Nome do Projeto
Caracterização da coleção de ossos contemporâneos da Universidade Federal de Pelotas
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
28/04/2023 - 29/04/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
Por serem os registros mais duradouros da existência humana, os ossos e dentes costumam carregar marcas de nossas experiências, hábitos e atividades. Em função disso, a prática bioarqueológica busca extrair o máximo de informações que esses remanescentes podem fornecer, além de buscar meios de contar essas histórias através da ciência. Como a quantidade de informações extraídas depende da idade e da integridade da ossada, coleções de ossos contemporâneas representam um valioso recurso para os estudos bioarqueológicos, antropológicos e anatômicos. Diante disso, este estudo objetiva coletar e catalogar as informações morfológicas e antropométricas da coleção de ossos presente no Laboratório de Anatomia da Universidade Federal de Pelotas. À vista disso, busca-se categorizar e identificar possíveis patologias, que contribuam para a elaboração de um perfil demográfico sobre as condições de vida dos indivíduos estudados, de modo a incentivar a redução da escassez informacional acerca das coleções ósseas no Sul do Brasil.

Objetivo Geral

A presente pesquisa objetiva coletar e catalogar as informações morfológicas e antropométricas da coleção de ossos presente no Laboratório de Anatomia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), tomando como base os parâmetros métricos e não-métricos nacionais e internacionais para a identificação de patologias.
Para tanto, definiu-se os seguintes objetivos específicos:
Medir e descrever os ossos longos presentes na coleção da UFPel se utilizando de metodologias de referência internacional;
Investigar a presença e frequência de variações anatômicas e patologias ósseas presentes nos ossos longos da coleção;
Analisar as possíveis causas das patologias identificadas e suas relações com o comportamento ante-mortem.

Justificativa

A importância de estudar a coleção anatômica da Faculdade de Medicina da UFPel fundamenta-se no fato de que esta é uma coleção composta majoritariamente por indivíduos contemporâneos e íntegros, podendo, assim, apresentar um valor diferenciado em estudos anatômicos, antropológicos e bioarqueológicos.
No Brasil, existe uma carência de pesquisas em Antropologia Biológica, especialmente no âmbito forense, o que acaba por gerar a necessidade da utilização de bancos de dados baseados em populações americanas, europeias e asiáticas. Por terem pouca miscigenação, diferentemente da população brasileira, as análises que se utilizam dessas bases podem produzir dados incorretos, impedindo ou dificultando a identificação médico-legal (SOARES, 2008).
Em estudos de base populacional, Sanabria-Medina et al. (2016) explicam que, as coleções ósseas contemporâneas são usadas para ampliar os dados sobre a variabilidade biológica dos habitantes de uma determinada região e da mistura biológica inter e intrapopulacional (CUNHA et al., 2018). À vista disso, e da escassez informacional acerca das coleções ósseas do Sul do Brasil, esse estudo pretende contribuir com a organização e o estabelecimento de uma coleção que auxilie nas pesquisas de individualização e caracterização da população dessa região.
A integridade dessas informações e a preservação dos esqueletos contemporâneos também podem se configurar em recursos fundamentais para estudos de patologia óssea, biologia esquelética e antropologia forense. De modo que, o acesso aos remanescentes humanos, como os presentes nas coleções ósseas contemporâneas, oferece informações valiosas acerca de populações modernas para as mais diversas pesquisas, a exemplo dos estudos morfométricos e de casos patológicos comparativos (CARDOSO; LIRA, 2016).
O estudo contribuirá também para qualificar as informações da coleção de ossos do Laboratório de Anatomia Humana da UFPel, na medida em que, fornecerá informações relevantes e complementares para as aulas ministradas aos 15 cursos de graduação que possuem a Anatomia Humana como disciplina curricular obrigatória. Além disso, a realização desta pesquisa permitirá o acesso a dados catalogados, o que poderá reorganizar a dinâmica de acesso e manutenção de cada uma das peças ósseas, favorecendo o planejamento e desenvolvimento dos métodos de ensino em osteologia.

