Nome do Projeto
Valorização do resíduo da colheita de Ilex paraguariensis através da aplicação em alimentos
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/10/2020 - 30/09/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
O resíduo de poda da colheita de Ilex paraguariensis é gerado no montante de 2 a 5 toneladas por hectare e, até o momento, é inexplorado comercialmente. Estudos preliminares evidenciaram elevada concentração de compostos fenólicos no resíduo. Este projeto tem como objetivo promover conhecimento científico a respeito da composição química do resíduo de poda da colheita de Ilex paraguariensis e estudar potenciais aplicações deste em alimentos. O projeto apresenta quatro ações de pesquisa que permitirão elucidar a composição química do resíduo, obter um extrato comestível, avaliar sua atividade biológica, investigar a estabilidade, bioacessibilidade e biodigestibilidade do extrato encapsulado e aplicado em produtos forneados, avaliar os efeitos da adição do resíduo à ração de aves sobre a qualidade da carne (frangos de corte) e de ovos (galinhas poedeiras) e quanto ao desenvolvimento das aves, além de pesquisar a atividade antioxidante sobre a ação de escurecimento enzimático durante o processamento de frutas. Os conhecimentos adquiridos durante a execução do projeto de pesquisa serão integrados a duas atividades de extensão e ações de ensino. Através destas frentes, temos a meta de gerar dados científicos que valorizem o uso do resíduo e proporcionem incremento nutricional e funcional aos alimentos, além de socializar conhecimentos com vários setores da comunidade e incentivar a prática do ensino.

Objetivo Geral

Promover conhecimento científico a respeito do resíduo de poda da colheita de Ilex paraguariensis e seus efeitos em alimentos, assim como associar os conhecimentos adquiridos durante a execução da pesquisa com ações de ensino e extensão.

Justificativa

A exploração integral dos recursos naturais, bem como o desenvolvimento de alimentos enriquecidos nutricionalmente e funcionalmente tem merecido atenção especial dos órgãos de pesquisa e da sociedade em geral. A Ilex paraguariensis, popularmente conhecida como erva-mate, é empregada no processamento de erva-mate, chá mate, erva para tererê, bebidas e cosméticos, dentre outros. Tais produtos são obtidos utilizando-se apenas as folhas e talos com diâmetros menores que 10 mm. Por isso, durante a colheita são gerados resíduos (talos grossos com diâmetro maior que 10 mm) que tangem de 2 a 5 toneladas por hectare a cada colheita. Até o momento, tais resíduos são empregados apenas na adubação ou produção de energia em caldeiras, o que representa baixo rendimento, tanto para os agricultores quanto para a indústria ervateira.
Estudos recentes evidenciaram que o resíduo apresenta concentração substancial de compostos fenólicos. Tais compostos já foram associados, em diversas pesquisas, com efeitos benéficos à saúde humana devido à elevada atividade antioxidante. Além disso, foram confirmadas outras atividades, como efeito anti-inflamatório, efeitos benéficos no metabolismo da glicose, inibição de células tumorais, atividade hepatoprotetora e capacidade de modificar o metabolismo lipídico, resultando no aumento dos níveis de HDL e redução de LDL. A hipótese é que os compostos presentes neste resíduo agrícola possam ser empregados em alimentos, favorecendo a obtenção de produtos com melhor qualidade nutricional e funcional.

Metodologia

Os experimentos de pesquisa serão realizados nos laboratórios do Departamento de Ciência e Tecnologia Agroindustrial e Departamento de Biotecnologia da UFPel (análises bromatológicas, análises cromatográficas, estudos de otimização multivariada, encapsulamento e desenvolvimento de formulações), em parceria com o Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal da Fronteira Sul (contribuição nos experimentos de encapsulamento), Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Escola Superior Luiz de Queirós da Universidade de São Paulo (ensaios de bioacessibilidade e biodisponibilidade), Departamento de Zootecnia da Universidade do Estado de Santa Catarina (parte experimental das aves e ensaios bioquímicos) e Departamento de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da Universidade Federal de Santa Maria (contribuição nos ensaios em frações apolares da carne e ovos). Cada ação de pesquisa possui metodologia específica descrita nas ações e planejadas pela equipe de trabalho que é composta de profissionais com elevado reconhecimento nas áreas de atuação do projeto.
As ações de extensão (cursos) serão estruturados em etapas: 1) Realização de pesquisa sobre as necessidades das agroindústrias, sindicatos, associações, laboratórios e comunidade em geral a cerca sobre dos temas com maior interesse (como métodos bromatológicos, instrumentais, preparo de amostra, validação, otimização multivariada, dentre outros); 2) Organização dos cursos, divulgação e recebimento das inscrições; 3) Estruturação do material didático e material para aulas práticas; 4) Execução dos cursos com metodologia interativa para promover a troca de conhecimentos entre os participantes; 5) Avaliação do curso por parte dos participantes e organizadores.
As ações de ensino serão realizadas através das etapas: 1) Estudo sobre o tema em grupo; 2) Organização do plano de aula; 3) Elaboração de material didático e áudio-visual; 4) Participação da aula propriamente dita; 5) Avaliação das atividades desenvolvidas por parte dos alunos das turmas e do discente participante do projeto de ensino.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores: Publicações em revistas científicas; números de pessoas participantes dos cursos; número de orientados de Pós-graduação e de iniciação científica e participação dos discentes em aulas de graduação e/ou pós-graduação.
Metas: Redação de 5 artigos, defesas de 2 Dissertações de Mestrado, defesa de 1 Tese de Doutorado, orientação de 2 projetos de iniciação científica, realização de 2 cursos de extensão e 6 participações dos discentes em aulas de graduação e/ou pós-graduação.
Resultados:
Proporcionar conhecimento científico para valorizar o resíduo da poda de colheita de Ilex paraguariensis, aplicar o resíduo em alimentos, realizar ações de incentivo à docência e atividades de socialização de conhecimentos entre universidade e demais setores da comunidade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA DILLENBURG MEINHART16
ALEXANDRE LORINI
ALVARO RENATO GUERRA DIAS2
Aleksandro Schafer da Silva
BRUNA TRINDADE PAIM
ELESSANDRA DA ROSA ZAVAREZE4
GINIANI CARLA DORS4
Helena Teixeira Godoy
LAURA DE VASCONCELOS COSTA
ROSIANE VERGARA LEMOS
Roger Wagner
Severino Matias de Alencar
Tatiane Jéssica Siebeneichler
VANESSA GALLI7
VANIA ZANELLA PINTO
WLADIMIR PADILHA DA SILVA2

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
FAPERGS / Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado Rio Grande do SulR$ 24.700,00Coordenador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 46.000,00Coordenador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 1.348,08Coordenador

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339033 - Passagens de Despesas de LocomoçãoR$ 2.300,00
339030 - Material de ConsumoR$ 19.927,87
339014 - Diária Pessoa CivilR$ 700,00
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 3.120,21

Página gerada em 27/05/2022 22:59:19 (consulta levou 0.109245s)