Program Name / Conceitos (*)
Level / Degree
Undergraduate / Licenciatura
Modalidade
Presencial
Turno
NOTURNO
Código UFPel
8400
Código e-MEC
1610044
Unidade
Coordenador
ACLB_EPLB_PCDLB_PPILB_QLI_EPLI_PCDLI_PPILI_QVRTotal
Letras Libras/Literatura Surda - 2024/11111111111625
NOTA DO ENEM 2024/1 11
ACL01L02L05L06L09L10L13L14Total
PAVE 2024/11111111119
ACLB_EPLB_PCDLB_PPILB_QLI_EPLI_PCDLI_PPILI_QTotal
SISU 2024/1111115
Criação e Reconhecimento
RESOLUÇÃO Nº 73, DE 06 DE JULHO DE 2022

Contextualization

Objectives

Com base na Política Institucional da UFPel e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação inicial em nível superior e para a formação continuada (Resolução CNE/CP n° 2, de 01 de julho de 2015), os objetivos do Curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda são: 
Objetivos gerais:
● Preparar os estudantes para as funções do magistério na Educação Básica nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio e modalidades – Educação de Jovens e Adultos, Educação Especial, Educação Profissional e Técnica de Nível Médio, Educação Escolar Indígena, Educação do Campo, Educação Escolar Quilombola, Educação a Distância e Educação Bilíngue, considerando-se as habilidades específicas da formação na área de Linguagens, especialmente Língua Brasileira de Sinais e Literatura Surda.
● Contribuir para o desenvolvimento de habilidades relacionadas à gestão educacional dos sistemas de ensino e das unidades escolares de Educação Básica, levando em consideração a relação entre escola e sociedade e, assim, assegurando o direito das crianças, jovens e adultos à educação de qualidade, com bases científicas e técnicas sólidas.
● Formar profissionais do magistério para a Educação Básica que contribuam para a consolidação de uma nação soberana, democrática, justa e inclusiva, a fim de promover a emancipação dos sujeitos e dos grupos sociais, o respeito e a valorização da diversidade e o pleno exercício da cidadania.
● Promover a inserção dos estudantes na rede básica de educação, a fim de que possam colocar em prática as habilidades adquiridas e conhecer a realidade educacional da região.
● Proporcionar ao aluno uma formação linguística, pedagógica e literária que o capacite para atuar desde a Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio até os cursos livres, ensino técnico e superior.
● Contribuir, através do ensino, da pesquisa e da extensão, para o desenvolvimento dos estudos linguísticos e literários, bem como da metodologia relacionada com o ensino de línguas e literaturas.

Objetivos específicos:
● Reconhecer a realidade social e escolar da educação básica na região.
● Interagir, de forma crítica, com o ambiente escolar da rede pública de ensino.
● Ampliar o conhecimento da língua brasileira de sinais e da capacidade comunicativa.
● Desenvolver a capacidade no que diz respeito às questões socioambientais, éticas, estéticas e relativas à diversidade étnico-racial, de gênero, sexual, religiosa, de faixa geracional e sociocultural.
● Preparar os estudantes para o ensino de Língua Brasileira de Sinais e Literatura Surda para a Educação Escolar Indígena, para a Educação do Campo e para a Educação Escolar Quilombola.
● Capacitar o aluno para que possa lidar, de forma crítica, com as linguagens, especialmente a sinalizada, nos diferentes contextos.
● Conscientizar o aluno acerca da sua inserção na sociedade e do papel sociopolítico do professor de língua(s) e de literatura(s).
● Possibilitar ao aluno o domínio estrutural e funcional da língua estudada, nas suas manifestações linguísticas, em termos de recepção e produção de
textos.
● Conscientizar o aluno da existência de variedades linguísticas e culturais do idioma.
● Despertar a consciência sobre a inter-relação entre os fatos histórico-sociais, socioculturais e as manifestações literárias, ampliando assim sua visão de mundo.
● Estimular a reflexão teórica sobre as diferentes concepções de linguagem e os seus usos, bem como sobre a literatura enquanto forma de expressão cultural, artística e ideológica.
● Propiciar o uso de novas tecnologias relacionadas ao ensino. 
● Fazer com que o aluno assuma sua formação acadêmico-profissional como processo contínuo, autônomo e permanente.
● Motivar o aluno a participar de projetos que articulem ensino, pesquisa e extensão.

