Nome do Projeto
Avaliação e descrição da anatomia macroscópica e histologia das vísceras e demais componentes corpóreos de animais silvestres do NURFS-CETAS/UFPEL oriundos de necroscópica e/ou biópsias.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
04/01/2021 - 03/01/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
O presente projeto têm a finalidade de assegurar a destinação racional de materiais biológicos oriundos de animais que sofreram óbito no NURFS/CETAS-UFPEL sendo continuidade das ações já desenvolvidas desde o ano de 2004. Os materiais biológicos são destinados para estudos e pesquisas nas áreas de Anatomia, Histologia e Biologia Celular do Departamento de Morfologia, assim como, servem de subsídios para estudos de bem-estar animal silvestre junto ao ZOOPREC/FAEM. Serão realizadas descrições anatômicas macroscópicas e histológicas da organografia destes animais com o objetivo de seu conhecimento e divulgação, uma vez que, os conhecimentos disponíveis sobre o tema são cada vez mais necessários para o conhecimento dessa fauna buscando sua preservação e cuidados biológicos, zootécnicos e médico-veterinários. Os resultados serão divulgados em periódicos especializados, congressos e similares devendo servir para a continuidade da elaboração da histoteca, museu e coleção anatômica e materiais digitais que serão utilizados no ensino de graduação e pós-graduação, devendo também servir de subsídios a melhoria na manutenção dos espécimes em cativeiro ou mesmo para sua reintegração, além de ações de extensão.

Objetivo Geral

O objetivo principal do presente é a continuação do estudo anatômico macroscópico e Histologia do organismo de espécimes pertencentes a fauna silvestre brasileira e selvagem ingressados no NURFS-CETAS/UFPEL incorporando-os às coleções da área existentes no Departamento de Morfologia e servindo as atividades de pesquisa e ensino.
Outros objetivos decorrentes desse principal são:
- Seguir implantando e fortalecendo o grupo de trabalho de docentes e servidores técnico-administrativos do Departamento de Morfologia ligados a área de Biologia Celular, Histologia, Anatomia Humana e Animal e Anatomia do Desenvolvimento na execução de estudos da anatomia macroscópica, do desenvolvimento e histologia de animais silvestres/selvagens;
- oportunizar estágios e atividades de pesquisa, monitoria e ações similares a acadêmicos dos Cursos de Graduação atendidos pelo Departamento enriquecendo e diversificando sua formação (Medicina, Medicina Veterinária, Odontologia, Ciências Biológicas Bacharelado e Licenciatura, Química Forense, Enfermagem, Zootecnia e Nutrição) e pós-graduação (Residência Médica em Medicina Veterinária);
- interagir com os grupos de pesquisa, extensão e prestação de serviços que atuam no NURFS-CETAS/UFPEL, aproveitando as infraestruturas disponíveis e os recursos humanos da Unidade;
- Preparar material didático para ser utilizado em salas de aulas práticas do Departamento para cursos de capacitação, de extensão, graduação e pós-graduação;
- Elaborar material para publicação e/ou divulgação para disseminação dos conhecimentos adquiridos, sociabilizando-os;
- Oportunizar a discentes, docentes e técnicos envolvidos no projeto a vivência da experimentação científica, aplicação dos conhecimentos da área específica e a construção de sua estrutura curricular não obrigatória com a publicação de material científico, entre outros aspectos

Justificativa

Atualmente os recursos naturais em especial a fauna silvestre (selvagem) brasileira têm sido foco de atenção no Brasil e no mundo, pois, há necessidade da preservação dos biomas para que exista um futuro possível à humanidade, como por exemplo, o retraso do efeito estufa, dentre muitos outros. Recentemente os incêndios que atingiram o pantanal brasileiro deixaram em evidência a ação de equipes para a salvação de animais queimados ou em situações de risco. Novas terapias foram aplicadas na recuperação desses animais que foram originadas de pesquisas realizadas a partir do conhecimento da biologia dessas espécies. Dentre os aspectos fundamentais para a compreensão da fisiologia há a necessidade do conhecimento anatômico (macroscópico e histológico), assim como da ontogenia desses animais. Esse conhecimento permite o desenvolvimento de técnicas e procedimentos que restabeleçam a homeostasia dos organismos e, consequentemente, seu bem-estar. Como o NURFS-CETAS recebe animais de nossa fauna e exóticos para atendimento e destinação, ocorre que alguns em função do seu estado sanitário precário vem a óbito. Desse modo, o presente estudo se propõem a utilização desse material dando-lhe uma destinação racional e nobre buscando o conhecimento da anatomia desses espécimes e, assim, fornecendo com esses dados da pesquisa básica a possibilidade de sua utilização para o desenvolvimento de procedimentos, técnicas e outras ações visando a preservação dessa fauna. Sendo assim, se racionaliza o escasso recurso existente sem a necessidade de sacrificar animais para o conhecimento de sua anatomia, o que, na atualidade não pode mais ser vislumbrado como possível dentro da normalidade. Esses aspectos justificam a continuidade da presente pesquisa.

