Nome do Projeto
Eco-Estética: pesquisa e extensão em Educação Estético-Ambiental
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
16/05/2022 - 16/05/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O projeto “Eco-estética” visa ampliar e desenvolver compreensões teórico-metodológicas da práxis estético-ambiental para um aprendizado alternativo em ambientes formais e não-formais de educação, onde o interesse, a sensibilidade e a consciência ecológica de profissionais da educação, estudantes e comunidade em geral, sejam despertadas, a partir de uma perspectiva ético-estética, transversal, transcultural, transartística e transdisciplinar, em função de uma formação mais integral e humana. Especificamente objetiva-se: (a) Constituir um grupo de estudos, pesquisa e extensão da Educação Estético-Ambiental, a fim de promover a participação da comunidade na construção de conhecimentos e saberes estético-ambientais para uma educação mais integral e humana; (b) Desenvolver um aprendizado da Educação do Sensível (concreto e contínuo) junto aos alunos, professores, pesquisadores e comunidade em geral, a partir da realização de pesquisa (especialmente bibliográfica), com abordagem qualitativa, considerando textos de autores promotores da Educação Estético-Ambiental (EEA), como uma modalidade da Educação em valores, emergente nas condições da crise socioambiental contemporânea, a fim de ampliar o repertório teórico-metodológico da práxis estético ambiental; (c) No intuito de elaborar e divulgar um diagnóstico da temática, construir o conhecimento, a partir de uma concepção transversal, transcultural, transartística e transdisciplinar, com base na Educação Estético-Ambiental e experiências das escolas brasileiras e cubanas, a partir da uma meta pesquisa em: (c1) artigos, teses e dissertações, sobre a práxis estético-ambiental, publicadas de 2004 a 2022, período quando o professor Pablo René Estévez, precursor da EEA, trabalhou com esta práxis no Brasil; (c2) anais de eventos científicos e referenciais teórico-epistemológicos empregados em pesquisas com a EEA; (d) Elaborar e implementar propostas didático-pedagógicas com Educação Estético-Ambiental em contextos de educação formal e não formal, onde atuam os participantes do projeto, a fim de estimular a extensão nas áreas afins à Educação Estético-Ambiental. Como resultados, esperamos que o diálogo com o referencial teórico estudado, bem como a elaboração e implementação de propostas didático-pedagógicas com EEA contribua para o desenvolvimento de um aprendizado da Educação do Sensível (concreto e contínuo) junto aos participantes; a construção de um conhecimento a partir de uma concepção transversal, transcultural, transartística e transdisciplinar, com base na Educação Estético-Ambiental e experiências das escolas brasileiras e cubanas, entre outras; estímulo à pesquisa e à extensão nas áreas afins à Educação Estético-Ambiental na universidade e nas escolas; participação da comunidade na construção de conhecimentos e saberes e na educação integral do cidadão; socialização de conhecimentos e saberes em eventos científicos, artigos e capítulos de livros.

Objetivo Geral

Ampliar e desenvolver compreensões teórico-metodológicas da práxis estético-ambiental para um aprendizado alternativo em ambientes formais e não-formais de educação, onde o interesse, a sensibilidade e a consciência ecológica de profissionais da educação, estudantes e comunidade em geral, sejam despertadas, a partir de uma perspectiva ético-estética, transversal, transcultural, transartística e transdisciplinar, em função de uma formação mais humana e mais integral da personalidade.

