Nome do Projeto
II PORTAS ABERTAS PARA A CIÊNCIA E A INCLUSÃO
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
16/02/2021 - 16/02/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Direitos Humanos e Justiça
Linha de Extensão
Divulgação científica e tecnológica
Resumo
Através de uma visita virtual ao Departamento de Morfologia, na qual serão divulgadas atividades e o acervo do departamento, utilizando-se de recursos de interpretação de libras e audiodescrição, este projeto tem como objetivo demonstrar para a comunidade que a ciência pode ser propriedade de todos, independente das limitações que apresentem de forma temporária ou permanente. A integração entre universidade e grupos de pessoas com deficiência, favorece a difusão do conhecimento produzido na academia e estimula a formação universitária, direcionada à inclusão social. Por isso, urge a necessidade de uma educação que amplie o entendimento, dialogando com a tecnologia e os avanços na ciência. As atividades propostas neste projeto são direcionadas também para estudantes da educação básica, considerando um contexto onde a escola não é apenas o lugar onde o conhecimento é difundido, mas também princípios como igualdade e empatia, portanto, projetos que envolvam acessibilidade e inclusão são determinantes para a criação destes valores. Os estudantes poderão também acessar informações sobre o corpo dos animais presentes na fauna local e com isto, se pretende estimular o interesse na conservação das espécies, com um cunho de educação ambiental. Dessa forma, o potencial multiplicador da proposta encontra-se tanto na qualificação da formação universitária como também, na possibilidade de que o público alvo amplie conhecimentos sobre o corpo humano e dos animais da região, e sua relação com a saúde. O formato como o evento será realizado e a parceria com outras instituições, contribuirá para multiplicar as atividades educativas propostas. Para complementar o material apresentado na primeira edição do evento Portas Abertas para a Ciência e a Inclusão, serão produzidos modelos biológicos com filamentos de PLA, em impressora 3D, de órgãos do corpo humano e animal, com sensores de legenda e áudio descrição, que poderão, ser manipulados sem o risco de dano a sua estrutura, pois o PLA consiste em um polímero termoplástico resistente. Serão também produzidos materiais osteológico, criodesidratados e adequados para estímulo tátil, na exposição que será realizada após o período de distanciamento social imposto pela pandemia de Covid-19. O acervo constituído de modelos artificiais e naturais, evidenciando as peculiaridades de cada órgão que compõe os diferentes sistemas orgânicos, assim como algumas condições patológicas, serão filmados para o evento e disponibilizados posteriormente em um local para visitação. O evento será divulgado através de contato com equipe diretiva das instituições de ensino e através da mídia escrita e televisiva em alguns municípios e através das redes sociais no restante. A avaliação do evento será realizada através do acompanhamento do alcance dos vídeos postados no You Tube, comentários dos participantes, e multiplicação dos gestores em seus municípios. A divulgação dos resultados será realizada posteriormente ao evento, através de seminários, reforçando o potencial do acervo, projetos desenvolvidos no departamento e das tecnologias assistivas, em possibilitar alternativas para a inclusão. Os seminários serão apresentados à comunidade diretiva das escolas e gestores dos municípios, assegurando a multiplicação da importância de inserirem no planejamento escolar ações de visitação aos locais no qual os modelos biológicos estarão expostos.

Objetivo Geral

Demostrar para a comunidade que a ciência pode ser propriedade de todos, independente das limitações que apresentem de forma temporária ou permanente, através de uma visita virtual ao Departamento de Morfologia na qual serão divulgadas as atividades e acervo, com interpretação em libras e audiodescrição.

Justificativa

Favorecer para a comunidade a apreensão de conhecimentos específicos acerca da morfologia dos sistemas orgânicos, possibilita reflexões sobre o processo saúde doença, para além dos fenômenos biológicos. Dessa forma, o potencial multiplicador da presente proposta encontra-se tanto na qualificação da formação universitária como também, na possibilidade de que o público alvo amplie conhecimentos sobre o corpo humano e dos animais da região, e sua relação com a saúde. A integração entre universidade e grupos de pessoas com deficiência com está nova edição, irá favorecer a difusão do conhecimento produzido na academia e, simultaneamente, estimular a formação universitária direcionada à inclusão social de pessoas com necessidades especiais.
Considerando que 90% das informações que chegam ao cérebro o fazem pela visão e que o cérebro leva apenas um décimo de segundo para assimilar uma imagem, percebemos durante a primeira edição que o ensino visual tem um enorme potencial. Na ausência da visão, a disponibilidade da audiodescrição, possibilita um mapa mental do objeto descrito e contribui para o alcance a pessoas com este tipo de limitação física. Por isso cada vez mais urge a necessidade de uma educação que amplie o entendimento, dialogando com a tecnologia e os avanços na ciência.
As atividades propostas neste projeto são direcionadas também para alunos da educação básica, considerando um contexto onde a escola não é apenas o lugar onde o conhecimento é difundido, mas também princípios como igualdade e empatia, portanto, projetos que envolvam acessibilidade e inclusão são determinantes para a criação destes valores. Nestas escolas, os alunos em formação receberão também informações sobre o corpo dos animais presentes na fauna local e com isto se pretende estimular o interesse na conservação das espécies, com um cunho de educação ambiental.
O formato como o evento será realizado e a parceria com outras instituições, contribuirá para multiplicar as atividades educativas propostas.