Metodologia

Animais
Serão utilizados animais pertencentes a fauna silvestre brasileira provenientes do Núcleo de Reabilitação de Fauna Silvestre (NURFS)/UFPEL, com a autorização do IBAMA/SEMA e registro SisGen. Os animais que serão utilizados terão procedência de eutanásias com indicação Médico Veterinária, e de necropsias, enquanto que, algumas vísceras e fluídos corpóreos poderão ser oriundas de biópsias ou procedimentos médico-veterinários de rotina no Órgão.. O "n" da amostra irá variar em função da disponibilidade encontrada no NURFS-CETAS/UFPEL, sendo, em geral, analisados dados não paramétricos e observada a tendência internacional de redução da amostragem e sua racionalização em especial, no presente caso, que trata de animais sob proteção federal.
As eutanásias, necropsias e biópsias serão realizadas observando a legislação vigente para o manejo adequado das espécies com a o objetivo de coletar suas amostras. As necropsias serão realizadas por profissional Médico Veterinário e devidamente documentada através de registro fotográfico. Sempre que necessário antes da coleta das amostras a área de incisão e de coleta será desinfetada utilizando PVPI. Quando possível, será realizada previamente a coleta de sangue pré-eutanásia pela metodologia de punção de vasos ou cardíaca, estando o animal devidamente contido e anestesiado, observando-se o seu bem-estar. Após o sangramento do animal, a coleta da amostra de sangue será recolhida em EDTA ou similar, evitando sua coagulação. Também poderá ser realizada sua sorologia e esfregaços. Todo o material biológico que for disponibilizado dos animais, será recolhido em frasco devidamente rotulados e fixado em BOUIN ou Formaldeído a 10%. O material será conduzido aos laboratórios de Anatomia Animal (Campus Universitário do Capão do Leão), Anatomia Humana, e de Citologia, Histologia e Anatomia do Desenvolvimento do Departamento de Morfologia (LCHAD/DM) (Campus da Faculdade de Medicina - Fragata) para preparo, descrição e destinação para ensino, pesquisa e extensão.
O processamento das amostras seguirá a rotina executada pelo laboratório, sendo repassadas a outros frascos contendo solução de formaldeído a dez por cento (10%), sendo posteriormente, processadas pela técnica de rotina em parafina com coloração hematoxilina e Eosina no caso da Histologia e por dissecção e técnicas distintas de preparo para manejo e exposição (como pro exemplo, criopreservação, plastinagrem, etc.) na Anatomia Animal. As vísceras se não foram previamente pesadas, serão pesadas e a seguir medidas. A seguir serão coletadas amostras de fragmentos dos órgãos em estudo (dimensões 2 x2 cm) que serão fixados em formaldeído a dez por cento (10%), sendo os frascos de coleta devidamente rotulados no caso específico da histologia. Essas peças serão processadas pela técnica de rotina parafina com coloração Hematoxilina e Eosina para padrão e morfologia celular.
A. Preparar fragmento de tecido em estudo procedente de biopsia ou necropsia (fragmento 2 x cm) e mesmo eutanásias
B. Fixar em formol 10% ou Bouin
C. Desidratar em concentrações crescentes de álcool
D. Diafanizar em xilol
E. Incluir em parafina ou paraplast® montando blocos
F. Fixar o bloco e cortar em microtomia com cortes seriados de sete micrômetros
G. Fixar em lâmina histológica utilizando meio gelatinoso ou albumina
H. Reidratar começando com xilol e bateria decrescente de álcool até água
I. Corar com hematoxilina
J. Lavar em água corrente
K. Corar com eosina
L. Lavar em água corrente
M. Desidratar para montagem em bateria ascendente de álcool seguida de xilol até xilol para montagem
N. Montar com lamínula e entelan® ou bálsamo do Canadá
O. Secar e realizar a leitura
Após a leitura as lâminas serão medidas utilizando-se lamínula marcador milimetrada, fotografadas e dimensionadas em conjunto através da utilização do software SCIO-IMAGE®. Os achados morfoscópicos macroscópicos e histológicos serão cruzados entre si e os resultados avaliados com programa estatístico não paramétrico, quando for o caso. A anatomia macroscópica será realizada através da dissecção, sua descrição e registro fotográfico sendo as peças preservadas em formaldeído a 10% ou por criopreservação, dentre, outros métodos utilizados pelos técnicos e docentes do Departamento de Morfologia.
Os resultados serão organizados e preparados para sua publicação em periódico da área, sendo os protocolos estabelecidos disponibilizados aos interessados.
Poderão nos casos em que se fizer necessário ser utilizadas outras técnicas de fixação, preparação (como congelamento, por exemplo) e coloração. Os materiais resultantes serão destinados a Histoteca da área de Biologia Celular e Histologia, a Coleção de Anatomia do desenvolvimento e a de Anatomia de Animais domésticos, de produção e silvestres/selvagens.

Indicadores, Metas e Resultados

Os indicadores estarão diretamente relacionados a disponibilidade dos materiais biológicos (carcaças ou partes delas e fluídos corpóreos), sendo que, a partir desse material destinado pelo NURFS é esperado que sejam:
- produzidos laminários para a histoteca do DM/IB
- preparados esqueletos e, mesmo animais para visualização da sua anatomia em geral
- apresentados resultados de novas descrições da anatomia macroscópica e histológica específica desses animais da fauna silvestre brasileira
- criados instrumentos para sua divulgação e utilização em atividades de ensino e extensão
- produzidos resumos, resumos expandidos e artigos com os dados obtidos permitindo sua divulgação
Como indicadores positivos espera-se que sejam disponibilizados materiais suficientes para atingir as metas de publicação de pelo menos, 3 trabalhos científicos em periódicos reconhecidos, 4 resumos em congressos e a possibilidade de um relatório sobre os achados que possa originar um e-book, assim como a disseminação dos resultados nas páginas do IB, DM e NURFS.
Dentre os resultados esperados estão a descoberta de novos dados sobre a morfologia desses animais que permitam melhorar a compreensão de sua biologia e a disponibilidade dos mesmos para estudos especializados em outras áreas, como a fisiologia, patologia, radiologia, métodos diagnóstico complementares, manejo e bem-estar animal,dentre tantas possibilidades.

Página gerada em 25/09/2021 12:52:34 (consulta levou 0.264529s)