Egress Profile

Competencies and abilities

A seguir são listadas as competências que se espera ver ampliadas e reconhecidas no Licenciado em Letras LIBRAS/Literatura Surda:
● Conhecimento teórico-prático para exercer a função docente na realidade educacional brasileira, nos variados níveis e modalidades de ensino;
● Formação ética e crítica que permita ao educando analisar e vivenciar a educação multicultural, a partir de uma compreensão pluralista da realidade sociocultural;
● Formação para promover orientações curriculares e sobre práticas de ensino da Língua Brasileira de Sinais como primeira e segunda língua e da Literatura Surda;
● Domínio dos princípios didático-metodológicos de ensino de línguas e literatura, que fundamentam atividades levadas à sala de aula, formas de avaliação e planejamento de curso;
● Reconhecer e saber lidar com a diversidade linguística, étnico-racial, de gênero, sexual, sociocultural etc. com a qual se deparará no ambiente de sala de aula.

Inter-relacionando com essas competências, pode-se pensar nestas habilidades:
a) analisar e utilizar de forma reflexiva e crítica de materiais didáticos e paradidáticos;
b) utilizar multimeios como recursos didáticos;
c) executar planos de ação interdisciplinar para resolver problemas ainda não enfrentados.
d) desenvolver pesquisa nas áreas de letras, linguística e literatura, no âmbito dos diversos níveis de ensino e outros contextos;
f) refletir acerca das políticas educacionais vigentes no país;
n) aplicar teorias linguísticas à análise dos diversos níveis da Língua Brasileira de Sinais;
g) analisar obras representativas da Literatura Surda e estabelecimento de relações extratextuais com outros códigos e discursos, tendo em vista que estudos literários e
linguísticos são indissociáveis e que a língua representa a dimensão histórica e ideológica da literatura;
h) ser capaz de atuar na gestão escolar.

Study plan

Procedures and methodologies

Parte-se, aqui, do princípio de que a formação do licenciando deve acontecer com base em um trabalho de construção da autonomia (FREIRE, 1996), que articule teoria e prática. Sendo assim, o curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda se estrutura em uma proposta metodológica que compreende a formação como um processo contínuo, que envolve docentes, discentes e comunidade em geral, processo esse que nega veementemente a formação como sendo uma atividade de mera transmissão de conhecimentos e de conteúdos. Dessa forma, o Colegiado do Curso e o Núcleo Docente Estruturante mantém uma avaliação referente à atualização do conhecimento voltado para a formação do profissional da área, oportunizando aos alunos acesso a projetos de ensino, pesquisa e extensão, laboratórios e convênios que complementam a previsão formativa inicial.
Por se entender a formação como uma experiência alicerçada na relação teoria/prática, que visa à autonomia do professor em formação, julga-se necessário levar o aluno a desenvolver uma postura ativa e investigativa diante do conhecimento, o que coloca a dimensão da pesquisa no centro da formação. Muito mais do que aprender teoria para depois colocá-la em prática, entende-se que a pesquisa deve ser prática permanente e intrínseca ao processo de ensino e de aprendizagem, atravessando todos os momentos do processo formativo.
Além disso, é necessário também problematizar a prática a partir da realidade cotidiana vivida pelo professor. É justamente no processo de formação que são elencadas questões teóricas, possibilitando uma reflexão sobre o senso comum, alcançando-se, assim, uma postura teórico/reflexiva sobre a realidade, a fim de modificá-la.
Com base nesses pressupostos, compreende-se que a formação não acontece somente nas aulas de caráter presencial, sendo crucial que os discentes se engajem em projetos de pesquisa e de extensão, que sejam instigados a desenvolver leituras que aprofundem seus conhecimentos a partir de problemas que possam surgir nos diversos momentos de sua formação, visando, assim, ao alcance de sua autonomia como profissionais em formação. 
Nesse sentido, os conteúdos são desenvolvidos por meio de diferentes estratégias de aprendizagens, a fim de tornar o processo de ensino e aprendizagem acessível a todos. Além disso, há um contínuo acompanhamento das atividades, as quais buscam respeitar a autonomia do discente. Enfatiza-se que os recursos e materiais didáticos são acessados nos laboratórios do Centro de Letras e Comunicação e nas bibliotecas da universidade, além dos equipamentos disponíveis nas salas de aula, tais como
computadores, projetores, telas interativas, aparelhos de som e de televisão, câmeras e gravadores de áudio, rede wifi, entre outros. 
Há que se ressaltar que devido às especificidades comunicativas dos alunos e professores surdos, bem como dos alunos e professores ouvintes do Curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda, as metodologias, os recursos e os materiais didáticos a serem utilizados no desenvolvimento dos componentes curriculares terão que levar tais especificidades em consideração, promovendo o acesso linguístico a todos.

