Nome do Projeto
VIII Semana Integrada de Inovação, Ensino, Pesquisa e Extensão - Encontro de Saberes: Pluriversidade e Meio Ambiente
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/06/2022 - 30/11/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Divulgação científica e tecnológica
Resumo
No ano de 2022 a 8a. edição da Semana Integrada de Inovação, Ensino, Pesquisa e Extensão tem como temática Encontro de Saberes: Pluriversidade e Meio Ambiente. A temática é oriunda da conjunção de vários fatores que entendemos serem urgentes para a reflexão na universidade. Em primeiro lugar, a necessidade de, após um contexto de grave pandemia mundial, rever práticas sustentáveis que são imprescindíveis para a vida em sociedade, em busca de uma sintonia, humana, empática, solidária, entre as pessoas, que possam gerar ações propositivas em prol do planeta e, como consequência, modificar práticas insustentáveis para a vida no mesmo. Assim, o meio ambiente deve ser pauta constante, se quisermos um futuro para as próximas gerações. Ligado a isso, vemos como premente a valorização de todas as culturas, o que implica valorizar saberes populares e fazeres que, muitas vezes, se perdem no tempo, sobrepostos por práticas sociais ou econômicas, valorizar saberes e fazeres relacionados a experiências sociais advindas de práticas não-acadêmicas, crenças, linguagens, profissões próprias de comunidades locais que possam inspirar novas formas de economia criativa e solidária, por exemplo, e dar voz, valorizando e fortalecendo todas as etnias e culturas. Enfim, a pluriversidade, conceito defendido por Boaventura de Souza Santos, em que “conhecimento pluriversitário promove os saberes ecológicos, plurais e contra-hegemônicos” (2015) e As epistemologias do sul – ao privilegiar conhecimentos (sejam eles científicos ou artesanais/práticos/populares/empíricos) que surgem das lutas contra a dominação – são parte dessa transformação epistemológica. Do meu ponto de vista, uma nova, polifónica, universidade (ou melhor, pluriversidade) pode emergir à medida em que esta transformação se desenrola. (2015) A busca por epistemologias do Sul também tem sido vivenciada no movimento decolonial promovido por pesquisadores latino-americanos, tais como Catherine Walsh, Walter Mignolo, Aníbal Quijano, e já tem experiências efetivadas como, por exemplo, a Pluriversidade Amawtay Wasi, no Equador. Assim, este ano, o tema que une os cinco congressos em pauta (Inovação, Pesquisa, Ensino, Extensão e Pós-Graduação) se volta a dar visibilidade aos saberes e fazeres acadêmicos em prol de uma valorização da sustentabilidade em ações para o meio ambiente; a pluriversidade que valorize os diversos saberes como integradores da formação pessoal e profissional e o encontro de saberes, que aponta para a dimensão do reconhecimento dos fazeres e saberes populares como necessários ao desenvolvimento social e ao conhecimento integrador.

Objetivo Geral

Confirmar e enfatizar o papel da universidade como instituição pública, destacando-se seu compromisso social, científico e político com os temas prementes da atualidade.
- Promover a divulgação das produções acadêmicas da UFPel, interna e externamente, de modo que a comunidade se veja cada vez mais próxima e participe dos processos de ensino, pesquisa, extensão e inovação que desenvolvemos;
- Aproximar e integrar a comunidade universitária dos cursos de graduação e pós-graduação por meio do tema da Semana Integrada, incentivando o compartilhamento, trocas e debates sobre conteúdos, experiências e resultados que assinalem a produção do conhecimento universitário em todas as suas dimensões.
- Refletir sobre as ações que a instituição vem promovendo e que produzem impacto real na solução de problemas sociais, econômicos, histórico-culturais
- Refletir e potencializar as atuais e outras possibilidades inter e transdisciplinares, desenvolvendo novas propostas inovadoras.

Justificativa

É fato que a educação é transformadora de sociedades que visam crescer em conhecimento, cultura, economia e em todos os campos que possam atender socialmente sua população. Sendo assim, sabedores de nosso compromisso social, enquanto universidade pública, queremos refletir sobre o momento atual, à luz das demandas sociais, científicas e políticas que estão diretamente relacionadas com este compromisso, preservando o princípio da racionalidade, assim como estimulando a integração dos saberes científicos com saberes populares, valorizando as reflexões e propostas que atentem para a sustentabilidade e cuidados com o meio ambiente.

Metodologia

A SIIEPE conta com quatro comissões: 1) Coordenação Geral, 2) Comissão de Edital, Inscrição e Certificação, 3) Comissão de Infraestrutura e 4) Comissão de Arte e Divulgação.
Os congressos e encontros são desenvolvidos por cada pró-reitoria correspondente e as ações integradoras pelas comissões, que também em atividades de apoio (edital, salas, inscrições, espaços de apresentações culturais, equipamentos, manutenção do site, contatos, divulgação, definições dos horários, entre outros). O evento no formato presencial com algumas palestras on-line. Cada congresso opta pela produção dos seus anais. Outras atividades são previstas nas ações.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se o aumento da participação da comunidade universitária. Há Metas específicas de cada Congresso e Encontro.
Os indicadores são:
Número de trabalhos inscritos
Número de trabalhos apresentados
Número de debatedores
Número de estudantes monitores voluntários
Número de servidores envolvidos
Número de alunos envolvidos
Número de ações desenvolvidas
Metas das apresentações científicas
Número de participantes de outras instituições
Número de ouvintes

Página gerada em 09/08/2022 17:00:34 (consulta levou 0.414044s)