Nome do Projeto
Serviços de Atenção Primária à Saúde nas Unidades Básicas de Saúde vinculadas à UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/08/2019 - 31/07/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Saúde da família
Resumo
O Projeto de Extensão das quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) ligadas ao Departamento de Medicina Social (DMS) destina-se a oferecer, através de equipe multiprofissional, serviço de Atenção Primária à Saúde (APS) para atenção integral à saúde da comunidade e oferta de campo de estágio prático para estudantes da UFPel. Para atender a este objetivo as UBS implementam ações de atenção básica de promoção, prevenção, assistência a saúde, como pré-natal, puericultura, imunizações, programa de hipertensão e diabetes, prevenção de câncer ginecológico e de mamas, diagnóstico e tratamento das doenças mais prevalentes, bem como acesso aos demais níveis do sistema de saúde quando necessário. Para tanto, em cinco UBS, conta com nove equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) acrescida de mais alguns profissionais, atuando localmente, diariamente, nos cinco dias da semana, o ano todo, e mantendo o vínculo com os serviços de referência de especialidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Objetivo Geral

Objetivo geral:
Oferecer serviço de APS prioritariamente para a população residente na área de cobertura das quatro UBS (Obelisco, Centro Social Urbano do Areal, Areal Leste e Vila Municipal) no município de Pelotas, e para a UBS Campus Capão no município do Capão do Leão, através de equipes de ESF.
Objetivos específicos:
- Ser porta de entrada da rede SUS para a população;
- Realizar coordenação do cuidado;
- Realizar o atendimento integral da população (demanda espontânea ou ações programáticas);
- Promover a saúde através de ações de educação em saúde voltadas à comunidade;
- Realizar monitoramento e avaliação das ações programáticas em saúde de acordo com os protocolos do Ministério da Saúde;
- Formar estudantes de graduação e pós-graduação dos cursos da área da saúde da UFPel para atuar em APS.
- Realizar educação permanente para a equipe de saúde.

Justificativa

As evidências de que sistemas de saúde orientados pela Atenção Primária à Saúde são mais efetivos e menos onerosos foram consolidadas nos estudos da autora Bárbara Starfield em 2002 ( STARFIELD, B., 2002. Atenção Primária: Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia.Brasília : UNESCO, Ministério da Saúde) Da mesma forma, vários estudos desenvolvidos no Brasil comparando resultados da Estratégia de Saúde da Família (ESF) com modelos tradicionais de APS apontaram melhores resultadas na ESF. Entre estes resultados, destacam-se a redução da mortalidade infantil (MACINKO, J., GUANAIS, F.C., SOUZA, M.F.M.2006. Evaluation of the impact of the Family Health Program on infant mortality in Brazil, 1990–2002 J Epidemiol Community Health 2006;60:13–19. doi: 10.1136/jech.2005.038323), a melhora no seguimento dos protocolos para hipertensos e diabéticos (PICCINI, R.X., FACCHINI, L.A., TOMASI, E. 2006. Necessidades de saúde comuns aos idosos: efetividade na oferta e utilização em atenção básica a saúde. Cienc. Saúde coletiva;11(3):657-667,jul.-set.2006.tab,ilus.), menor incidência de Acidente Vascular Cerebral (Rasella D, Harhay MO, Pamponet ML, Aquino R, Barreto ML. Impact of primary health care on mortality from heart and cerebrovascular diseases in Brazil: A nationwide analysis of longitudinal data. BMJ [Internet]. 2014;349(July):1–10. Available from: http://dx.doi.org/doi:10.1136/bmj.g4014), a redução das internações por condições sensíveis a APS (Alfradique ME, Bonolo P de F, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. [Ambulatory care sensitive hospitalizations: elaboration of Brazilian list as a tool for measuring health system performance (Project ICSAP--Brazil)]. Cad Saude Publica [Internet]. 2009;25(6):1337–49. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19503964). Estes resultados reforçam a necessidade tanto de fortalecer sistemas universais de saúde e orientados para a APS como de formar profissionais com as competências necessárias para estas atuar nestes cenários. Por este motivo, o DMS sempre buscou fortalecer a APS no município de Pelotas e reforçar o estudo de APS na graduação e pós-graduação dos cursos da saúde da UFPel.
O cuidado médico em Atenção Primária à Saúde (APS) é a marca do Departamento no campo da assistência / extensão, prática instituída na década de 70 quando era responsável por dois postos de saúde escola (Vila Municipal e Areal Leste) e representa a vanguarda nas ações em APS na cidade de Pelotas. Hoje o DMS é responsável por cinco Unidades Básicas de Saúde-UBS (Vila Municipal, Areal Leste, Centro Social Urbano, Obelisco, e Capão do Leão), atingindo uma população de mais de 27.000 habitantes. No ano de 2018 foi realizado um estudo de demanda pelo DMS no período de cinco semanas nas UBS da UFPel. Este estudo estima que no período de um ano nas cinco UBS foram atendidos 80.639 pessoas pela recepção, tendo sido realizados 47.684 atendimentos de enfermagem e 50.927 atendimentos médicos.
As atividades de ensino prático da graduação ocorrem nas UBS contemplando os cursos de medicina, enfermagem, nutrição, psicologia, educação física, terapia ocupacional, odontologia e veterinária. Além disso, na pós-graduação essas UBS recebem alunos de Residência de Medicina de Família e Comunidade, Residência de Saúde Pública com Ênfase em Medicina Veterinária e Residência Multiprofissional em Oncologia. A cada semestre passam mais de 150 alunos.
Frente a este cenário e considerando:
- a necessidade de atendimento à população no âmbito da APS prioritariamente das áreas de abrangência das UBS;
- a necessidade de locais de ensino para atividades práticas de APS dos alunos dos cursos da área da saúde da Universidade Federal de Pelotas;
- as melhorias que a Estratégia de Saúde da Família tem obtido nos indicadores de saúde, tornando-se a opção preferencial para reorientação do modelo assistencial no país;
- o benefício para o serviço e os profissionais de saúde por conta da presença das atividades de ensino e pesquisa.
Assim, o presente projeto de extensão se justifica.