Justificativa

A partir de um trabalho que reúna, em uma perspectiva estético-ambiental, as diversas áreas do conhecimento, incluindo os saberes extraescolares, em particular aqueles produzidos através do meio ambiente, a comunidade, a arte e o trabalho, “Eco-estética” se justifica pela urgência de ampliar compreensões teórico-metodológicas da práxis estético-ambiental para desenvolver um aprendizado alternativo nos espaços de educação formal e não-formal, onde o interesse, a sensibilidade e a consciência do educando sejam despertadas no sentido de que a educação (especialmente a Educação do Sensível) não inicie e termine na sala de aula, mas que faça parte da vida como um todo e seja indispensável em nossas relações conosco próprios (Eu), com os outros (EU e Outro) e com a natureza-física natural (Ambiente). Trata-se especificamente da necessidade do resgate e potenciação da sensibilidade estético-ambiental, da afetividade, do imaginário, da fantasia, do belo, para uma formação mais integral do sujeito, a partir de estudos, pesquisas e atividades e ações curriculares, extracurriculares e extra-escolares.
Neurocientificamente, o resgate das relações estéticas e estésicas nos espaços educativos, podem ser o resultado da aplicação planejada de práticas didático-pedagógicas de Educação Estético-Ambiental, como por exemplo, experiências do sensível e exercícios contemplativos que auxiliam professoras e estudantes no processo de co-criação, co-produção e cooperação dialógica para a produção de conhecimento. Em específico sobre os exercícios contemplativos, os avanços das neurociências aplicadas à educação evidenciam que pela sua realização áreas encefálicas são estimuladas, permitem a percepção do Outro através de fundamentos empáticos, o que propicia a manifestação natural da gratidão, despertando a necessidade naturalmente humana de ajudar (HAMLIN; WYNN; BLOOM, 2007). Isso permite resgatar e desenvolver nos participantes o senso de cooperação (WARNEKEN; TOMASELLO, 2007), o sentimento de pertencimento a comunidade onde vivem os participantes, bem como a coletividade. Especialmente, neste período quando uma pandemia com distanciamento controlado – por quase dois anos - mudou o modo de conviver e de se relacionar da nossa sociedade, entendemos que é necessário que nós, educadores e educadoras, empenhemo-nos no resgate das relações estéticas e estésicas que permitiram nossa humana evolução.
Práticas estético-ambientais produzem a estimulação natural de diversas áreas corticais responsáveis pela atenção com efeitos no aumento da manifestação do comportamento naturalmente calmo (MARUSAK et al. 2018). Isso ocorre porque estados de calma inibem naturalmente os estados de estresse e ansiedade (MACHADO; MELLO-CARPES. 2018). Estes são alguns dos principais fatores que dificultam a criação de vínculos, primeiro consigo mesmo e também com os demais colegas da turma, em espaços educativos.
Em suma, acreditamos que pela realização dos objetivos específicos propostos no projeto vamos conhecer e discutir aspectos teórico-metodológicos, conceituais e práticos no campo da EEA e assim, revalorizar à Educação em Valores e, em especial, à Educação Estésica e Estética, como componentes essenciais de uma educação humanista e integradora no marco de uma visão transversal, transcultural, transdisciplinar e transartística.
Com o presente projeto, buscamos suprir a necessidade de ampliar e dar continuidade à proposta estético-ambiental, de caráter transdisciplinar, desenvolvida pelo professor cubano Dr. Pablo René Estévez Rodríguez, com a participação da Coordenadora, como Projeto / Grupo Transcultural de Educação Estético-Ambiental (Eco-Estética), cadastrado no CNPq em 2009, haja vista o interesse e a integração de professores, alunos e membros da comunidade, de instituições educacionais, universidades e centros de pesquisa de Brasil, Cuba e outros países. Neste sentido, atualizamos o referido grupo de pesquisa, em 2022, cadastrando o grupo no CNPq, denominando-o “Eco-Estética: Grupo Interinstitucional e Transcultural de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Estético-Ambiental” (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5534869999571918), contando com o assessoramento do professor Dr. Pablo René Estévez Rodríguez.
Além do anterior, são antecedentes importantes:
● A fundação do Centro Latinoamericano de Educação Estética e Ambiental (CELEA) La Edad de Oro. (Universidad Central Marta Abreu de Las Villas, Villa Clara, Cuba, 1993).
● A fundação do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Estética-NUPEE. (Departamento de Educação e Ciências do Comportamento-DECC, FURG, 2002).
● A edição do libro: A Educação Estética: experiências da escola cubana (Estévez, Editora Nova Harmonia, 2003).
● Os projetos de pesquisa e ensino: “Projeto Estético Educativo de Integração Sóciocultural”. (Colégio Estadual Lemos Júnior e NUPEE-FURG, 2002); “A Educação Estética na passagem para o Século XXI nas escolas da cidade do Rio Grande” (NUPEE-FURG, 2002-2003); “Educação Estético-Ambiental como proposta pedagógica” (2017) e “A Educação Estético-Ambiental nos cursos de graduação da Universidade Federal do Pampa (EEAUNIP, 2018)”. (Pró-reitoria de Graduação, UNIPAMPA).
O desejo de continuidade é reforçado através da parceria com universidades da Região Sul do Brasil, como a UNIPAMPA, a FURG e o CAVG, com o Centro de Pesquisa e Promoção Cultural-CIPC de Villa Clara (Cuba), com o Centro Provincial de Superação para a Cultura “Ángel Román González Borrell” de Villa Clara (Cuba), com a Universidade Central Marta de Las Villas e com o próprio professor e pesquisador Dr. Pablo René Estévez Rodríguez.

