Nome do Projeto
Avaliação da dinâmica do processo de ensino-aprendizagem e estrutura do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
21/12/2015 - 15/12/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
A avaliação realizada em uma instituição educativa tem como função a produção de conhecimento que subsidie o aperfeiçoamento de práticas e favoreça a construção e consolidação de um sentido comum de universidade. Possibilita também que a comunidade universitária tome consciência das ações desenvolvidas em seu cotidiano e tome decisões que venham a contribuir para o processo de melhoria e afirmação de sua identidade social. A constante troca de informações entre os discentes, coordenação e professores do Curso de Química de Alimentos evidenciou a necessidade da criação de um instrumento formal de participação discente e docente no processo ensino-aprendizagem, como forma de buscar subsídios que pudessem ser trabalhados para a melhoria do desempenho/postura dos docentes. A avaliação anual discente e docente do processo de ensino, na forma de um instrumento pormenorizado e individualizado de avaliação por componente curricular e docente(s) ministrante(s), possibilitará identificar elementos para um planejamento ou adequação de instrumentos pedagógicos que possam ser aplicados no Curso, promovendo a reflexão sobre o trabalho acadêmico, sendo ferramenta para a tomada de decisão em busca da qualidade e como forma de adequar o ensino de graduação e, conseqüentemente, a formação do profissional de Química de Alimentos.

Objetivo Geral

O projeto tem por objetivo realizar uma avaliação da dinâmica do processo de ensino-aprendizagem e estrutura do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos, avaliando os vários aspectos envolvidos, visando obter subsídios para o aperfeiçoamento da qualidade geral do Curso.

Justificativa

A busca contínua de elementos que subsidiam a avaliação curricular e docente torna-se preponderante frente às recomendações do Ministério da Educação e quesito de avaliação para fins de reconhecimento dos cursos de graduação, que ocorre em ciclos de 5 anos; além de fornecer parâmetros para a formação de profissionais de maior qualificação na área específica de sua atuação.

Outros motivos que justificam a necessidade de rever a forma de avaliar o Curso de Bacharelado em Química de Alimentos, são as modificações no quadro docente, implementadas pelo REUNE, plano do Governo Federal destinado a aumentar as vagas dos Cursos Superiores (Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001, Decreto nº 6.096 de 24 de abril de 2007); as novas diretrizes das leis de estágio (Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008) e também a atual forma de avaliação dos Cursos Superiores adotadas pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC) (Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004).

Em vista disso, surge a necessidade da criação de um instrumento formal de participação discente no processo ensino-aprendizagem, como forma de buscar subsídios que possam ser trabalhados para a melhoria da formação profissional, para a adequação de disciplinas, conteúdos programáticos e desempenho/ postura de docentes no curso de Química de alimentos.

Metodologia

Etapas da Avaliação

O projeto desenvolver-se-á em quatro etapas: sensibilização da comunidade do Curso, implementação da avaliação, consolidação e divulgação de resultados e tomada de providências.

A sensibilização da comunidade do Curso, embora didaticamente definida como a primeira etapa, se estende por todo processo de avaliação, de modo a desenvolver e consolidar a cultura avaliativa.

Na segunda etapa o instrumento-padrão será aplicado ao final de cada semestre letivo aos docentes e discentes do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos. Os dados colhidos servirão de indicadores para a busca de melhorias.

Na terceira etapa – consolidação e divulgação de resultados – fornecerá insumos para que o curso realize o planejamento e gestão de suas atividades. Por sua vez, as ações decorrentes deverão gerar, de modo cíclico e contínuo, uma nova avaliação.

Já a quarta, e última etapa, visa à busca por soluções aos problemas/dificuldades detectados em todos os âmbitos avaliados. O encaminhamento das questões relacionadas à estrutura do Curso será feito ao final de dois semestres letivos.

Etapa 1 - Sensibilização da comunidade do Curso
a) Apresentação dos objetivos do Projeto de Avaliação do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos, em suas diferentes etapas, aos alunos e professores.
b) Divulgação das atividades do projeto.

Etapa 2 - Implementação da Avaliação
a) Organização dos procedimentos para a aplicação dos instrumentos;
b) Estabelecimento de critérios que orientarão a análise dos resultados, tomando como referência os objetivos expressos no projeto;
c) Aplicação dos instrumentos de avaliação.

Etapa 3 – Finalização e divulgação dos resultados do processo da Avaliação
As etapas abaixo discriminadas serão desenvolvidas de modo seqüencial ou paralelo, conforme a especificidade de cada atividade e a prontidão dos participantes.
a) Realização de reuniões, para analisar os resultados da avaliação
b) Divulgação dos resultados das avaliações para a comunidade do Curso;
c) Extração dos indicativos para tomada de decisão a partir da análise dos resultados;
d) Criação de condições para que a avaliação esteja permanentemente integrada na
dinâmica institucional.

Etapa 4 – Tomada de providências baseadas nos resultados da avaliação
a) Realização de reuniões com os docentes para discutir os rumos das práticas pedagógicas;
b) Proposição das alterações cabíveis;
c) Repasse dos resultados às instâncias superiores da UFPel e solicitação de apoio para realizar as melhorias.

Resultados Esperados

A análise destes parâmetros, em conjunto permitirá que se tracem metas de melhoria continuada em função dos acertos e das necessidades/deficiências apontadas, bem como das necessidades de atuação do profissional a ser formado.

Espera-se como impacto positivo a integração dos alunos no processo de construção do Projeto Pedagógico do Curso; o aprimoramento das práticas pedagógicas; o melhor aproveitamento dos recursos humanos e estruturais do Curso, proporcionando maior satisfação discente; melhorias nas disciplinas e na atuação dos docentes a fim de minimizar as dificuldades encontradas por estes.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANGELITA DA SILVEIRA MOREIRA121/12/201515/12/2017
CARLA ROSANE BARBOZA MENDONCA221/12/201515/12/2017
CAROLINE DELLINGHAUSEN BORGES121/12/201515/12/2017
CAROLINE PEIXOTO BASTOS121/12/201515/12/2017
EDUARDA CAETANO PEIXOTO221/12/201515/12/2017
ELIEZER AVILA GANDRA221/12/201515/12/2017
FABRIZIO DA FONSECA BARBOSA121/12/201515/12/2017
FRANCINE NOVACK VICTORIA121/12/201515/12/2017
JOSIANE FREITAS CHIM221/12/201515/12/2017
LAURA BORBA VILANOVA221/12/201515/12/2017
MARCIA AROCHA GULARTE121/12/201515/12/2017
MIRIAN RIBEIRO GALVAO MACHADO121/12/201515/12/2017
NADIA CARBONERA121/12/201515/12/2017
PAULO RENATO BUCHWEITZ121/12/201515/12/2017
RENATA PIRES DA SILVEIRA221/12/201515/12/2017
ROSANE DA SILVA RODRIGUES121/12/201515/12/2017
RUI CARLOS ZAMBIAZI121/12/201515/12/2017
TATIANA VALESCA RODRIGUEZ ALICIEO321/12/201515/12/2017
VALDECIR CARLOS FERRI121/12/201515/12/2017

Página gerada em 18/07/2019 11:08:34 (consulta levou 0.047026s)