Este projeto é continuação de projeto, em andamento, cadastrado no módulo antigo do Cobalto: Projeto de Pesquisa 9777 - Pensamento Pedagógico e Desenvolvimento Profissional Docente. Esta proposta dá continuidade a uma trajetória de pesquisa que vem sendo realizada nos últimos anos sobre o pensamento pedagógico das professoras dos anos iniciais, observando processos de formação e desenvolvimento profissional. As atividades de estudo e pesquisa são conduzidas no âmbito do GEALE e tem como corpus empírico materiais e dados produzidos por meio de projeto de pesquisa financiado pela CAPES . Desse projeto resultou um volume significativo de materiais e dados sobre processos formativos do PNAIC, resultando na criação do BTP (Banco de Textos de Professoras) e do AMP (Acervo de Materiais Pedagógicos), o que desencadeou, também, o processo de concepção inicial do Sistema Vestígios , um repositório digital que reúne textos de professoras e de crianças dos anos iniciais. Em razão da potencialidade e amplitude desse acervo que reúne informações e materiais decorrentes desse amplo programa de formação continuada de professores, bem como dada sua relevância como fonte para a investigação acadêmica, o objetivo deste projeto é o de responder a uma questão central: Quais racionalidades e vontades sustentam e organizam a prática pedagógica de professoras dos anos iniciais que participam de processos de formação acadêmico-profissional? Para isso, o projeto desdobra-se em duas frentes de trabalho: i) estudo transversal da documentação pedagógica de professoras de anos iniciais, disponível no Banco de Textos de Professores (BTP) e no Acervo de Materiais Pedagógicos (AMP), elaborada em decorrência de sua participação em processos de formação acadêmico-profissional; ii) análise das estratégias de reflexão e tipos de escrita realizados, caracterizando os processos de raciocínio e ação pedagógicos envolvidos e desenvolvidos. A intenção é a de evidenciar, principalmente na documentação pedagógica reunida (planejamentos, relatórios, diários e/ou registros reflexivos, textos, cadernetas de metacognição, livros da vida), pistas que revelem as razões – de ordem teórica e/ou prática – e as vontades – de ordem pessoal, cultural, ética – que professoras referem para justificar, planejar e desenvolver a prática educativa na educação básica e na formação continuada. Tal encaminhamento investigativo sustenta-se pela compreensão de que, no contexto de formação e de exercício docente, processos de desenvolvimento profissional se articulam e se realizam, forjando uma determinada posição, própria da professora de anos iniciais, que envolve intelectualidade (formação científico-cultural e teórico-prática) e responsabilidade (ética, estética, política). Entendemos que as possíveis respostas à questão central de pesquisa podem oferecer subsídios para a discussão de aspectos relativos aos processos de formação e desenvolvimento acadêmico-profissional de professoras dos anos iniciais da educação básica, bem como de melhoria e qualificação da prática pedagógica. Nesse sentido, a própria noção de formação é problematizada, tendo em vista que entendemos, tal como indica Diniz-Pereira (2010), ser necessário compreender a formação como um continuum, que acontece entre a formação inicial e continuada e ao longo do exercício profissional.

Objetivo Geral

Objetivo geral:
Analisar as racionalidades e as vontades que sustentam e organizam a prática pedagógica de professoras dos anos iniciais, participantes de processos de formação acadêmico-profissional, sistematizando características explícitas e implícitas de seu pensamento pedagógico.
Objetivos específicos:
1. descrever e analisar a documentação pedagógica elaborada por professoras em contexto de formação acadêmico-profissional evidenciando os tipos de registros e as características de reflexão;
2. analisar textos de professoras dos anos iniciais enfocando concepções e práticas sobre as seguintes temáticas: alfabetização e letramento; sistema de escrita alfabética; planejamento e avaliação do trabalho pedagógico; cultura da infância e cultura escolar; ludicidade; heterogeneidade; docência;
3. identificar estratégias de formação e reflexão e tipos de escrita ou registro da prática pedagógica utilizados pelas professoras;
4. caracterizar os processos de raciocínio e ação pedagógicos envolvidos e desenvolvidos pelas professoras;
5. aprimorar o Sistema Vestígios, repositório digital do Banco de Textos de Professoras (BTP), implantando novas funcionalidades de acesso, busca e análise dos dados.