Metodologia

Para alcançar os objetivos propostos, optou-se por uma abordagem metodológica quanti-qualitativa. Segundo Souza e Kerbauy (2017), essa junção se dá, especialmente, quando há o intuito de investigar realidades sociais distintas por meio de dados numéricos, como os obtidos nas análises morfológicas e antropométricas.
Quanto ao delineamento, a presente pesquisa se qualifica como descritiva, ao buscar organizar e caracterizar a coleção de ossos da UFPel e os indivíduos que a compõem. Em concordância, Gil (2002, p. 42) relata que, pesquisas desse cunho “[...] têm como objetivo primordial a descrição das características de determinada população ou fenômeno ou, então, o estabelecimento de relações entre variáveis.”
Já quanto aos procedimentos técnicos utilizados, desenvolver-se-á uma pesquisa bibliográfica, para a coleta e compreensão dos parâmetros métricos e não-métricos utilizados para a identificação de patologias ósseas. E, posteriormente, será feito um levantamento, por meio dos parâmetros selecionados, das informações morfológicas e antropométricas da coleção de ossos estudada. Ambos apontados por Gil (2002), como técnicas condizentes às características e objetivos da pesquisa descritiva.

UNIVERSO DA PESQUISA

A atual coleção de ossos da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) é composta por indivíduos que vieram de um depósito do cemitério municipal da Prefeitura de Alegrete (RS). Após a sua chegada na universidade, por volta de 1986, esses ossos foram realocados diversas vezes, além de ter partes descartadas, até se estabelecerem no Laboratório de Anatomia (informação verbal).
Por ser uma coleção, até então, utilizada somente para estudos anatômicos e fins didáticos, ela está organizada por osso e não por indivíduo. Alves e Soares (2019) apontam as características funcionais e estruturais dos ossos longos (úmero, rádio, ulna, fêmur, tíbia e fíbula) como ideais para estudos morfológicos e de análises de patologias. Desse modo, o presente estudo terá por amostra somente esses componentes da coleção estudada.

COLETA E ANÁLISE DE DADOS

No início da caracterização, todos os ossos analisados na pesquisa serão fotografados em fundo branco. Para se obter uma noção de seus tamanhos reais e das patologias (quando presentes), também será feito o uso de escalas fotográficas.
Em uma adaptação dos padrões expostos por Borborema, Vanrell e Queluz (2010), os procedimentos de medição de ossos utilizarão papel milimetrado. Os dados obtidos ficarão registrados no catálogo de registro dos ossos, cujo modelo foi elaborado especialmente para esta finalidade.
Posteriormente, seguindo a metodologia descrita por Owsley et al. (1987), todos os ossos longos serão examinados para condições patológicas. Radiografias poderão ser realizadas para auxiliar no levantamento das lesões e informações nutricionais. A identificação e o diagnóstico das lesões (quando apropriado) serão baseados em várias fontes, como as pesquisas de Ortner e Putschar (1981), Aufderheide e Rodríguez-Martín (1998), Ortner (2003) e Cunha (2006).
Patologias identificadas como representando aumento ósseo serão classificadas em várias subcategorias, como: 1) aumento de volume devido à periostite; 2) aumento de volume devido à osteomielite ou 3) aumento de volume por conta de tecido conjuntivo ossificado (miosite ossificante). Já as alterações relativas à doença articular degenerativa, serão pontuadas quanto à presença, localização e gravidade da formação óssea hipertrófica (lábio marginal, osteófitos), porosidade e eburnação (OWSLEY et al., 1987). Além disso, quando possível, lesões traumáticas também serão descritas como “patologias”.
Ademais, intende-se elaborar um perfil demográfico sobre as condições de vida dos indivíduos estudados a partir da obtenção e interpretação dos dados obtidos em análise.

Indicadores, Metas e Resultados

Obtenção de medições e e registro detalhado da caracterização morfológica dos ossos longos que fazem parte da coleção da UFPel;
Descrição da presença e frequência de variações anatômicas e patologias ósseas presentes nos ossos longos da coleção;
Análise e descrição dos achados, sugerindo relações entre as possíveis causas das patologias identificadas e comportamento ante-mortem.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA RAFAELA PIZZI
FABIANE KNEPPER ZEHETMEYR FERNANDES6
ISABELA DA SILVA MARQUES
LUCAS SEBASTIÃO LIMA
LUIZ FERNANDO SCHENQUE TAVARES6
MANOEL ADAO LEMES6
MARIANA SOARES VALENCA12
MURILO PERTILE CAMPOS
NICOLE OLIVEIRA RODEGHIERO

Página gerada em 26/02/2024 03:39:17 (consulta levou 0.138479s)