Nome do Projeto
NÚCLEO DE FOLCLORE DA UFPEL - NUFOLK
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
05/02/2017 - 30/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Educação
Linha de Extensão
Patrimônio cultural, histórico e natural
Resumo
O Núcleo de Folclore da UFPel - NUFOLK é um projeto de extensão universitária do Centro de Artes que foi criado em 2010 e se caracteriza por oportunizar a vivência, investigação, promoção, educação e difusão das artes populares e do folclore por meio de diferentes estratégias, parcerias e possibilidades de inserção comunitária e que fomenta e desenvolve também o intercâmbio cultural com agentes e coletivos locais e com organizações do Brasil e exterior, bem como atua em prol da valorização da cultura popular nacional na sua perspectiva de patrimônio cultural imaterial. O NUFOLK configura-se como um projeto complexo que tem se consolidado como referência através das distintas iniciativas que lidera e participa, desempenhando papel importante como articulador das pautas inerentes à cultura popular, o que ocorre por meio de iniciativas de democratização de acesso e descentralização como oficinas, cursos, aulas abertas, worshops, palestras, webconferências, entre outras múltiplas atividades e eventos diversos, dentre os quais se destaca a Semana do Folclore, realizada anualmente em Agosto. Como forma de fortalecer e ampliar o trabalho extensionista do NUFOLK e qualificação de sua atuação junto aos públicos com os quais atua e poderá atuar, o projeto trabalha em parceria com outros segmentos acadêmicos como o Laboratório de Artes Populares Integradas - LAPIS (projeto de ensino), o Festival Internacional de Folclore e Artes Populares de Pelotas - FIFAP (evento de extensão) e o Observatório de Culturas Populares (grupo de pesquisa), entre outros, além da interlocução com disciplinas acadêmicas do currículo obrigatório e complementar, articulando o trinômio ensino-pesquisa-extensão, e instituições parceiras de dentro e fora de Pelotas.

Objetivo Geral

Geral: Vivenciar, investigar, promover, descentralizar e difundir as manifestações populares e folclóricas, estimulando a tolerância às diferenças, o intercâmbio entre etnias e culturas, o desenvolvimento da autoestima cidadã e a noção de pertencimento coletivo, bem como a cooperação pela paz e o protagonismo dos coletivos culturais marginais e em situação de vulnerabilidade. Específicos: Ampliar e consolidar o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Folclore da UFPEL - NUFOLK; Aprofundar o trabalho de investigação e vivências práticas do folclore, mediante espaço de formação complementar e atuação comunitária para os alunos da universidade; Qualificar o espaço para a apropriação e produção de conhecimento em folclore, na perspectiva de sua expressão na contemporaneidade (estilização, projeção e parafolclore); Promover o intercâmbio cultural mediante a realização de eventos, atividades sistemáticas e viagens; Estimular a preservação do patrimônio cultural imaterial nacional; Estreitar laços com a comunidade universitária e comunidade regional a partir da realização de diversas atividades artísticas e educativas; Intensificar o trabalho pedagógico em torno das temáticas folclóricas junto a instituições formais e ambientes não-formais de ensino; Aprimorar a articulação com coletivos culturais, grupos étnicos e mestres da cultura popular, valorizando o conhecimento folclórico por eles produzido e articulando-o com o conhecimento acadêmico da universidade com vistas ao registro e difusão de tais aspectos, percebendo possibilidades de diálogo e uso de diferentes tecnologias de comunicação e informação - TICs; Aumentar o acervo do NUFOLK, disponibilizando-o para consultas e pesquisas por interessados de dentro e fora da UFPel; Manter e aprofundar as parcerias já estabelecidas, bem como dar continuidade e qualificar as ações e eventos que vem acontecendo desde 2010.