Justificativa

A curiosidade e a necessidade de compreender as razões – de ordem teórica e/ou prática – e as vontades – de ordem pessoal, cultural e/ou ética – que professoras referem para justificar, planejar e desenvolver a prática educativa junto às crianças dos anos iniciais do ensino fundamental, para, assim, projetar oportunidades formativas delineadas desde a e por meio da reflexão e do registro da prática pedagógica segue tendência identificada no campo da formação de professores, conforme análise realizada por Romanowski (2012, 2013, 2014) e André (2013; 2015; 2016). Estudos desse tipo mostram que a formação se constitui esteio na promoção e na melhoria da prática pedagógica e no desenvolvimento profissional docente. São pesquisas que compreendem a formação e o exercício docente com a finalidade de interferir e mudar processos formativos, contribuindo, também com a sistematização do campo em sua dimensão epistemológica. Os resultados desses estudos demonstram que a formação e o desenvolvimento profissional são potencializados quando tanto a formação como a docência articulam, concomitantemente, práticas de estudo, ensino e pesquisa. Formar professores pesquisadores requer a discussão de aspectos como a reflexão sobre a prática, o trabalho colaborativo e o desenvolvimento profissional. Deste modo, esta proposta articula-se ao campo de estudos sobre o “pensamento do professor” (MIZUKAMI et al., 2006; ANDRÉ, 2016), pois a intenção é a de conhecer o seu “raciocínio e ação pedagógicos” (SHULMAN, 1987; 2014), em termos de concepções epistêmicas e de relações teórico-práticas. Pretende, igualmente, ampliar o estudo sobre as crenças e as disposições de ordem cultural, ética e pessoal assumidas para sustentar a prática pedagógica e o próprio engajamento na formação.
Nossa hipótese é de que certas racionalidades e vontades que sustentam e organizam a prática pedagógica estão circunscritas aos contextos culturais. Por isso, conhecer e problematizar as raízes culturais pode contribuir para a discussão e a reconfiguração das propostas de formação e desenvolvimento profissional (NÖRNBERG; OURIQUE, 2017). Guiada pela noção de “esquemas de ação” (GIMENO SACRISTÁN,1995), buscamos vestígios sobre as razões e as vontades que sustentam e organizam o processo de desenvolvimento profissional, pois, “é muito importante atender às raízes culturais das quais se nutrem os professores, para entender como atuam e por que atuam e como queremos que atuem” (GIMENO SACRISTÁN, 2005, p. 86). Afinal, os conteúdos do pensamento do professor provêm da sua cultura-raiz e pouco das ciências ou do que construiu ao longo de sua formação, porque, conforme adverte o autor, “o professor pensa não de acordo com a ciência, mas conforme sua cultura” (p. 85). Entendemos que conhecer as raízes culturais das quais os professores se nutrem é importante para a pesquisa no campo da formação de professores, assim como assumir a posição de que a ciência pode servir para pensar, mas sua transmissão não assegurará que ela – a ciência – servirá como fonte privilegiada para pensar sobre as situações da prática pedagógica. Por isso, “educar não só a razão, mas também o sentimento e a vontade” (p.87).

Ainda, em termos de relevância e impacto para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, a realização do projeto produzirá impacto tanto para a pesquisa na área em que se inscreve – a formação de professores – como para o campo temático investigado – a teoria e prática pedagógica e o desenvolvimento profissional – bem como para a educação, em geral, por isso a sua relevância.
No que diz respeito à pesquisa, três aspectos mostram sua relevância científica:
i-) consolidação de uma abordagem metodológica de análise da documentação pedagógica concernente a processos de formação acadêmico-profissional;
ii-) sistematização de subsídios para a constituição de banco de dados, repositório e sistema de análise;
iii-) definição de categorias para a compreensão das racionalidades e vontades que sustentam e orientam a docência nos anos iniciais e a formação docente.
Do ponto de vista da educação, os resultados que temos obtido com nossos estudos produzem impacto direto na formação de professores do ensino fundamental. Na formação inicial via trabalho direto com estudantes do curso de Pedagogia, especialmente na Iniciação Científica e na orientação de Estágio Supervisionado nos anos iniciais. Na formação continuada por meio da inserção do GEALE nas escolas em que docentes participam do grupo e do projeto, as quais recebem devolutivas sistemáticas do grupo de pesquisa (palestras e reuniões), como por meio da realização de eventos de divulgação de resultados de pesquisa. No âmbito da Pós-graduação produz impacto direto na qualidade da orientação de discentes do curso de Mestrado e Doutorado que desenvolvem investigação sobre temáticas concernentes ao foco e objeto desta proposta de pesquisa.