Evaluation of teaching and learning

A avaliação dos componentes curriculares obedece ao Regulamento de Ensino da UFPel e ao Regimento Geral na sua concepção mais ampla, sendo que os planos de ensino de cada disciplina são elaborados pelos professores, respeitando sua autonomia profissional, discutidos e aprovados pelas áreas acadêmicas e pelo Colegiado do Curso. Este planejamento apresenta, de forma clara, as metodologias de trabalho e as formas de avaliação adequadas à natureza heterogênea dos componentes curriculares. Além disso, esse planejamento é discutido junto às turmas na primeira semana de aula, visando possíveis ajustes e adequações às necessidades específicas de cada grupo de trabalho.
Concebe-se o processo de ensino-aprendizagem como complexo e contínuo, o qual deve vincular a teoria à prática e a educação ao ensino, além de considerar aspectos éticos, sociais, psicológicos, filosóficos e políticos. Partindo dessa compreensão, os instrumentos de avaliação desse processo também são percebidos como contínuos e complexos. 
As práticas avaliativas visam a diagnosticar os avanços e a detectar as dificuldades, para levar o discente a superar problemas e obstáculos nos processos de assimilação, construção e aplicação de conhecimentos, bem como no desenvolvimento das competências, habilidades, atitudes e posturas que promovam a inclusão social. Em outras palavras, as práticas avaliativas visam a diagnosticar “o saber, o saber fazer e o saber ser”, para promover o exercício consciente e competente da profissão de professor e da cidadania (BARROS, 2010, p. 12). Com vistas ao acompanhamento do aluno e a fim de proporcionar a superação de dificuldades de aprendizagem vivenciadas pelo estudante ao longo da trajetória acadêmica, a UFPel, a partir da Resolução n°. 06 de 18 de abril de 2013, normatiza o Núcleo Docente Estruturante dos Cursos de Graduação. Tal núcleo tem o papel de acompanhar, propor e organizar o processo de elaboração do PPC do curso, bem como acompanhar e apoiar os processos de avaliação e regulação do Curso.
No que concerne ao suporte e apoio dados aos docentes do curso, a UFPel conta com a Coordenação de Interlocução Pedagógica, que objetiva oferecer suporte aos docentes no que diz respeito à atualização permanente de suas práticas pedagógicas, atuando também no suporte e na mediação pedagógica das questões que dizem respeito ao Colegiado de Curso As avaliações são diversificadas e fundamentadas em critérios flexíveis às especificidades das diferentes disciplinas e áreas de conhecimento. Entre outros aspectos, visam a identificar interesses, aptidões, traços de personalidade e graus de envolvimento, para facilitar a aprendizagem e a aplicação dos conhecimentos através de atividades de ensino, pesquisa e extensão. As avaliações do processo ensino-aprendizagem seguirão o disposto no Capítulo V do Regulamento do Ensino de Graduação da UFPel. Acrescenta-se ainda que será considerado aprovado o aluno que, com pelo menos 75% de presenças na disciplina, obtiver média 7,0, resultado da soma e divisão pelo número de avaliações presenciais (no mínimo 2 e com o mesmo peso) realizadas durante o semestre e cujo peso
será estabelecido pelo professor da disciplina. O aluno que não frequentar no mínimo 75% da disciplina será considerado reprovado, independentemente da média obtida. Aquele que tiver a frequência mínima e atingir a média entre 3,0 e 6,9 poderá prestar exame, que consistirá na realização de uma prova (peso dez) sobre o conteúdo desenvolvido no semestre. A nota do exame será somada à nota final do semestre e dividida por 2. O resultado para aprovação deverá ser igual ou superior a 5.
