Nome do Projeto
Poda antecipada e sua influência na fenologia e produtividade em diferentes cultivares de videiras em Dom Pedrito, RS, Brasil
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/05/2023 - 30/04/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
No Rio Grande do Sul, a vitivinicultura é reconhecida por sua importância econômica e social, e nos últimos anos vêm se consolidando na região da Campanha, despontando como um importante polo de produção em aspectos produtivos e qualitativos (RADÜNZ et al., 2015). A vitivinicultura, voltada à elaboração de vinhos finos, se apresenta como uma atividade econômica importante e promissora na região, onde as condições de solo e clima mostram-se favoráveis ao cultivo de diversas variedades. A expansão do cultivo de videiras para regiões não tradicionais, expõem as plantas a condições climáticas diferentes das conhecidas para a cultura, podendo provocar alterações fenológicas. Isto porque as videiras mudam o comportamento fenológico e o acúmulo térmico necessário para completar o ciclo, quando cultivadas sob locais com condições meteorológicas distintas (RADÜNZ et ale, 2015). Em meio a esse desenvolvimento da vitivinicultura na Região da Campanha Gaúcha, várias técnicas estão sendo desenvolvidas pelos viticultores, sendo uma delas as diferentes épocas de poda seca (MACIEL et al., 2017). A poda seca é realizada no período de dormência das videiras com objetivo principal de melhorar a produtividade e qualidade dos frutos para a próxima safra. O conhecimento da duração das fases fenológicas é de extrema importância para que se torne possível otimizar as práticas culturais, que se tornam indispensáveis para o cultivo da videira. A mão-de-obra para realização desta prática ainda é pouco abundante e com um custo elevado, ainda mais quando se trata, por exemplo, de um pequeno produtor. Conhecendo os períodos ideais para a poda, é possível otimizar a mão-de-obra, bem como se prevenir passa possíveis problemas climáticos, como geadas tardias no período das brotações. Ainda há uma necessidade de estudos sobre os aspectos produtivos e práticas de cultivo da videira na região da Campanha Gaúcha, para que se tenha uma concretização ainda maior da produção em escala representativa. Os crescentes investimentos de produtores de outros locais nessas regiões, apenas reforçam o seu potencial edafoclimático para a produção.

Objetivo Geral

O objetivo geral do presente projeto de pesquisa será avaliar o comportamento fenológico, produtivo e qualitativo das cultivares Cabernet Sauvignon, Merlot, Sauvignon Blanc e Chardonnay mediante diferentes épocas de poda antecipada.

Justificativa

A mão de obra nos vinhedos é de extrema importância quando se pensa no manejo adequado para que se tenha uma boa safra, entretanto, também podem implicar na perda de investimento feito pelos produtores se não estiverem aliados a maneira correta de execução e o período em que são realizados.
Desta forma, é importante que novas pesquisas estudem novas épocas de manejo de modo a ampliar o período da execução da poda seca para que não haja interferência climática como, por exemplo, as geadas primaveris que prejudicam a produção.
Por esses motivos, são necessários estudos que avaliem o comportamento fenológico da videira nas condições da Região da Campanha, relativamente nova no setor vitivinícola, onde ainda carecem de estudos sobre esse assunto, os quais permitirão um melhor planejamento da realização da poda, e assim otimizar o emprego da mão de obra, além de buscarem alternativas frente as mudanças climáticas e alterações fisiológicas nas videiras.

Metodologia

O experimento será conduzido no vinhedo comercial pertencente à propriedade Rigo Vinhedos e Olivais, situada no município de Dom Pedrito. As cultivares estudadas serão Chardonnay, Sauvignon Blanc, Merlot e Cabernet Sauvignon. As podas serão realizadas nos meses de maio, junho, julho e agosto, dos anos de 2023, 2024 e 2025. Será avaliado o período de necessidade de dias entre a poda e o estádio fenológico de brotação, e posteriormente a necessidade de dias entre o período de floração e maturação das uvas. Para avaliação da resposta vegetativa das plantas, serão avaliados os índices Ravaz e de área foliar. Para as características dos cachos serão avaliados número total de cachos por planta, peso médio de cachos e peso total de cachos por planta. Para avaliações do mosto e posteriormente dos vinhos, serão realizadas microvinificações, onde os parâmetros fisico-químicos de pH (potencial de hidrogênio), Acidez Total (meq.L-1), açúcares (para mosto °Babo e °Brix, e para vinhos açúcares redutores em g.L-1), álcool (%v/v), acidez volátil (g.L-1 de ácido acético), ácido glucônico (g.L-1), índice de cor (420nm, 520nm e 620 nm em espectrofotômetro, para tonalidade e intensidade de cor), índice de Polifenóis Totais (IPT) e Antocianinas Totais, serão analisados em laboratório de acordo com metodologias pré-existentes.

Indicadores, Metas e Resultados

Com a realização deste trabalho, espera-se obter resultados e informações relevantes quanto ao comportamento das cultivares estudadas em relação as épocas de poda, bem como a influência no desenvolvimento, ciclo e produção.
Além disso, espera-se resultados que avaliem a viabilidade da poda em determinada época em relação aos parâmetros físico químicos dos vinhos.
Sobretudo, resultados que mostrem diferenças ou semelhanças importantes no manejo da poda seca, para que se possa levar essas informações obtidas aos produtores, a fim de que possam utilizar em diversos aspectos relacionados a produção.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CECILIA DE OLIVEIRA WERLE
CLAUDIA ROSA DE SOUZA
JÉSSICA OTT BERWALDT
Keila Garcia Aloy
MARCELO BARBOSA MALGARIM2
PAULO RICARDO COSTA PIRES6
RAFAEL LIZANDRO SCHUMACHER
SUZIANE ANTES JACOBS
Samuel Francisco Gobi
VAGNER BRASIL COSTA12

Página gerada em 04/10/2023 14:59:19 (consulta levou 0.133757s)