Metodologia

Especificamente em relação ao desenho teórico-metodológico, esta pesquisa situa-se no campo da fenomenologia-hermenêutica porque buscamos compreender as razões e as vontades que mobilizam as docentes e visamos à reflexão e à análise de objetos, situações, experiências observando relações entre texto, contexto e sujeitos envolvidos. Para isso, a perspectiva hermenêutico-interpretativa é tomada como apoio teórico-metodológico para o exercício analítico das múltiplas formas de escrita das professoras. Múltiplas formas porque a escrita reflete a narrativa de um determinado fluxo pedagógico, explícito ou implícito, sobre o que se diz/pensa e faz. Fluxo que nem sempre vem demarcado pelo ponto de vista da inscrição na tradição das ciências. Fluxo que não raras vezes carrega a intensidade do fazer algo na urgência da ação como reflexo do compromisso e da responsabilidade das professoras via práticas de cuidado e de justiça educativa. Fluxo que acontece desde entendimentos e comportamentos intuitivos ou tácitos. Fluxo que expõe, por mais estranho que possa soar, sentimentos e desejos das professoras.
Ao assumir a perspectiva da fenomenológica-hermenêutica, especialmente com apoio nos estudos de Heidegger (1999) e Gadamer (2003), e as distinções entre conhecer e pensar, de Heidegger (1964a, 1964b) e Arendt (2014), a intenção é a de abrir a pluralidade característica das escritas das professoras que participam de processos de formação acadêmico-profissional. A circularidade hermenêutica coloca o pesquisador frente ao desafio de acompanhar o movimento de reflexão e escrita do professor com uma lente interpretativa capaz de oferecer as pistas de seu pensamento pedagógico. Nessa direção, o exercício hermenêutico é entendido como recurso contra a pretensão de haver um único caminho de acesso à verdade (HERMANN, 2002), resguardando, conforme Gadamer (2003), a verdadeira abertura ao texto, à alteridade do outro que por meio dele se manifesta, expondo para uma determinada comunidade aquilo que pensa e faz. Dessa maneira, a efervescência que surge nas e dessas interações, como parte do processo de desenvolvimento profissional docente, é observada e respeitada, evitando a sedução descritiva e prescritiva, própria da generalização que, do ponto de vista da pesquisa educacional (e também da prática pedagógica), é impraticável.
A hermenêutica é um ato de interpretação e compreensão que busca reconhecer que, por trás de determinada fala ou escrita, há uma professora apresentando um fato, um contexto, uma forma de fazer e agir, além de algumas apostas ou ideias assumidas para orientar o seu exercício docente, que podem de modo explícito ou implícito estar inscritas em teorias e práticas, valores e crenças em torno da tarefa docente, situando, desse modo, o processo da docência em sua historicidade. Tal reconhecimento é da ordem da ética, pois se refere à nossa posição enquanto investigadores das práticas pedagógicas produzidas e conduzidas pelas professoras. Posição que também inclui o modo como analisamos e dizemos o que intencionalmente apreendemos e apresentamos como achados de pesquisa.
Em termos de corpus empírico de pesquisa, apresentamos, brevemente, a composição dos dois bancos: Acervo de Materiais Pedagógicos (AMP) e o Banco de Textos de Professoras (BTP). O AMP é formado por cadernetas de metacognição e livros da vida produzidos por professores formadores, orientadores de estudo e alfabetizadores que participaram das atividades de formação do PNAIC-UFPel. Os dados que formam este banco apresentam diferentes evidências do processo formativo realizado em diferentes âmbitos (na universidade, nas redes públicas de ensino básico, nas salas de aula com as crianças). Estes materiais foram doados pelas professoras participantes do PNAIC-UFPel para o GEALE.
Já o BTP é constituído por produções escritas (textos, planejamentos e relatórios de formação) elaboradas por professores que participaram das atividades de formação do PNAIC-UFPel, na condição de formadoras, orientadoras de estudo e professora cursista. O primeiro conjunto do BTP é composto de 5657 produções escritas elaboradas pelos professores que atuaram como orientadores de estudo e alfabetizadora cursista do PNAIC. O processo de catalogação desse conjunto de textos foi finalizado em 2021.