O docente apresenta à turma no início do período letivo os instrumentos, critérios e conceitos de avaliação, conforme o plano de ensino. Além disso, discute os resultados de cada avaliação parcial antes do próximo processo avaliativo, conforme o estipulado no artigo 67 do regulamento do ensino de graduação da UFPel. Como exemplo de possíveis avaliações, é possível citar os seminários, os fóruns de discussão, as provas, as resenhas, os trabalhos de pesquisa e de campo, os fichamentos, os trabalhos escritos, etc. A avaliação do Estágio Supervisionado ocorre por meio das observações realizadas pelo docente em diálogo com o professor supervisor da escola (que preenche uma ficha de avaliação que virá a integrar o relatório final), além do relatório que o aluno produz do processo de estágio. Já a avaliação do TCC acontece durante o desenvolvimento da escrita do artigo, bem como pelo próprio artigo produzido pelo aluno.
O objetivo central dos processos de avaliação consiste na formação acadêmica e cidadã do discente, visando a sua emancipação social e profissional, a partir de reflexões sobre as práticas pedagógicas e o significado social do trabalho docente, levando-o a tomar decisões e a buscar alternativas, para atender às necessidades dos diferentes contextos socioculturais e educacionais. 
Os procedimentos de acompanhamento e de avaliação adotados permitem o desenvolvimento e a autonomia do discente de forma contínua e efetiva, e resultam em informações sistematizadas e disponibilizadas aos estudantes, com mecanismos que garantam sua natureza formativa, sendo adotadas ações concretas para a melhoria da aprendizagem em função das avaliações realizadas. Essas ações são realizadas no âmbito da disciplina, do Colegiado do Curso e do Conselho do Centro de Letras e Comunicação. 
A avaliação no Curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda tem um caráter permanente e fundamenta-se nos planos de ensino e nas práticas sociais e pedagógicas dos professores, cujo papel é facilitar e mediar a aprendizagem e estimular o discente a desenvolver seus próprios meios de assimilação e aprendizagem. Parte-se do entendimento de que a avaliação da docência no ensino superior envolve questões éticas, ideológicas, políticas, culturais, didático-pedagógicas e técnicas. Além disso, deve voltar-se para o que a sociedade espera do futuro professorado e da educação institucionalizada, que deve acompanhar as constantes mudanças políticas, sociais e mercadológicas. 
Conforme o Regulamento de Ensino de Graduação, a avaliação nos componentes curriculares é embasada no desempenho acadêmico obtido e na frequência (Artigo 146). Cada componente curricular possui uma forma de avaliação, acordada entre docentes e discentes, a qual consta no plano de ensino. No caso dos estágios, a avaliação é feita com base na prática docente observada pelo orientador de estágio, na apresentação do projeto de estágio e do relatório final de estágio. Quanto aos trabalhos de conclusão de cursos dos componentes curriculares de Seminário de Pesquisa, a nota final corresponderá ao texto apresentado para banca avaliadora. Ressalta-se que, de acordo com o Regulamento de Ensino de Graduação, Estágio e TCC não são passíveis de exame, sendo necessário que o aluno obtenha nota igual ou superior a 7,0 para
aprovação no componente curricular.  

