Nome do Projeto
ALFABETIZAÇÃO EM REDE: uma investigação sobre o ensino remoto da alfabetização na pandemia Covid-19 e da recepção da PNA pelos docentes da Educação Infantil e Anos Iniciais do E.F.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
03/11/2020 - 31/08/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Este projeto investiga a política nacional de alfabetização (PNA) e, ao mesmo tempo, o ensino remoto da alfabetização durante a Pandemia Covid-19. Tem por objetivo investigar discursos e práticas de alfabetização que são produzidas neste momento da pandemia e, a longo prazo, analisar os desdobramentos da atual política nacional de alfabetização, contribuindo, deste modo, para a redefinição das políticas de alfabetização. Os dados serão produzidos e analisados a partir de uma concepção ampla de alfabetização como um processo de apropriação da linguagem escrita por meio da inserção da criança no universo da cultura escrita, que fica a cargo de instituições escolares e não escolares. Tal perspectiva não restringe a alfabetização à aquisição de uma técnica neutra ou de conhecimentos sobre o sistema de escrita alfabética. Alfabetização com suas múltiplas facetas (SOARES, 2004) ou dimensões, desde a política, bem marcada por Paulo Freire (1974), até a dimensão social e cultural aprofundada pelos novos estudos do letramento (STREET, 1984; BARTON & HAMILTON, 2000; HEATH, 1983). Optamos por uma abordagem quanti-qualitativa de pesquisa educacional que busca articular resultados de um survey junto às docentes com dados produzidos a partir de rodas de conversas com professoras selecionadas nos diferentes Estados do Brasil. Os dados qualitativos compõem-se não apenas das respostas às duas perguntas abertas do questionário, mas também de conversas virtuais com docentes a serem conduzidas pelos colaboradores integrantes deste projeto, com um roteiro pré-estabelecido com base na identificação das tendências evidenciadas no survey e de outras questões atinentes à alfabetização remota e à PNA.

Objetivo Geral

Investigar discursos e práticas de alfabetização que são produzidas neste momento da pandemia e, a longo prazo, analisar os desdobramentos da atual política nacional de alfabetização, contribuindo, deste modo, para a redefinição das políticas de alfabetização.

Justificativa

A proposta de desenvolver uma pesquisa que investiga a política nacional de alfabetização (PNA) e, ao mesmo tempo, o ensino remoto da alfabetização durante a Pandemia Covid-19 justifica-se pela necessidade de compreender o cenário educacional que se configura a partir da pandemia e das políticas educacionais que estão sendo implementadas no campo da alfabetização pelo atual governo federal e pelas secretarias estaduais e municipais de educação. A investigação se organiza a partir da necessidade de se estudar a recepção da Política Nacional de Alfabetização (pelas docentes que atuam nas redes públicas de ensino) a fim de tomar um posicionamento em relação a essa política, tendo em vista que as concepções e proposições constantes nos documentos da PNA ancoram-se em uma única matriz teórica e restringem o processo de alfabetização a determinados aspectos em detrimento de outros igualmente relevantes, bem como reduzem a dimensão metodológica a uma única abordagem. Considerando os aspectos problemáticos da referida política de alfabetização, torna-se igualmente relevante conhecermos como docentes das redes de ensino têm recebido e significado a PNA, inclusive porque os programas que dela se originam apresentam modos de abordagem da língua e procedimentos de ensino que, em tese, podem ser alardeados como soluções favoráveis ao ensino remoto, atropelando a discussão sobre a concepção de alfabetização na base dessa política. A complexidade deste momento nos remete a necessária articulação entre diferentes educadores, professores e pesquisadores em todas as regiões do país a fim de que possamos compreender e incidir nas políticas desenvolvidas pelos sistemas educacionais, bem como analisar as repercussões no trabalho docente e na formação do docente para atuar nesse momento de anormalidade da vida nacional, sempre visando contribuir com a qualidade da educação pública brasileira.