O Estrato 2 do BTP é composto por textos do tipo planejamento e relatório de formação, elaborados por professores que atuavam como formadores ou orientadores de estudo no PNAIC-UFPel, processo que segue em fase de organização e catalogação. Esse trabalho foi intensificado durante a vigência da atual bolsa de produtividade em pesquisa, sendo este realizado pela equipe de pesquisa, principalmente pelos bolsistas de iniciação científica e uma das discentes do curso de doutorado (Josiane Jarline Jäger), todos sob a minha orientação.
O processo de organização desse conjunto de materiais tem demandado um esforço hercúleo, visto que os arquivos com os textos de planejamento e relatório de formação foram enviados para seis endereços eletrônicos, relativos a cada um dos polos e respectivo ano de formação (2013 ou 2014): Polo 1 Porto Alegre; Polo 2 Osório; Polo 3 Pelotas. Assim, cada um desses seis endereços possui, em média, 3000 mensagens que são abertas uma a uma a fim de se identificar entre os anexos enviados os arquivos concernentes ao planejamento e ao relatório da formação. Após o descarregamento do arquivo, inicia-se a sua preparação para catalogação, codificação e arquivamento em pasta digital. Como os arquivos enviados geralmente estão em diferentes tipos de editores (word, pdf, ppt ou jpeg) procede-se a conversão para arquivo word e pdf e, a seguir, realiza-se o processo de codificação seguido de sua inserção em drive (nuvem digital). Até o momento, foram catalogados 1.422 planejamentos e 1069 relatórios, todos eles elaborados por professores que atuaram como orientadores de estudo. Além dos arquivos de textos, também foram enviados para estes endereços eletrônicos outros tipos de arquivos contendo diferentes materiais como fotos, vídeos, apresentações visuais, entre outros. Também esses materiais estão sendo arquivados, porém ainda não estabelecemos sua forma de tratamento e organização para processos de pesquisa e ensino.
O processo de análise dos textos que compõe o Estrato 1 e 2 é realizado a partir de algumas indagações básicas que guiam o movimento interpretativo. São elas:
- Que racionalidades e vontades sustentam e organizam as concepções e práticas sobre temáticas atinentes ao trabalho docente nos anos iniciais?
- O que se constrói de conhecimento para a prática pedagógica nos anos iniciais a partir dos estudos realizados em processos de formação acadêmico-profissional?
- Quais estratégias de formação e reflexão e de tipos de escrita são exploradas?
- Que tipos de raciocínio e ação pedagógicos são explicitados na produção escrita?
- Que racionalidades e vontades explícitas e implícitas podem ser observadas?
- Atividades de registro e reflexão realizadas em contexto de formação acadêmico-profissional influenciam na formação e no desenvolvimento profissional docente? Que contribuições oferecem?
- Que características têm o pensamento pedagógico de professoras que exercem atividade profissional nos anos iniciais?
Pontualmente, pretendemos realizar a:
- Descrição e análise dos textos do Estrato 1 e 2 do BTP e das cadernetas de metacognição e livros da vida do AMP, observando:
a) concepções teórico-práticas sobre as temáticas propostas e formas de explicitá-las;
b) estratégias de formação e reflexão e tipos de escrita ou registro utilizados (texto descritivo, narrativo, expositivo; desenho, figuras, fotografias).
c) racionalidades e vontades explícitas e/ou implícitas;
- Caracterização dos processos de raciocínio e ação pedagógicos de professoras que, simultaneamente, exerciam atividades de ensino na escola básica, com crianças, e de formação acadêmico-profissional, com seus colegas de exercício docente.
A realização destes procedimentos de análise permite alçar um corpo de elementos capaz de favorecer a compreensão das racionalidades e vontades que sustentam e organizam a prática pedagógica de professores dos anos iniciais que participam de processos de formação acadêmico-profissional.
Com a continuidade da pesquisa, via esta proposta, será possível sistematizar critérios de análise além de definir dimensões sobre o pensamento pedagógico de docentes participantes de processos de formação acadêmico-profissional, em especial, de programas de formação envolvendo rede básica e universidade.