Integration with research and postgraduate studies

A UFPel incentiva a promoção de uma política de formação de professores que integre ações, de modo a promover a interdisciplinaridade, a flexibilidade curricular e a mobilidade acadêmica, resguardadas as características e a autonomia de cada Unidade Acadêmica e de cada Curso. As Diretrizes Curriculares Nacionais recomendam a realização de práticas pedagógicas para o conhecimento interdisciplinar sobre o desenvolvimento de crianças, jovens e adultos, nas dimensões física, cognitiva, afetiva, cultural, estética e ética. 
O Curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda pretende manter uma integração expressiva com outros cursos do Centro de Letras e Comunicação (CLC), assim como com outros cursos da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Essa integração pode se dar por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão promovidas pelo curso e que atingem uma ampla parcela da universidade. Os alunos de outros cursos podem fazer matrícula especial em disciplinas dos cursos do Centro de Letras e Comunicação, garantindo uma ampla integração entre os diferentes cursos do Centro com outros cursos da instituição.
No que diz respeito às atividades de ensino, o Curso de Letras LIBRAS/Literatura Surda integra-se aos demais cursos do CLC e da universidade, oferecendo disciplinas que fazem parte de seus currículos obrigatórios. Cabe salientar que a Área de Libras oferece a disciplina de Libras, obrigatória a todos os cursos de Licenciatura da UFPel, além de disciplinas optativas de Libras aos demais cursos da Universidade.
Já no que diz respeito às atividades de pesquisa e extensão, cabe ressaltar que a Área de Libras desenvolve inúmeros projetos, os quais já foram citados anteriormente neste PPC, que englobarão alunos do próprio curso e de outros cursos do centro e outras unidades. Os projetos de pesquisa e extensão englobarão todas as áreas trabalhadas no curso. 
Cabe destacar aqui o projeto de Extensão em Línguas do CLC, que oferece cursos à comunidade externa à UFPel, proporcionando o aprendizado de diversos idiomas relacionados aos cursos oferecidos no CLC e oferecendo um espaço para que os alunos do próprio centro tenham a possibilidade de ministrar aulas em suas áreas de formação. 
Destaca-se ainda os projetos e ações já realizados pela Área de Libras em parceria com outras unidades, como a Faculdade de Educação e o Instituto de Física e Matemática, conforme já mencionado neste PPC.
Ganha destaque também a forte integração entre os cursos de graduação (licenciaturas e bacharelados) e de pós-graduação stricto sensu no CLC, assim como há o interesse e a possibilidade da realização de convênios para mobilidade acadêmica dos estudantes em outras instituições de ensino superior brasileiras ou estrangeiras. Esses convênios e parcerias são realizados seguindo os procedimentos previstos no Regimento da universidade.
A integração nos cursos de graduação e de pós-graduação do CLC ocorre de diversas formas, tais como:
1) Atuação de todos os professores vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL, também na graduação.
2) Inclusão de alunos da graduação nas linhas de pesquisa desenvolvidas na pós-graduação.
3) Participação de professores pesquisadores da graduação em grupos de pesquisa do CNPq liderados por professores do PPGL.
4) Organização de eventos científicos em parceria entre a graduação e a pós-graduação.

Follow-up of graduates

No curso de Letras LIBRAS/Literatura surda, o acompanhamento de egressos se dará pelo acompanhamento dos profissionais formados pelo Curso e através das informações registradas por nossos ex-alunos, identificando o índice de sucesso da instituição com base na inserção de seus egressos no mercado de trabalho.
A UFPel instituiu em 2016 uma “pesquisa do egresso” para proporcionar um diagnóstico que auxilia na identificação de potenciais melhorias nos cursos de graduação e pós-graduação. A partir do diagnóstico a ser extraído da pesquisa do egresso, é possível planejar e promover a oferta de cursos de formação continuada adequada às necessidades profissionais de cada área de atuação. A partir do Portal de Acompanhamento do Egresso () é possível ter acesso a todas essas informações.

Matriz Curricular

2º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000704EDUCAÇÃO BILÍNGUE DE SURDOSObrigatória460
20000702ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS II20000697 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IObrigatória460
20000705ESTUDOS SURDOS IObrigatória460
17360022FUND. SÓCIO-HISTÓRICO-FILOSÓFICOS DA EDUCAÇÃOObrigatória460
20000703INTRODUÇÃO À LINGUÍSTICA GERALObrigatória460

3º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000708AQUISIÇÃO E DESENVOLVIMENTO LINGUÍSTICO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAISObrigatória460
20000706ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS III20000702 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIObrigatória460
20000707ESTUDOS DA SOCIOLINGUÍSTICAObrigatória460
17360021FUNDAMENTOS PSICOLÓGICOS DA EDUCAÇÃOObrigatória460
20000709LITERATURA SURDA I20000700 - FUNDAMENTOS DOS ESTUDOS LITERÁRIOSObrigatória460

4º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000713ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IV20000706 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIIObrigatória460
20000712ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IObrigatória460
20000711FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS E LÍNGUAS DE SINAISObrigatória460
20000710LITERATURA SURDA II20000709 - LITERATURA SURDA IObrigatória460
17360108TEORIA E PRÁTICA PEDAGÓGICAObrigatória460

5º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
17350230EDUCAÇÃO BRASILEIRA: ORGANIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS (EBOPP)Obrigatória460
20000714ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS V20000713 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IVObrigatória460
20000715ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS II20000712 - ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IObrigatória460
20000716LÍNGUA PORTUGUESA COMO L2 PARA SURDOSObrigatória460
20000717LITERATURA SURDA III20000710 - LITERATURA SURDA IIObrigatória460

6º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
17360009EDUCAÇÃO INCLUSIVA: PEDAGOGIA DA DIFERENÇAObrigatória460
20000721ENSINO DA LITERATURA SURDA20000717 - LITERATURA SURDA IIIObrigatória460
20000720ESTÁGIO I - OBSERVAÇÃO EM LITERATURA SURDA20000714 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS V20000717 - LITERATURA SURDA IIIObrigatória690
20000718ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS VI20000714 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS VObrigatória460
20000719ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS III20000715 - ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIObrigatória460

