Nome do Projeto
Comida para pensar
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
02/03/2020 - 02/10/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Nos últimos anos, observamos a amplificação da presença da comida em programas de TV, publicações e mídias sociais; a disseminação de cursos de Gastronomia; a glamourização de chefs; a ascensão de movimentos sociais centrados em práticas de produção e consumo de alimentos (agroecologia, veganismo, Slow Food, entre outros); a implantação de políticas públicas de Segurança Alimentar e Nutricional; a multiplicação de produtos voltados às inúmeras restrições alimentares, que parecem atingir parcelas cada vez mais significativas da população; a difusão de espaços de oferta de produtos orgânicos/biológicos e a valorização de produtos locais, artesanais, tradicionais. Temas críticos de nossa época estão postos à mesa: comida é, entre outras coisas, consumo, direito humano, saúde, meio ambiente, direitos animais, patrimônio. É nesse quadro que a reflexão sobre as práticas alimentares se coloca como abordagem para buscar apreender o que se passa nas sociedades contemporâneas, perspectiva que anima a presente iniciativa. Partindo da experiência de mais de uma década do Grupo de Estudos e Pesquisas em Alimentação e Cultura (GEPAC), cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq e integrado ao Laboratório de Estudos Agrários e Ambientais (LEAA) – por sua vez projeto de extensão permanente da UFPel –, a proposta deste projeto integrado consiste em articular atividades que propiciem espaços de reflexão e interlocução a estudantes em diferentes estágios de formação e originários de distintos campos disciplinares que dialogam com a temática da alimentação.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste projeto integrado consiste em, tendo por referência disciplinas regularmente oferecidas no Curso de Bacharelado em Antropologia e no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPel, articular atividades complementares que propiciem espaços de reflexão e interlocução a estudantes em diferentes estágios de formação e originários de distintos campos disciplinares que dialogam com a temática da alimentação.

Justificativa

Nos últimos anos, observamos a amplificação da presença da comida em programas de TV, publicações e mídias sociais; a disseminação de cursos de Gastronomia; a glamourização de chefs; a ascensão de movimentos sociais centrados em práticas de produção e consumo de alimentos (agroecologia, veganismo, Slow Food, entre outros); a implantação de políticas públicas de Segurança Alimentar e Nutricional; a multiplicação de produtos voltados às inúmeras restrições alimentares, que parecem atingir parcelas cada vez mais significativas da população; a difusão de espaços de oferta de produtos orgânicos/biológicos e a valorização de produtos locais, artesanais, tradicionais. Temas críticos de nossa época estão postos à mesa: comida é, entre outras coisas, consumo, direito humano, saúde, meio ambiente, direitos animais, patrimônio. É nesse quadro que a reflexão sobre as práticas alimentares se coloca como abordagem para buscar apreender o que se passa nas sociedades contemporâneas, perspectiva que anima a presente iniciativa.

Metodologia

As atividades serão realizadas como complementares a disciplinas cujas temáticas estão associadas aos estudos da alimentação, regularmente oferecidas no Curso de Bacharelado em Antropologia e no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPel, especialmente: Antropologia da Alimentação, Antropologia do Consumo e Antropologia Rural.
Ainda, ao apropriar-se e retomar iniciativas levadas a cabo em 2010 e 2014 em edições do Projeto de Ensino "Comida no Cinema", tomamos o uso de produção fílmica sobre o tema como ferramenta pedagógica complementar para no estímulo e condução das reflexões aqui propostas.

Indicadores, Metas e Resultados

Ao propor um conjunto de iniciativas integradas sob um mesmo campo temático, estimulando a reflexão sobre as práticas alimentares como abordagem para buscar apreender o que se passa nas sociedades contemporâneas, este projeto deverá possibilitar o intercâmbio entre estudantes de distintas áreas e estágios de formação, devendo resultar em melhor aproveitamento das disciplinas associadas e, de forma mais ampla, no enriquecimento de sua formação.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEF FRANCO CALDEIRA
Ana Cecília Oliveira Campos
André Souza Martinello
BRUNO GIACOMELLI DA SILVA
CARMEN JANAINA BATISTA MACHADO
Caetano Kayuna Sordi Barbará Dias
Camila Ballus
Camila Ballus
Carolina Cardoso Borges
Claudia Ribeiro
Cristiane Veeck
DANIEL VAZ LIMA
Denise Amon
EVANDER ELOÍ KRONE
Eleandra Raquel da Silva Koch
Ellen Fensterseifer Woortmann
FLOR WIENKE TAVARES
GABRIELA RICHTER LAMAS
GIANCARLA SALAMONI2
GUILHERME RODRIGUES DE RODRIGUES
GUILHERME RODRIGUES DE RODRIGUES
GUILHERME RODRIGUES DE RODRIGUES
GUILHERMO ANDRÉ ADERALDO
Graciela Froehlich
Ignacio López-Moreno
JANICE ALVES TRAJANO
Jean Segata
Joana de Oliveira Dias
Juan Sebastián González
Juli Anna Ruzzarin
LANNI LOURENCO BRAGA DA SILVA
LARISSA MATTOS DA FONSECA
LIDIANE DA SILVA HIRDES
LUCAS ANDERSON DE CARVALHO
LUCENI MEDEIROS HELLEBRANDT
Leonardo Vilaça Dupin
MARIANA GRIVOT RODRIGUES
NARA AMELIA MELO DA SILVA
NICOLE WEBER BENEMANN
NICOLE WEBER BENEMANN8
RAFAELA CARDOSO DA FONSECA
RANGEL CARRARO TOLEDO BORGES
RAPHAEL MEIRELES DE OLIVEIRA
RENATA MENASCHE15
RENATA TOMAZ DO AMARAL RIBEIRO
Raquel Rau
Raquel Rau
Régis da Cunha Belem
SARA CORADI
TAMIRES RODRIGUES SIQUEIRA
Talita Prado Barbosa Roim

Página gerada em 30/06/2022 17:11:25 (consulta levou 0.110050s)