Justificativa

Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, emitida pela Comissão Nacional de Folclore em 1951 e relida em 1995, "o folclore é o conjunto das criações
culturais de uma comunidade, baseado nas suas tradições expressas individual ou coletivamente, representativo de sua identidade social". Neste sentido, constituem-se como fatores de identificação da manifestação folclórica a aceitação coletiva, tradicionalidade, dinamicidade e funcionalidade. Assim, compreende-se que há, como preconiza a UNESCO, sintonia entre folclore e cultura popular. Ainda, segundo a Carta: "Sendo arte integrante da cultura nacional, as manifestações do folclore são equiparadas às demais formas de expressão cultural, bem como seus estudos aos demais ramos das Humanidades. Conseqüentemente, deve ter o mesmo acesso, de pleno direito, aos incentivos públicos e privados concedidos à cultura em geral e às atividades científicas. No que se refere à importância da pesquisa sobre o folclore, a Carta considera: 1. A pesquisa em folclore pede, na atualidade, um reaparelhamento metodológico dos pesquisadores, combinando os procedimentos de investigação e de análise provenientes das diversas áreas das Ciências Humanas e Sociais. 2. A pesquisa folclórica produtiva será aquela que constituir avanço teórico na compreensão do tema e em resultados práticos que beneficiem os agrupamentos estudados, objetivando também a autovalorização do portador e do seu grupo quanto à relevância de cada expressão, a ser preservada e transmitida às novas gerações.
3. Recomenda-se o desenvolvimento de programas de pesquisas integradas, regionais e nacionais, sobre temas específicos, com metodologias comuns, com o objetivo de propiciar estudos comparativos. 4. Recomenda-se, como metodologia de pesquisa, atuação participativa, integrando pesquisador e pesquisado em todas as etapas de apreensão, compreensão e devolução dos resultados da pesquisa à comunidade. 5. Recomenda-se a organização de núcleos de
pesquisas científicas e multidisciplinares."
Compreendendo tal necessidade de pesquisar, registrar e divulgar as manifestações folclóricas da cultura nacional, bem como promover o intercâmbio cultural, acredita-se que a Universidade Federal de Pelotas tem condições de assumir um papel protagonista nesse cenário, o que justifica a continuidade do presente projeto de extensão e a conseqüente manutenção do Núcleo de Folclore da UFPEL - NUFOLK.
Além destes aspectos mencionados, entendem-se como aspectos que justificam o presente projeto os seguintes:
- ampliação e consolidação das ações desenvolvidas desde 2010;
- fortalecimento da articulação com projetos, programas, cursos e unidades dentro da UFPel;
- configuração do Núcleo de Folclore da UFPel - NUFOLK como ambiente formativo complementar para os discentes da instituição, permitindo-lhes aprofundamento com as temáticas folclóricas e relação direta com distintos espaços da comunidade;
- qualificação da inserção comunitária dentro e fora de Pelotas, a partir das ações contínuas e das novas ações;
- necessidade de manutenção de um espaço de referência para a abordagem das pautas folclóricas na instituição;
- atendimento continuado da comunidade, que já procura o NUFOLK para replicar ações ou solicitar novas atividades;
- o interesse e abordagem do trabalho do Núcleo de Folclore da UFPel em torno das culturas populares marginais;
- continuidade da articulação entre extensão, pesquisa e ensino que é fomentada pelo Núcleo de Folclore junto a segmentos parceiros como o Observatório de Culturas Populares (grupo de pesquisa) e o Laboratório de Artes Populares Integradas (LIFE-LAPIS-Dança - projeto de ensino);
- sintonia com a proposta institucional de inclusão e respeito à diversidade, bem como sua política de internacionalização e condição geográfica fronteiriça;
- consonância com os princípios e parâmetros dos Projetos Pedagógicos dos Cursos envolvidos;
- momento singular de recepção, por parte da universidade, de alunos e servidores provenientes de diversos lugares do país e mesmo do exterior;
- fortalecimento da atuação da universidade no cumprimento da Lei nº 11.645, de 10 Março de 2008, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”; e
- protagonismo e compromisso da UFPel no cumprimento dos termos preconizados pela Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO - 2003), quando da Convenção para Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, da qual o Brasil é signatário.