Metodologia

A primeira ação deste projeto consiste na constituição de um grupo de professores e pesquisadores da área da educação, que desejem compreender mais e, assim, busquem criar e desenvolver práxis de educação estético-ambiental; ou seja práticas, saberes, conhecimentos e metodologias de caráter pedagógico, destinadas a enriquecer o relacionamento emocional das pessoas com o nosso meio ambiente, por assumir que é “sobre a base emocional desenvolvida pelo indivíduo em relação à realidade circundante onde também se desenvolvem, fundamentalmente, as atitudes, posturas e princípios com relação às pessoas e demais seres vivos, fenômenos e também objetos” (TERRA SILVEIRA, SALOMÃO DE FREITAS, ESTÉVEZ, 2020, p.33). Concordamos com Guedes Pinto para quem, "caso se objetive a mudança social e estrutural é necessário constituir grupos instrumentais estratégicos para o desenvolvimento. Grupos que sejam capazes de analisar criticamente uma situação, determinar problemas e ordená-los segundo sua prioridade" (GUEDES PINTO, 1987 apud DUQUE-ARRAZOLA; THIOLLENT, 2014, p. 267). Os integrantes do grupo se reunirão de modo remoto e também presencial, em Rodas de Conversa e Círculos de Estudo.
Após, vamos elencar, dentre as 12 obras a seguir, o estudo de, pelo menos 6, para leitura com estudo sistematizado em ficha de acompanhamento nas quais indicaremos: temas, objetivos, resumo das partes dos textos e comentários, sobre aplicabilidade dos conhecimentos apreendidos. As obras a serem estudadas são:
1. La Educación Estético-Ambiental. Una necesidad de la sociedad contemporánea. 150 p. Pablo René Estévez
2. La sensibilización estético-ambiental. Técnicas y dinámicas de sensibilización para escolares, estudiantes y profesores. 242 p. Lurima Estevez Alvarez
3. La Educación Estético-Ambiental: fundamentos, saberes y prácticas. 150 p. Dossiê da revista Ambiente & Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da FURG, 2022.
4. Por las leyes de la belleza. 151 p. Pablo René Estévez. Editorial Universitaria “Félix Varela”, 2019.
5. La Educación Estético-Ambiental. 250 p. Lurima Estevez Alvarez. Editorial Universitaria “Félix Varela”, 2019
6. La Educación Estética en la perspectiva transdisciplinaria. 145 p. Pablo René Estévez e Lurima Estevez Alvarez. Editorial Universitaria “Félix Varela”, 2018.
7. Los desafíos de la educación. 120 p. Pablo René Estévez
8. Los colores del arco iris. 85 p. Pablo René Estévez, Editorial Pueblo y Educación, 2011. Reimpresso em 2015 e 2016.
9. Educando en Brasil. 115 p. Pablo René Estévez
10. Hacia una estética de la convivencia. 122 p. Pablo René Estévez. Editorial Universitaria “Félix Varela”, 2017.
11. Enseñar a sentir. 112 p. Pablo René Estévez. Editorial Pueblo y Educación, 2015.
12. Educar para el bien y la belleza. 93 p. Pablo René Estévez. Editorial Pueblo y Educación, 2011. Reimpresso em 2015, 2016 e 2017.
Após, realizaremos uma revisão sistemática da literatura em relação à Educação Estético-Ambiental, definindo as palavras-chave a serem inseridas juntamente de operadores booleanos nos portais e periódicos de pesquisa, a fim de retornar os artigos, dissertações e teses de maior relevância. As palavras-chave empregadas serão utilizadas nos idiomas português, inglês e espanhol, devido a grande maioria dos artigos serem publicados nestas línguas, inclusive a grande maioria dos artigos nacionais de maior relevância. As bases de dados selecionadas serão Scielo, CAPES, Scopus, ScienceDirect e as bases de dados de dissertações e teses da Universidade Federal do Rio Grande, Universidade Federal do Pampa. Após a leitura dos resumos dos trabalhos, selecionaremos aqueles coerentes com a meta pesquisa a ser realizada, ou seja, “pesquisas sobre pesquisas, realizadas com o objetivo de melhorar as pesquisas sobre um determinado campo, tema ou área de investigação” (MAINARDES et al. 2021), a fim de mapear e discutir aspectos teórico-metodológicos, conceituais e práticos de pesquisas com Educação Estético-Ambiental.