Metodologia

1º Ação Preparação do acervo

Para complementar o material apresentado na primeira edição do evento Portas Abertas para a Ciência e a Inclusão, serão produzidos modelos biológicos em impressora 3D, com filamentos de PLA (ácido poli láctico), de órgãos do corpo humano e animal, com sensores de legenda e áudio descrição, que poderão ser manipulados sem o risco de dano a sua estrutura, pois o PLA consiste em um polímero termoplástico resistente. Serão também produzidos materiais osteológico, criodesidratados e adequados para estímulo tátil, na exposição que será realizada após o período de distanciamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

2º Ação Filmagem e edição de vídeos

Será filmado o acervo constituído de modelos artificiais e naturais da Anatomia Humana, evidenciando as peculiaridades de cada órgão que compõe os diferentes sistemas orgânicos, assim como algumas condições patológicas. No acervo da Anatomia Animal serão filmados materiais biológicos preservados e associados a sintéticos, pertencentes a várias espécies de animais domésticos, silvestres e marinhos. Na anatomia microscópica, uma coleção de modelos, representativo das diversas fases da fecundação e lâminas histológicas, onde serão apresentadas as etapas do processamento dos órgãos, para a obtenção de lâminas histológicas. Posteriormente também será possível observar as lâminas obtidas de fatias do órgão em um microscópio virtual ou escutar sua descrição.

3º Ação: Evento II Portas Abertas para a inclusão

O evento será realizado de forma virtual e será divulgado através de contato com equipe diretiva das instituições de ensino e através da mídia escrita e televisiva em alguns municípios e das redes sociais no restante.
4º Ação: Avaliação do Evento

Avaliação do evento será realizada através do acompanhamento do alcance dos vídeos postados no Youtube, comentários dos participantes, e multiplicação dos gestores em seus municípios.
5º Ação: Divulgação dos Resultados

A divulgação dos resultados será realizada posteriormente ao evento, através de seminários, reforçando o potencial do acervo, projetos desenvolvidos no departamento e das tecnologias assistivas, em possibilitar alternativas para a inclusão. Os seminários serão apresentados à comunidade diretiva das escolas e gestores dos municípios, assegurando a multiplicação da importância de inserirem no planejamento escolar ações de visitação aos locais no qual os modelos biológicos estarão expostos.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores
Realizar atividades de divulgação e popularização da ciência, que estimulem a curiosidade científica, o raciocínio científico e a inovação; visando divulgação do conhecimento científico e tecnológico, em âmbito municipal e nacional.
Promover ações de educação, popularização e divulgação científica para diferentes tipos de público, alcançando amplos setores da sociedade, em articulação com instituições que atuam nas áreas da educação especial.
Divulgar a geração de produtos de popularização da ciência como ferramentas para a educação especial.
Apresentar resumos para três eventos nacionais e um internacional durante a vigência do projeto e submeter dois artigos para periódicos em Educação e Educação Especial.
Metas
Elaborar modelos biológicos de órgãos do corpo humano em 3D;
Elaborar modelos biológicos e sintéticos de estruturas anatômicas do corpo de animais domésticos e selvagens, incluindo os marinhos;
Ter amplo alcance na divulgação das ciências morfológicas em ambientes escolares, acadêmicos e público geral, atingindo no mínimo 30% da comunidade escolar de Pelotas e demais municípios com o evento.
Produzir resumos e artigos oriundos da experiência nas atividades de educação durante a vigência do projeto.
Resultados Esperados
Obtenção de financiamento e parcerias;
Confecção de órgãos e sistemas do corpo humano e animal em impressora 3D;
Implantação de sensores nos modelos biológicos em 3D e avalição de sua eficácia;
Eficácia dos sensores implantados nos modelos biológicos em 3D;
Publicação em Anais de Congressos Nacionais e Internacionais;
Expansão da compreensão da morfologia de órgãos e sistemas através dos modelos biológicos;
Formação de recursos humanos através da inserção de alunos de graduação no projeto;
Promoção de recursos da tecnologia assistiva para auxiliar pessoas sem ou baixa visão ou audição no reconhecimento de órgãos e sistemas;
Disseminação do evento em escolas e para gestores dos municípios;
Interatividade entre a universidade e público em geral, semelhante a que ocorreu no primeiro evento, comprovada pelo nível de acesso aos vídeos disponibilizados de forma pública no youtube.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA LUISA SCHIFINO VALENTE8
ANA PAULA NUNES4
ANDERSON FERREIRA RODRIGUES
ANELISE DA SILVA NUNES
ANELISE LEVAY MURARI
ANTONIELLI DOS SANTOS RADTKE
BRUNA MARTINS EBERHARDT
CARLOS ALBERTO ALVES TAVARES12
DANIEL HENRIQUE VIEIRA CAVALCANTE
FABIANE BELETTI DA SILVA
GUILHERME MARKUS
IZABEL CRISTINA CUSTODIO DE SOUZA4
IZADORA DA ROCHA COSTA
JOSEANE JIMENEZ ROJAS12
KEWELIN SCHIMMELPFENNIG BONATO
LAURA BEATRIZ OLIVEIRA DE OLIVEIRA4
LUCAS SCHNEIDER LOPES
LUIS AUGUSTO XAVIER CRUZ12
LUIZ FERNANDO MINELLO12
LYGIA MARIA DE ALMEIDA16
Luciane da Silva Martins
MARIA GABRIELA TAVARES RHEINGANTZ4
MARIANA DUARTE PEREIRA
MARIANA SCHNEIDER MOYSES
MARIANA SOARES VALENCA4
MARLA PIUMBINI ROCHA12
MATEUS CASANOVA DOS SANTOS12
RAFAEL GIANELLA MONDADORI4
REJANE PETER
RENATO AZEVEDO DE AZEVEDO12
ROSANGELA FERREIRA RODRIGUES8
Raymundo Carlos Ferreira Filho
SAMIR ROSA DOS SANTOS
SAMUEL DA SILVA JULIAO
SANDRA MARA DA ENCARNACAO FIALA RECHSTEINER12

Página gerada em 13/04/2021 00:28:41 (consulta levou 0.173836s)