Metodologia

O Projeto organiza-se na lógica da atenção básica à saúde de acordo com os princípios da Política Nacional de Atenção Básica, realizando o cuidado em APS com o objetivo docente assistencial. A composição das nove equipes de Saúde da Família e de outros profissionais das UBS.
Este cuidado consiste em uma série de ações ligadas à rotina dos serviços, como:
1) Recepção da população;
2) Acolhimento com classificação de risco;
3) Cadastramento de todas as famílias que residem na área de abrangência de cada UBS;
4) Reconhecimento do território;
5) Diagnóstico de Saúde de Comunidade;
6) Realização de consultas demanda espontânea e ações programáticas;
7) Realização de procedimentos;
8) Realização de visita domiciliar;
9) Utilização do sistema e-SUS, Telessaúde e AGHOS;
10) Realização de busca ativa;
11) Orientação e capacitação de alunos;
12) Realização de ações em grupos;
13) Realização de ações em escolas e outras entidades representativas da comunidade;
14) Realização de ações de educação permanente;
15) Análise de dados primários e secundários;

Indicadores, Metas e Resultados

As metas deste projeto serão:
- manter uma proporção de, no mínimo, quatro atendimentos por aluno diariamente;
- garantir no mínimo 70% de cobertura das ações programáticas em saúde;
- realizar busca ativa de 100% dos usuários faltosos as consultas programáticas no período de monitoramento das ações;
- ter 100% dos usuários cadastrados nas ações programáticas com exames clínicos e complementares apropriados;
- desenvolver ações de promoção em saúde voltadas a comunidade.

Os indicadores que avaliarão os resultados deste projeto serão:
- Número de atendimentos realizados por turno de atendimento pelo total de alunos presentes em cada turno;

Indicadores da elaboração e / ou revisão de protocolos apresentados na seguinte sequência Objetivo / Resultados Esperados / Indicador:
- Colaborar na elaboração e / ou revisão de protocolos clínicos para a Atenção Básica / Versão final do(s) protocolo(s) / Número de protocolos clínicos para a Atenção Básica elaborados.
- Colaborar na elaboração e / ou revisão de protocolos clínicos para a atenção em Saúde Mental / Versão final do(s) protocolo(s) / Número de protocolos clínicos para a atenção em Saúde Mental elaborados.
- Colaborar na revisão de protocolos clínicos para a atenção IST-AIDS / Versão final do(s) protocolo(s) / Número de protocolos clínicos para a atenção em IST-AIDS elaborados.
- Implementar os protocolos / Execução sistematizada das ações assistenciais e gerenciais de enfermagem na Atenção Básica / Número de equipes de ESF/UBS com a implementação dos protocolos produzidos.

