Nome do Projeto
Programa de Permanência e Qualidade Acadêmica do Curso de Nutrição
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
12/06/2023 - 12/06/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
A evasão e a retenção são fenômenos complexos que estão aumentando e tornando-se comuns nos cursos superiores, justificados por um conjunto de fatores que interferem na permanência, ou não, do estudante no ensino superior, afetando o desempenho das universidades com consequências sociais, acadêmicas e econômicas. Este estudo tem por objetivo identificar os aspectos motivadores da evasão e da retenção no Curso de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas. Será realizado um levantamento dos principais motivos da evasão e retenção no Curso de Nutrição, além de traçar o perfil dos alunos retidos e evadidos. A pesquisa será realizada em duas etapas, sendo a primeira etapa caracterizada pela identificação dos alunos retidos e evadidos. Na segunda etapa do estudo, ocorrerá o envio de um questionário online aos alunos identificados na primeira etapa, com o intuito de traçar o perfil dos estudantes e conhecer as principais causas da evasão e retenção destes alunos. A partir da análise de dados será possível perceber os principais fatores envolvidos nos processos de retenção e evasão e então propor estratégias que melhorem os índices de permanência e qualidade acadêmica do Curso de Nutrição e o interesse dos estudantes pelo curso.

Objetivo Geral

Participar do Programa de Permanência e Qualidade Acadêmica da Universidade Federal de Pelotas, visando a redução dos níveis de evasão e retenção do Curso de Nutrição, em parceria com a Pró-Reitoria de Ensino da UFPel.

Justificativa

Desde 2007, com a criação do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), foi retomada a expansão das universidades brasileiras. O REUNI, instituído pelo Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007, foi uma das ações que integraram o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), e teve como objetivo principal ampliar o acesso e a permanência na educação superior, além de garantir a qualidade da graduação da educação pública (Brasil, 2007 ).
Além de programas como o REUNI, o aumento significativo das vagas em instituições de ensino superior (IES), sejam elas públicas ou privadas, se deu também pela criação de novas instituições de ensino, novas formas de acesso, como a implantação do Sistema de Seleção Unificada (SISU), além das vagas destinadas as cotas étnico-raciais, para as comunidades indígenas e quilombolas e para pessoas com deficiência (UFPEL, 2018 ).
Com o crescimento exponencial do ingresso de alunos e do movimento de democratização do acesso ao ensino superior, é de fundamental importância a garantia da permanência deste aluno na universidade e a conclusão do seu curso (UFPEL, 2018; Da Luz, Mendes e Soares, 2019). O atraso para a diplomação causa um importante dano social, em razão dos elevados custos para manter este aluno na instituição e a perda do investimento no ensino superior, fazendo com que não ocorra o devido retorno deste investimento na educação e a inadequada alocação destes recursos nas universidades, gerando também a redução de profissionais qualificados no mercado de trabalho (Araújo, Mariano e Oliveira, 2021 ).
A evasão e a retenção são importantes indicadores da qualidade e efetividade das políticas de ensino praticados pelas instituições de ensino superior. A evasão caracteriza-se pela perda da matrícula na instituição, ou seja, pela desistência do aluno em frequentar as aulas, não permitindo a conclusão no curso . A retenção é o processo que deriva da permanência prolongada do estudante universitário na instituição, ultrapassando o período regular de integralização do curso (Araújo, Mariano e Oliveira, 2021; Silvia; Sabino e Souza, 2023). Tanto a retenção quanto a evasão, além de limitarem a efetiva expansão da educação superior, geram importantes danos individuais, como: a baixa autoestima dos retidos e evadidos; a baixa remuneração recebida por esses; a ocupação do trabalho informal; a dificuldade de absorção pelo mercado de trabalho; a perpetuação das condições de pobreza; e a ocupação em atividades precarizadas (Silvia; Sabino e Souza, 2023). Já no cunho coletivo, o fenômeno de retenção interfere nos recursos financeiros que são repassados às universidades (Araújo, Mariano e Oliveira, 2021).
A Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas teve sua origem com a criação do Curso de Nutrição, por meio da portaria do Ministério da Educação nº 04, de 07 de janeiro de 1975. Foi o primeiro Curso Federal de Nutrição da região sul e o segundo do Rio Grande do Sul , pertencendo inicialmente ao Departamento de Nutrição e Alimentos da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, com um corpo docente formado por agrônomos, veterinários, químicos e economistas domésticas que atuavam no ensino, na pesquisa e na extensão na área de alimentos, dando suporte didático e estrutural ao Curso de Nutrição na área profissional. Em março de 1980 foi criado o Departamento de Nutrição, e o curso passou a pertencer à área da saúde, e em novembro de 1988, foi transformado em Faculdade.
Atualmente o Curso forma entre 40 e 45 nutricionistas por semestre, conta com 25 docentes permanentes e 355 discentes matriculados. Segundo os últimos indicadores acadêmicos (2022/2), em relação ao tipo de ingresso, nas 55 vagas disponíveis, foram 38 ingressantes via SISU/ENEM, 1 ingressante pelo vestibular e 10 ingressantes pelo PAVE. Além do número de ingressantes ser inferior ao número de vagas disponíveis, o Curso sofreu com 58 desligamentos, 10 cancelamentos e 29 trancamentos no semestre vigente. Acrescenta-se a esses dados preocupantes o fato de que, no processo seletivo complementar 2023/1 (Edital CRA nº 09/2023), foram ofertadas 40 vagas, mostrando o grande número de vagas ociosas do Curso.
Ainda é importante ressaltar que o Curso de Nutrição não apresenta, atualmente, grandes índices de retenção em disciplinas específicas. Especula-se que, entre os motivos para a reprovação dos acadêmicos, esteja a infrequência, porém mais dados são necessários para embasar tal hipótese.
Diante do exposto, é importante que se preencham as vagas de ingresso, que os discentes permaneçam no Curso e, principalmente, estejam preparados para enfrentar o mercado de trabalho, com uma educação de qualidade. Para isso, busca-se propor estratégias que melhorem os índices de permanência e qualidade acadêmica do Curso de Nutrição e contribuir com o Programa de Permanência e Qualidade Acadêmica da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Metodologia