Metodologia

Optamos por uma abordagem quanti-qualitativa de pesquisa educacional que busca articular resultados de um survey junto às docentes com dados produzidos a partir de rodas de conversas com professoras selecionadas nos diferentes Estados do Brasil. A pesquisa quantitativa constitui-se de um questionário do Google forms a ser aplicado a docentes da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental até o 5 ano, composto por um conjunto de 35 perguntas, distribuídas em cinco seções: perfil profissional, formação continuada, políticas de alfabetização/documentos oficiais e ensino remoto.
A amostragem é do tipo não probabilística, por conveniência (FREITAS, et al., 2000), o que significa enviar o questionário ao maior número de professores possível, a partir do critério da facilidade de acesso a esse professor, que pode se dar por meio de redes de contato e instituições como a UNDIME, (União dos Dirigentes Municipais de Educação) sindicatos e os gestores das escolas. Com esse tipo de amostragem não se tem a pretensão de generalizar os resultados, porém, consideramos ser possível observar tendências no conjunto dos dados que podem contribuir para uma compreensão dos processos de ensino remoto na alfabetização e da recepção da PNA junto as docentes.
Os dados serão tabulados considerando-se o perfil do conjunto geral das respostas bem como a segmentação por Estado e Região. Cada grupo de pesquisa poderá fazer a tabulação, visando identificar e compreender as tendências do seu Estado, estabelecer cruzamentos entre as categorias selecionadas para análise. Além dos dados estatísticos, o questionário apresenta duas perguntas abertas sobre as expectativas dos docentes com o retorno presencial às aulas, que podem suscitar uma categorização e uma análise qualitativa das respostas segmentada por Estado.
Os dados qualitativos compõem-se não apenas das respostas às duas perguntas abertas do questionário, mas também de conversas virtuais com grupos de aproximadamente quatro docentes a serem conduzidas pelos colaboradores integrantes deste projeto, com um roteiro pré-estabelecido com base na identificação das tendências evidenciadas no survey e de outras questões atinentes à alfabetização remota e à PNA. As conversas constituem-se num espaço rico de elaboração do discurso sobre a PNA e as práticas pedagógicas desenvolvidas pelas docentes e contribuem para um aprofundamento do conhecimento sobre como a alfabetização tem se dado no contexto da pandemia, os desafios enfrentados, as estratégias construídas, os condicionamentos impostos pelas redes de ensino.
Estas conversas serão conduzidas com base na metodologia de Grupo Focal, tal como definida por Bernadete Gatti (2005), para quem o grupo focal é “uma técnica de levantamento de dados que se produz pela dinâmica interacional de um grupo de pessoas” (p. 12), podendo ser empregado “em processos de pesquisa social ou em processos de avaliação, especialmente nas avaliações de impacto” (p. 11). Powell e Single (1996, apud Gatti, 2005) descrevem o grupo focal como um conjunto de pessoas selecionadas por pesquisadores para comentar e debater um tema ou um conjunto de questões a partir de sua experiência pessoal. Esse conjunto variado de dados tem como pressuposto a ideia de que é necessário se produzir uma triangulação para uma compreensão mais holística do fenômeno investigado a partir de diferentes dados: os documentos oficiais, as tendências a serem identificadas nos questionários e a voz das docentes envolvidas com o processo de alfabetização. Destaque-se que cada grupo de pesquisa realizará sua própria tabulação dos dados do questionário por Estado como também será responsável por selecionar as professoras que participarão das rodas de conversas. Os dados em processo de análise serão discutidos coletivamente e de forma sistemática para que os contrastes entre estados e regiões sejam produzidos, compreendidos e interpretados, colaborando, assim, para uma visão aprofundada do ensino remoto na alfabetização e da recepção da PNA pelas docentes.

Indicadores, Metas e Resultados

Um primeiro elemento importante acerca dessa investigação, e que contribuirá diretamente nas pesquisas sobre a alfabetização, refere-se à própria constituição da rede de pesquisadores/as. O presente projeto conseguiu, a partir dessa investigação, reunir pesquisadores/as e envolver 29 instituições de todas as regiões do país, o que fortalece trocas de informação, conhecimentos e experiências relativas à alfabetização. Vale dizer que a criação da Alfabetização em Rede oportunizará não só este estudo com resultados diretos como os descritos a seguir. Permitirá a criação de frentes futuras que envolvam o combate ao analfabetismo e a consolidação de políticas e práticas de alfabetização no país.
Nesse sentido, a investigação potencializará como benefícios e resultados:
- Encontros com pesquisadores de diferentes instituições do Brasil e do Exterior (participação e realização de eventos);
Produção de artigos para divulgação do conhecimento produzido em periódicos nacionais e internacionais;
- Produção de capítulos de livros e livros;
- Orientação de projetos de TCC, IC, dissertações e teses;
- Oferta de palestras e/ou oficinas para secretarias municipais e estaduais de ensino e comunidade geral, de modo a divulgar e disseminar o conhecimento produzido;
- Realização de palestras, minicursos, oficinas, etc a alfabetizadores das redes públicas de ensino;
- Realização de eventos de trocas de experiências relativas aos dados da investigação de modo a fortalecer o vínculo entre as instituições parceiras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA RUTH MORESCO MIRANDA1
ANNELISE COSTA DE JESUS
EUGENIA ANTUNES DIAS3
FERNANDA ARNDT MESENBURG
GILCEANE CAETANO PORTO9
GISELE RAMOS DE LIMA
Giane Trovo Belmonte
Giovanna Allegretti
JOAO CARLOS ROEDEL HIRDES
JOÃO HENRIQUE FIGUEREDO DE OLIVEIRA
JULIANA ANDRADE LUND
MANOELA ESCOUTO SOARES
MARTA NORNBERG7
MAURO AUGUSTO BURKERT DEL PINO7
SHAIANE PIZANI SILVEIRA
SIMONE GONÇALVES DA SILVA3

Página gerada em 19/09/2021 19:36:08 (consulta levou 0.114663s)