Indicadores das UBS/ESF pactuados no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) apresentados a seguir na sequencia Conceito / Método de cálculo.
Área Saúde da mulher:
- Indicador 1= Proporção de gestantes cadastradas pela equipe de Atenção Básica no pré-natal / Cálculo Indicador 1= Número de gestantes cadastradas pela equipe de Atenção Básica no pré-natal, em determinado local e período dividido pelo número de gestantes estimadas na área de equipe no mesmo período X 100.
- Indicador 2 = Média de atendimentos de pré-natal por gestante cadastrada / Cálculo Indicador 2 = total de consultas das gestantes em pré-natal em determinado local e período dividido pelo número de gestantes cadastradas no mesmo local e período.
- Indicador 3 = Número de consultas realizadas por trimestre gestacional / Cálculo Indicador 3 = Adequação do número de consultas de acordo com o trimestre gestacional.
- Indicador 4 = Proporção de gestantes que iniciaram o pré-natal no 1º trimestre / Cálculo Indicador 4 = Número de gestantes acompanhadas que iniciaram o pré-natal no 1º trimestre, em determinado local e período dividido pelo total de gestantes cadastradas no mesmo local e período X 100.
- Indicador 5 = Proporção de gestantes com pré-natal no mês / Cálculo indicador 5= Número de gestantes que com consulta de pré-natal no mês, em determinado local e período dividido pelo total de gestantes cadastradas, no mesmo local e período X 100.
- Indicador 6 = Proporção de gestantes com vacina em dia / Cálculo Indicador 6 = Número de gestantes com vacina em dia, em determinado local e período dividido pelo total de gestantes cadastradas, no mesmo local e período X 100.
- Indicador 7 = Proporção de gestantes acompanhadas por meio de visitas domiciliares / Cálculo do Indicador 7 = Número de gestantes acompanhadas por meio de visita domiciliar, em determinado local e período dividido pelo total de gestantes cadastradas, no mesmo local e período X 100.
- Indicador 8 = Razão entre exames citopatológicos do colo do útero / Cálculo do Indicador 8 = Número de exames citopatológicos do colo do útero em mulheres de 25 a 64 anos de idade, em determinado local e período dividido pela população feminina cadastrada na faixa etária de 25 a 64 anos de idade no mesmo local e período.


Área Saúde da Criança:
- Indicador 9= Proporção de crianças de até um ano de idade cadastradas pela equipe de Atenção Básica na puericultura / Cálculo Indicador 9= Número de crianças de até um ano de idade cadastradas pela equipe de Atenção Básica na puericultura, em determinado local e período dividido pelo número de crianças de até um ano de idade estimadas na área de equipe no mesmo período X 100.
- Indicador 10 = Média de atendimento de puericultura em menores de dois anos de idade / Cálculo do indicador 10 = Número de atendimentos de puericultura (médico e enfermeiro) para menores de dois anos, em determinado local e período dividido pelo número de menores de dois anos acompanhados no mesmo local e período.
- Indicador 11 = Proporção de crianças menores de seis meses com aleitamento exclusivo / Cálculo do Indicador 11 =Número de menores de seis meses com aleitamento materno exclusivo, em determinado local e período dividido pelo número de menores de seis meses acompanhados no mesmo local e período X 100.
- Indicador 12 = Proporção de crianças menores de um ano com vacina em dia /Cálculo do Indicador 12 = Número de menores de um ano com vacinação em dia, em determinado local e período dividido pelo número de menores de um ano acompanhados no mesmo local e período X 100.
- Indicador 13 = Proporção de crianças menores de dois anos com registro de peso e altura em conformidade com o protocolo de cuidado da criança do Ministério da Saúde. / Cálculo do Indicador 13 = Número de menores de dois anos que foram pesados e medidos em conformidade com o protocolo de cuidado da criança do Ministério da Saúde, em determinado local e período dividido pelo número de menores de dois anos acompanhados no mesmo local e período X 100.
- Indicador 14 = Média de consultas médicas para menores de um ano / Cálculo do indicador 14 = Número de consultas médicas para menores de um ano, em determinado local e período dividido pelo número de menores de um ano acompanhados no mesmo local e período.
- Indicador 15 = Média de consultas médicas para menores de cinco anos /Cálculo do indicador 15 = Número de consultas médicas para menores de cinco anos, em determinado local e período dividido pelo número de menores de cinco anos acompanhados no mesmo local e período.
- Indicador 16 = Proporção de crianças com baixo peso ao nascer / Cálculo do indicador 16 = Número de crianças com peso ao nascer menor que 2.500 g, em determinado local e período dividido pelo número de nascidos vivos no mesmo local e período X 100.
- Indicador 17 = Proporção de crianças menores de um ano acompanhadas por meio de visitas domiciliares / Cálculo do Indicador 17 = Número de crianças menores de um ano acompanhadas por meio de visita domiciliar, em determinado local e período dividido pelo total de crianças menores de um ano cadastradas no mesmo local e período X 100.

