Nome do Projeto
Infâncias no ambiente hospitalar: contribuições da escuta e da brincadeira
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
30/11/2023 - 30/06/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Saúde
Linha de Extensão
Infância e adolescência
Resumo
Crianças brincam, pensam, socializam, expõem suas percepções sobre o mundo em todos os espaços. Com base no campo da Sociologia da infância e numa parceria com o projeto Classe Hospitalar, organizado pelo Prof. Lui Nörnberg, este projeto tem como foco a realização de inserções de graduandos(as) do curso de Pedagogia na brinquedoteca do Hospital Escola da UFPel. Tal iniciativa, prevê a realização de brincadeiras e escutas das crianças que passam por uma situação de internação.

Objetivo Geral

-Promover a escuta de crianças e incentivar o estudo e a prática pedagógica no ambiente hospitalar.

Justificativa

A hospitalização altera a vida da criança, pois ela sofre com a sua situação de saúde, é afastada da família, da escola e dos objetos pessoais, perdendo assim, grande parte das suas referências cotidianas (SAGGUESE e MACIEL, 1997). Além disso, pode-se encontrar no hospital um ambiente hostil, com procedimentos invasivos e uma atmosfera tensa. Por isso, Azevedo (1999) e Méndez et aI. (1996) apontam a importância de tornar as alas pediátricas mais adequadas ao serviço prestado às crianças.
É nesse sentido que o presente projeto se justifica, uma vez que, o brincar pode ser explorado para proporcionar oportunidade de desenvolvimento humano, pois é uma forma de interagir com o ambiente. A criança interage com seu meio à medida em que oportunidades lhe são oferecidas, provocando modificações no seu repertório comportamental e na natureza funcional do meio. Sobre a escuta, autores como William Corsaro (2011), Manuel Sarmento (2004), Ana Cristiana Coll Delgado e Fernanda Müller (2005) defendem relevância do estudo das vozes das crianças, pela sua potência de compreensão do mundo infantil e das suas opiniões e angústias.

Metodologia

Serão realizadas reuniões de estudo e um acompanhamento sistemático dos(as) graduandos(as) que atuarão na brinquedoteca. Todas as atividades serão planejadas com a orientação dos professores envolvidos no projeto e da preceptora Adriana Coutinho (Pedagoga do Hospital Escola da UFPel).

Indicadores, Metas e Resultados

Entre os resultados esperados, estão: a efetuação da escuta das crianças, a análise desses dados, a elaboração de atividades e brinquedos para a brinquedoteca do Hospital Escola da UFPel e a divulgação dos resultados em artigos e eventos acadêmicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA GUEDES COUTINHO
CELIANE DE FREITAS RIBEIRO
HARDALLA SANTOS DO VALLE1
JAQUELINE DE MATOS CORREA
LAIS FUNARI HARTWIG
LIVIA DA SILVEIRA LAPUENTE
LUI NORNBERG1
RAQUEL SANCHES DUTRA
SOL ANDRADE
VITOR SAQUETE RODRIGUES

Página gerada em 22/04/2024 16:30:16 (consulta levou 0.338952s)