Indicadores, Metas e Resultados

METAS:
1. analisar textos do estrato 1 e 2 do BTP, em recorte transversal, divulgando resultados em forma de trabalho e artigo científico, dissertação e tese.
2. finalizar o processo de catalogação de textos do estrato 2 do BTP.
3. aprimorar funcionalidades e ferramentas de busca e análise do Sistema Vestígios.
4. sistematizar critérios de análise de documentação pedagógica.
5. definir dimensões e características dos processos de ação e raciocínio pedagógicos de docentes participantes de processos de formação acadêmico-profissional em termos de concepções e práticas.

RESULTADOS ESPERADOS
Assim, com a continuidade deste projeto, que tem como foco o pensamento pedagógico, e como intenção básica analisar racionalidades e vontades que organizam e sustentam a docência, espera-se contribuir:

a) com novas evidências para uma melhor compreensão das razões e disposições que orientam e sustentam as práticas dos professores que atuam nos anos iniciais;
b) com a sistematização de metodologias de pesquisa sobre práticas pedagógicas, sistematizando subsídios para a constituição de banco de dados, repositório e sistema de análise;
c) com a ampliação da produção científica, tanto para a formulação de hipóteses teóricas acerca do pensamento pedagógico de docentes dos anos iniciais, como de elaboração de propostas voltadas para os processos de formação acadêmico-profissional, a ser realizada na forma de apresentação de trabalhos em eventos, artigos, capítulos de livros, teses e dissertações;
d) com a formação de jovens pesquisadores, por meio da orientação de estudos de iniciação científica e de mestrado e doutorado em educação;
e) com a consolidação do GEALE, o qual é constituído por professores pesquisadores e discentes da graduação e pós-graduação, vinculados à linha de pesquisa “Formação de professores, ensino, processos e práticas educativas” do PPGE-UFPEL;
f) com o aprimoramento das ferramentas de busca e análise do Sistema Vestígios, viabilizando o acesso aos pesquisadores interessados;
g) com a divulgação de estudos realizados, disponibilizando-os no site Obeduc-Pacto, vinculado ao GEALE.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA RUTH MORESCO MIRANDA1
ARITA MENDES DUARTE
ARNALDO ANTONIO DUARTE DE DUARTE JUNIOR
Amanda da Silva Brod
CARLA PATRÍCIA TREICHA NOGUES
DAIANE DA SILVA GOMES
DÉBORA WENDLER DE ANDRADE
EDSON PONICK2
GABRIELLA DAS NEVES FURTADO
GISELE RAMOS LIMA
IGOR DANIEL MARTINS PEREIRA
JAÍNE TELLES QUEVEDO
JOSIANE JARLINE JÄGER
JULIANA ANDRADE LUND
JÚLIO EMÍLIO DINIZ PEREIRA
KATLEN BOHM GRANDO
LISSA PACHALSKI
LUCIANA PICCOLI
MARCIA LORENA SAURIN MARTINEZ
MARTA NORNBERG9
MILENA VENZKE KAADT
NATANI BIERHALS WITH
NILTON JOSÉ NEVES CORDEIRO
PATRICIA PEREIRA CAVA7
RAFAELA DA SILVA DIAS
SHAIANE PIZANI SILVEIRA
SIMONE REGINA MANOSSO CARTAXO
SUÉLEN STARKE
SÍLVIA NILCÉIA GONÇALVES
TANISE DA MOTA FERREIRA
THOMÁZ KLUG BRUM

Página gerada em 01/03/2024 04:08:15 (consulta levou 0.173290s)