Área: Controle de Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica:
- Indicador 18 = Proporção de diabéticos cadastrados / Cálculo do Indicador 18 =Número de diabéticos cadastrados, em determinado local e período dividido pelo número estimado de diabéticos de 15 anos ou mais no mesmo local e período X 100.
- Indicador 19 = Proporção de hipertensos cadastrados / Cálculo do Indicador 19 =Número de hipertensos cadastrados, em determinado local e período dividido pelo número estimado de hipertensos de 15 anos ou mais no mesmo local e período X 100.
- Indicador 20 = Média de atendimentos por diabético / Cálculo do Indicador 20 =Número de atendimentos de médico e de enfermeiro para pessoas com diabetes, em determinado local e período dividido pelo número de pessoas com diabetes cadastrados no mesmo local e período.
- Indicador 21 = Média de atendimentos por hipertenso / Cálculo do Indicador 21 =Número de atendimentos de médico e de enfermeiro para pessoas com hipertensão, em determinado local e período dividido pelo número de pessoas com hipertensão cadastrados no mesmo local e período.
- Indicador 22 = Proporção de diabéticos acompanhados por meio de visitas domiciliares / Cálculo do Indicador 22 = Número diabéticos acompanhados por meio de visita domiciliar, em determinado local e período dividido pelo total de diabéticos cadastrados no mesmo local e período X 100.
- Indicador 23 = Proporção de hipertensos acompanhados por meio de visitas domiciliares / Cálculo do Indicador 23 = Número hipertensos acompanhados por meio de visita domiciliar, em determinado local e período dividido pelo total de hipertensos cadastrados no mesmo local e período X 100.