O projeto faz parte do Programa de Permanência e Qualidade Acadêmica da UFPel, regulamentado através da Resolução nº 16/2018, do Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão (UFPel, 2018 ). A presente pesquisa ocorrerá em duas etapas. Na primeira etapa, será realizado um levantamento junto ao colegiado do Curso de Nutrição de todos os alunos retidos e/ou evadidos (análise documental) com o intuito de identificar o quantitativo destes alunos, permitindo sua caracterização e localização.
Já a segunda etapa, envolverá a aplicação de um questionário online com os alunos identificados. A finalidade desta etapa será identificar os motivos da escolha do Curso de Nutrição e as principais causas internas e/ou externas que levaram os alunos a prolongarem o tempo de diplomação ou abandonarem o curso. A segunda etapa será realizada através da construção de dois questionários com o auxílio do aplicativo Google Forms, um para ser aplicado aos alunos evadidos e o outro para os retidos no curso.
Serão consideradas como evasão as situações em que o aluno: notifica sua desistência à instituição; tranca a matrícula e não retorna ao curso no tempo exigido; abandona o curso parando de frequentar as aulas e nos casos de transferências internas e externas.
As variáveis coletadas na primeira e segunda etapa estão descritas nas Tabelas 1 e 2.

Tabela 1. Variáveis coletadas na primeira etapa do estudo.
Variáveis Evasão Variáveis Retenção
Nome Nome
Cidade Cidade
Endereço Endereço
Telefone Telefone
E-mail E-mail
Forma e ano de ingresso no curso Forma e ano de ingresso no curso
Ano e período de desistência Ano e período de retenção

Tabela 2. Variáveis coletadas na segunda etapa do estudo.
Variáveis Evasão Variáveis Retenção
Nome Nome
Gênero Gênero
Idade Idade
Idade no ano de ingresso no curso Idade no ano de ingresso no curso
Estado civil no momento da evasão Estado civil
Tipo de instituição que cursou o ensino médio Tipo de instituição que cursou o ensino médio
Exercício de atividade remunerada durante o curso Exercício atual de atividade remunerada
Principal motivo para escolha do curso Principal motivo para escolha do curso
Período de frequência no curso Recebimento de algum tipo de auxílio estudantil durante o curso
Recebimento de algum tipo de auxílio estudantil durante o curso Recebimento de algum tipo de bolsa acadêmica durante o curso
Recebimento de algum tipo de bolsa acadêmica durante o curso Total de horas semanais dedicadas aos estudos universitários
Principais fatores motivacionais para o abandono do curso Número médio de disciplinas cursadas por semestre
Número de reprovações e disciplinas reprovadas Número de reprovações e disciplinas reprovadas
Motivos que levaram a reprovação Motivos que levaram a reprovação
Situação acadêmica atual Motivos que podem estar associados ao processo de retenção

Durante a realização deste estudo, ocorrerão ações com o objetivo de reduzir a evasão e retenção dos alunos no Curso de Nutrição. Entre as ações, destaca-se:
- Acompanhamento ativo do aluno, por parte do colegiado de curso, desde o seu ingresso no curso de nutrição, até a finalização da graduação, garantindo o adequado acolhimento dos mesmos e melhor integração dos discentes;
- Melhoria da qualidade de ensino, com realização de ações motivacionais com os docentes e estímulo para a participação dos mesmos em editais de bolsas de ensino, pesquisa e extensão;
- Atualização do Projeto Pedagógico do Curso de Nutrição;
- Avaliação das disciplinas ofertadas pelo curso, por meio da aplicação de questionários aos discentes, ao término de cada semestre;
- Ações de divulgação do Curso de Nutrição em atividades como Mundo UFPel, Ruas de Lazer, Mostra de Cursos de Graduação e visitas a escolas de ensino médio, com a finalidade de atrair novos estudantes;
- Acompanhamento dos egressos e levantamento de dados sobre mercado de trabalho, salário e área de atuação;
- Ações de apoio ao Diretório Acadêmico, para a realização de cursos, palestras, seminários e Semana Acadêmica do Curso de Nutrição, estimulando a participação dos alunos.

Indicadores, Metas e Resultados

- Espera-se com as ações do projeto atrair novos alunos e reduzir a evasão e retenção no Curso de Nutrição
- O presente projeto justifica-se pela necessidade de avaliar as principais causas da evasão e retenção dos alunos, no Curso de Nutrição e propor estratégias para a reversão de indicadores desfavoráveis, além de atrair novos alunos, sendo estes indicadores, os principais meios de mensuração do sucesso do projeto.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA DOUMID BORGES PRETTO1
ALICE PALOMBINI GASTAL
ANNE Y CASTRO MARQUES7
EDUARDA DA SILVA LEAL
JOZI FAGUNDES DE MELLO1
JULIA MADEIRA SOARES
LUCIA ROTA BORGES6
LUDMILA CORREA MUNIZ1
MARIA EDUARDA MARRONI WEILER
MORGANA PILICAO DA CRUZ
Rafael Farias Rodrigues3

Página gerada em 19/05/2024 08:56:05 (consulta levou 0.174468s)