Metodologia

Cabe explicar que a metodologia de trabalho do Núcleo de Folclore da UFPel - NUFOLK pode ser entendida como organizada/dividida duplamente, ou seja, compreendida em pelo menos duas frentes de atuação: uma geral e contínua, relativa à atuação permanente do projeto, e a outra específica, de acordo com cada ação ou evento que é desenvolvido durante o ano.

Neste sentido, vale esclarecer que o NUFOLK atua em uma sala localizada junto ao Prédio UFPel da antiga AABB (Rua Alberto Rosa, nº 580) e ali desenvolve algumas de suas atividades, recebe a comunidade e concentra o seu acervo para consulta por parte de interessados de dentro e fora da universidade.

Sobre as duas metodologias de trabalho mencionadas, detalhamos o seguinte:

1) as atividades permanentes se configuram mediante encontros semanais onde os diferentes participantes envolvidos (coordenação, professores e técnicos colaboradores, alunos bolsistas e monitores voluntários, convidados, etc.) desenvolvem atividades como leituras, produção textual, planejamento estratégico, manutenção do acervo, acesso e resposta de e-mails, atualização e manutenção da página web do NUFOLK, orientação e supervisão dos discentes, escrita de trabalhos para apresentação em eventos e publicação, produção de relatórios, organização e gestão de eventos, atividades de articulação com ações de ensino e pesquisa, contato e visita a segmentos e instituições parceiras, definição de estratégias de divulgação, investigação de possibilidades de uso de tecnologias para colaborar com o trabalho do NUFOLK, entre outros; e

2) as atividades de caráter específico ou pontual tem sua metodologia relativizada de acordo com as características de cada atividade, seja no que diz respeito à uma demanda gerada pela comunidade (exemplo: uma escola que solicite receber uma oficina de brincadeiras folclóricas), seja no que se refere às ações específicas que acontecem em períodos ou datas próprias (exemplo: evento Semana do Folclore, sempre em agosto). Cada uma destas ações possui metodologia própria, o que impede uma descrição metodológica única que sirva como referência para todas as situações. De todo modo, vale mencionar que, de uma forma genérica, as metodologias empregadas para as atividades específicas cumprem, em linhas gerais, o seguinte protocolo básico: detecção da demanda, levantamento inicial de informações, planejamento de atuação estratégica, articulação com segmentos e instituições parceiras, orientação e preparação dos alunos para a intervenção, contato com a comunidade, organização da intervenção, definição e promoção da divulgação da ação, organização e abertura de inscrições (quando for o caso), realização da atividade propriamente dita, registro da ação realizada (foto, vídeo, observação, etc.), avaliação (parcial e/ou final, quando é o caso) e produção de relatório parcial/final, retorno à comunidade (quando for o caso).

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores que orientam o presente projeto e são adotados como parâmetro da atuação extensionista do NUFOLK:

a) inserção comunitária
b) formação complementar discente
c) articulação entre extensão, pesquisa e ensino
d) consolidação, fortalecimento e publicização das ações do Núcleo
e) intercâmbio de saberes/fazeres entre o popular e o científico
f) gestão compartilhada e colaboratividade intra/interinstitucional
g) democratização do acesso e descentralização

Tomando tais indicadores como referência de atuação, o Núcleo de Folclore da UFPel - NUFOLK estabelece como metas/resultados esperados para o período de vigência do presente projeto os seguintes tópicos:

- espera-se ter ampliado a atuação junto a diferentes segmentos da comunidade de Pelotas (e para além dela), qualificando o trabalho com comunidades junto às quais já foram desenvolvidas ações, bem como aumentando a inserção do Núcleo em outras comunidades com as quais ainda não foram realizadas atividades;
- espera-se ter contribuído de modo significativo com a formação dos alunos dos cursos envolvidos, oferecendo-lhes experiências de trabalho com a comunidade que estão circunscritas e/ou associadas às temáticas do folclore e das artes populares;
- espera-se ter estimulado uma compreensão mais holística sobre o folclore nacional, levando em consideração a diversidade das manifestações brasileiras;
- espera-se ter fortalecido a compreensão abrangente de articulação entre ensino, pesquisa e extensão, estimulada mediante uma perspectiva de complementaridade e indissociabilidade;
- espera-se ter instrumentalizado os participantes para o início de investigações no campo do folclore, cada um a partir de seus próprios interesses de estudo, de modo que sejam estimulados a seguir atuando neste campo de conhecimento mesmo após a conclusão do seu percurso universitário;
- espera-se ter consolidado, fortalecido e ampliado o papel do Núcleo de Folclore da UFPel - NUFOLK dentro e fora da instituição;
- espera-se ter gerado diversos trabalhos acadêmicos (de distintas naturezas) para a divulgação das ações desenvolvidas pelo Núcleo, seja por meio de apresentações, performances, publicações ou outras alternativas geradas pelo uso das TICs;
- espera-se ter motivado os alunos a atuarem na perspectiva de salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial e abordagem da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena” em seus projetos, estudos e atuação profissional;
- espera-se ter contribuído para o intercâmbio de saberes/fazeres entre a universidade e a comunidade, bem como com a valorização do conhecimento popular gerado por artistas, coletivos culturais, grupos organizados, núcleos independente e mestres da cultura popular;
- espera-se ter avançado no trabalho coletivo e colaborativo entre os diferentes segmentos, cursos, unidades acadêmicas, projetos, programas, laboratórios, grupos, organizações e instituições envolvidos por meio das ações integradas e gestão compartilhada;
- espera-se ter aprofundado a propostas de democratização de acesso e descentralização das ações da universidade por meio das atividades e eventos realizados pelo NUFOLK; e
- espera-se ter suprido, ao menos parcialmente, a escassez ou falta de abordagem do tema “folclore” nos currículos dos cursos envolvidos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRE LUIS PORTO MACEDO40
ANDRISA KEMEL ZANELLA49
BELIZA GONZALES ROCHA
CARMEN ANITA HOFFMANN51
CARMEN LUCIA MARTINS BORGES
CAROLINA MARTINS PORTELA
CAROLINE RIBEIRO PAZ
CATIA FERNANDES DE CARVALHO40
CINTIA LANGIE ARAUJO40
CLAUDIO BAPTISTA CARLE49
DANIELA RICARTE TEIXEIRA POLLEZI DO AMARAL
DENISE CASTANHA DE AVILA DE LEMOS
DIEGO RODRIGUES PEREIRA
DÉBORA SOUTO ALLEMAND40
EDERSON DE CARVALHO PESTANA40
EDERSON ZANETI VERGARA
EDGAR AVILA GANDRA40
ESTER MARCELINO BATISTA
FLAVIA MARCHI NASCIMENTO40
GUSTAVO ADRIAN VERNO PEREIRA
IZA PAULA VIEIRA NOGUEIRA PEREIRA
JACIARA JORGE53
JOSE EVERTON DA SILVA ROZZINI40
JOSIANE GISELA FRANKEN CORREA41
JOÃO LUCAS DA CRUZ
JÉSSICA OLIVEIRA DE CARVALHO
LARISSA TAVARES MARTINS40
LUDMILA DE LIMA COUTINHO
MARIO DE SOUZA MAIA40
NADIA DA CRUZ SENNA49
NATIELE MEIRELLES MARTINS
RAUL COSTA DAVILA40
RENAN DE VARGAS BRIÃO
RODRIGO LEMOS SOARES
ROGERIO COSTA WURDIG40
ROSE ADRIANA ANDRADE DE MIRANDA57
SABRINA MARQUES MANZKE
TAMARA DIAS NUNES
Thiago Silva de Amorim Jesus8
VITOR HUGO RODRIGUES MANZKE40

Página gerada em 14/11/2019 11:56:06 (consulta levou 0.161558s)