Área: Produção Geral:
- Indicador 24 = Média de consultas por habitante / Cálculo do Indicador 24 = Número de consultas médicas em determinado local e período dividido pela população residente cadastrada no mesmo local e período.
- Indicador 25 = Proporção de consultas médicas para cuidado médico continuado / programado / Cálculo do Indicador 25 = Número de consultas médicas para cuidado médico continuado / programado, em determinado local e período dividido pelo número de consultas médicas básicas no mesmo local e período X 100.
- Indicador 26 = Proporção de consultas médicas de demanda agendada / Cálculo do Indicador 26 = Número de consultas básicas de demanda agendada, em determinado local e período dividido pelo número de consultas médicas básicas no mesmo local e período X 100.
- Indicador 27 = Proporção de consultas médicas de demanda imediata / Cálculo do Indicador 27 = Número de consultas básicas de demanda imediata, em determinado local e período dividido pelo número de consultas médicas básicas no mesmo local e período X 100.
- Indicador 28 = Proporção de consultas médicas de urgência com observação /Cálculo do Indicador 28 = Número de consultas médicas de urgência com observação, em determinado local e período dividido pelo número de consultas médicas básicas no mesmo local e período X 100.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALCIDES GARCIA NETO
ALESSANDRA DE ALMEIDA BILHALVA20
ALINE AYUB AMARAL20
ALINE BERTARELLO
ALINE GONZÁLEZ SILVA
ALISSON LUIZ DA SILVA
ANA CAROLINA OLIVEIRA RUIVO20
ANA MARIA FERREIRA BORGES TEIXEIRA21
ANA PAULA OLIVEIRA ROSSES40
ANDRIO ALPI ROSSETTI
ANGELA CHAPON CORDEIRO MADEIRA30
ANGELA MOREIRA VITORIA20
ARTHUR SILVA DA SILVA
BARBARA HEATHER LUTZ20
BARBARA PIVA
BRUNO SCHNEIDER QUINTILHANO
CAROLINA CURCIO SESSEGOLO
CLEOMAR RODRIGUES DA SILVA JUNIOR
Carlos Eduardo Pouey da Cunha
DANIEL ALBERTO DE SOUSA ROCHA NOGUEIRA
DANIELA DE OLIVEIRA NAVA
DENISE SILVA DA SILVEIRA
DIENIFER CAROLINE BUSSIOL STROHER
DOUGLAS VERGARA MALKOUN
ELIANE SCHNEIDER STRAUCH30
ERICK RODRIGUES FREITAS
EVERTON JOSE FANTINEL20
GABRIEL SOARES DE OLIVEIRA
GABRIELA DE SOUZA WARKEN
GABRIELE PINTO KONZEN
GIOVANNA MARTINES
GUILHERME HENRIQUE LELLIS MENDES
HENRIQUE SOUTO DE SOUZA
ISABELA OLIVEIRA DE MIRANDA
ISABELLA ANNUZA COIMBRA
ISADORA SPIERING
ISMAEL VINICIUS BAUER NUNES DE ALMEIDA
JAMILA VASQUEZ ROCKEMBACH30
JILVANI FARIAS DOS SANTOS
JOAO VITOR KRAVZUK GOMEZ
JORDANA GEREMIAS BRUST
JOSE DA CUNHA SILVEIRA20
JULIA PEREIRA LARA
JULIA PEREIRA LARA
JULIA RAUPP VILELA
JUVENAL SOARES DIAS DA COSTA20
KAREN KNOPP DE CARVALHO30
KELEN DE MORAIS CERQUEIRA40
KETHRIN MAAHS KLEIN
LAIS MELO CORREA20
LAURA CARNEIRO DA ROSA ARANALDE30
LAURIEN ALANA ESCOBAR EHLERS
LENARA LAMAS STELMAKE30
LEONARDO BRUNO DOS SANTOS SMANIOTTO
LORENZO PETEFFI ROESE
LUCÉLIA GARCIA SOARES
LUÍS EDUARDO FERNANDEZ PEGORARO
MABEL NILSON ALVES30
MARIA AURORA DROPA CHRESTANI CESAR20
MARIA CAROLINE DANIEL FERRARI
MARIA CRISTINA DO AMARILHO MAICH30
MARIA EDUARDA CICHOWSKI RIEGER
MARIA LAURA SILVEIRA NOGUEIRA20
MARIA LAURA VIDAL CARRETT20
MARINA AYUB
MARLETE SOARES ARAUJO30
MATEUS DIONATAN GOBETTI LOPES
MAURICIO MORAES30
MAYARA GARCIA DIAS
MICHELE RIBEIRO PETER30
MIGUEL FONSECA SOARES
NADIA SPADA FIORI20
NATALIE RINALDO MISHIMA
PAMELA LIMA BANDEIRA40
RAFAELA DOS SANTOS SCHNEID
RAFAELA ZORZOLLI MACEDO
RAYSSA BRUNA MARTINS
RENA ESLABAO BARTEL
RENATA DE LIMA LEMOS30
RENATA PINTO GOTTINARI DE LIMA20
RENATA SCHMITZ20
ROGERIO DA SILVA LINHARES21
SIMONE VIANA RODRIGUES30
STEFANIE FLACH ZANATTA
TATIANA TRINDADE HAFELE30
TATIANE DA SILVA CASSAIS
THALES FILIPE DELMONICO AGUIAR
THALIA EDUARDA HENZEL ALDRIGHI
THAYNA GABRIELLE DUARTE DO NASCIMENTO
TURÍBIO MATIVI JÚNIOR
VANDERSON TOBIAS LAZAROTO
VANESSA LUANA KOETZ
VANESSA MOTA TEIXEIRA
VICTOR ESPINDOLA VIEIRA DA SILVA
VICTOR GRISANTI FILOGONIO
VICTOR SANTIAGO DA CUNHA
VICTORIA ANDRE DE MAGALHAES
WESLEY FELIPE VENANCIO
ZAIDA DA SILVA BORGES30

Página gerada em 19/11/2019 08:43:20 (consulta levou 0.289753s)