Ademais da pesquisa bibliográfica realizada, propomos enquanto pesquisa-ação-participante (DUQUE-ARRAZOLA; THIOLLENT, 2014), elaborar e implementar propostas didático-pedagógicas com Educação Estético-Ambiental em contextos de educação formal e não formal, onde atuam os participantes do projeto, a fim de estimular a extensão nas áreas afins à Educação Estético-Ambiental. A partir dos conhecimentos produzidos, com a pesquisa bibliográfica realizada e contando com experiências do sensível e de sensibilização estético-ambiental já desenvolvidas e publicizadas em livro, pelos proponentes do projeto (FREITAS, Diana Paula Salomão de, et al. Experiências didático-pedagógicas com Educação Estético-Ambiental na formação acadêmico-profissional.1.ed. Veranópolis: Diálogo Freiriano: 2020), vamos elaborar e implementar práticas estético-ambientais, incluindo exercícios contemplativos, por entender que os espaços educativos, formais e não-formais, são espaços privilegiados para cultivamos a compaixão e outros valores humanos que contribuem para a manutenção e o resgate da sustentabilidade estética do homem; a sustentabilidade da nossa condição humana de sentir empatia, compaixão, bondade e altruísmo, dentre outros valores que nos mantiveram convivendo. Cada prática terá duração e metodología próprias, a serem sistematizadas e divulgadas no final do projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Como resultados, esperamos a constituição de um grupo de estudo, pesquisa e extensão considerando o diálogo e a reflexão sobre valores humanitários, proporcionando, sobretudo, felicidade e bem-estar aos participantes.
A construção de um conhecimento a partir de uma concepção transversal, transcultural, transartística e transdisciplinar, com base na Educação Estético-Ambiental e experiências das escolas brasileiras e cubanas, dentre outras; estímulo à pesquisa e à extensão nas áreas afins à Educação Estético-Ambiental na universidade e nas escolas;
A participação da comunidade na construção de conhecimentos e saberes e na educação integral do cidadão;
A elaboração e implementação de propostas didático-pedagógicas com EEA para o desenvolvimento de um aprendizado da Educação do Sensível (concreto e contínuo) junto aos participantes e assim, o desenvolvimento da calma e da tranquilidade. Também queremos influenciar positivamente as relações nos espaços educacionais propiciando uma melhor integração entre os estudantes e as professoras.
Finalmente, esperamos que este projeto possa se constituir como um espaço de diálogo e reflexão sobre valores humanitários e proporcione felicidade e bem-estar aos participantes, bem como a socialização de conhecimentos e saberes em eventos científicos, artigos e capítulos de livros.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALANA DO AMARAL PETY
CASSIANA SILVA DE FREITAS
DANIELLE MÜLLER DE ANDRADE
DIANA PAULA SALOMÃO DE FREITAS2
EDSON PONICK1
Elena Maria Billig Mello
FABIANA CELENTE MONTIEL
Giselle Xavier Perazzo
JACKSON LUIS MARTINS CACCIAMANI
JANAÍNA PAIVA ZANETTI
JAQUELINE LAKMAN ALMEIDA
JORDANA BELEM RODRIGUES
JULIANA DANIEL RIBEIRO
JULIANA DANIEL RIBEIRO
KELLY SOUZA DE LIMA
Lurima Estevez Alvarez
MARTA NORNBERG
Maria Clara Ferreira Machado
Pablo Rene Estevez Rodriguez
Rafael Blank Leitzke
Ronan Moura Franco
Rui Seabra Machado

Página gerada em 14/07/2024 01:00:14 (consulta levou 0.400465s)