7º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000722ESCRITA ACADÊMICA20000701 - PRODUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COMO L1 E COMO L2Obrigatória460
20000724ESTÁGIO II - REGÊNCIA EM LITERATURA SURDA20000720 - ESTÁGIO I - OBSERVAÇÃO EM LITERATURA SURDAObrigatória690
20000723LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS COMO L120000719 - ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIIObrigatória460
20000725METODOLOGIA DE PESQUISAObrigatória460
20000726REPRESENTAÇÃO ESCRITA REGISTRO DAS LÍNGUAS DE SINAIS IObrigatória460

8º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000729ESTÁGIO III - OBSERVAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS20000714 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS V20000717 - LITERATURA SURDA IIIObrigatória7105
20000727LIBRAS ACADÊMICA20000718 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS VIObrigatória460
20000728LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS COMO L220000719 - ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIIObrigatória460
20000730SEMINÁRIO DE PESQUISA E LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E LITERATURA SURDA I20000717 - LITERATURA SURDA III20000719 - ESTUDOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIIObrigatória8120
20000731TERMINOLOGIA E LEXICOGRAFIA DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS20000718 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS VIObrigatória460

9º Semestre

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000732ESTÁGIO IV - REGÊNCIA EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS20000729 - ESTÁGIO III - OBSERVAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAISObrigatória8120
20000733SEMINÁRIO DE PESQUISA EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E LITERATURA SURDA II20000730 - SEMINÁRIO DE PESQUISA E LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E LITERATURA SURDA IObrigatória10150

Complementares

CodeDiscipline / PrerequisitesModalityCr.Hours
20000734ATIVIDADES COMPLEMENTARESAtividade complementar14210

Turmas ofertadas em 2024 / 1

Versão do Currículo: 1293 (ATUAL)

1º Semestre

Disciplina / Professores / HoráriosTurmaVagasMatric.
20000697 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IProfessor responsável pela turma: MÁRCIO AURÉLIO FRIEDRICH
Horários
ManhãTardeNoite
QUA19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T1304
20000697 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IProfessor responsável pela turma: MÁRCIO AURÉLIO FRIEDRICH
Horários
ManhãTardeNoite
SEG19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T23025
20000699 - FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO DE SURDOSProfessor responsável pela turma: ANGELA NEDIANE DOS SANTOS
Horários
ManhãTardeNoite
TER19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
M13029
20000698 - FUNDAMENTOS DOS ESTUDOS LINGUÍSTICOS E GRAMATICAISProfessor responsável pela turma: ANTONIELLE CANTARELLI MARTINS
Horários
ManhãTardeNoite
QUI19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13029
20000700 - FUNDAMENTOS DOS ESTUDOS LITERÁRIOSProfessor Regente: FABIANO SOUTO ROSA
Professor responsável pela turma: BRUNA DA SILVA BRANCO
Horários
ManhãTardeNoite
SEX19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13029
20000701 - PRODUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COMO L1 E COMO L2Professor responsável pela turma: Rogers Rocha
Horários
ManhãTardeNoite
SEG19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T1304
20000701 - PRODUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COMO L1 E COMO L2Professor responsável pela turma: Rogers Rocha
Horários
ManhãTardeNoite
QUA19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T23025

3º Semestre

Disciplina / Professores / HoráriosTurmaVagasMatric.
20000708 - AQUISIÇÃO E DESENVOLVIMENTO LINGUÍSTICO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAISProfessor Regente: FRANCIELLE CANTARELLI MARTINS
Professor responsável pela turma: MAYARA BATAGLIN RAUGUST
Horários
ManhãTardeNoite
SEG19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
M13019
20000706 - ESTUDOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS IIIProfessor Regente: IVANA GOMES DA SILVA
Professor responsável pela turma: DANIEL LOPES ROMEU
Horários
ManhãTardeNoite
SEX19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13021
20000707 - ESTUDOS DA SOCIOLINGUÍSTICAProfessor Regente: ALINE DE CASTRO E KASTER
Professor responsável pela turma: Karina Ávila Pereira
Horários
ManhãTardeNoite
QUI19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13022
17360021 - FUNDAMENTOS PSICOLÓGICOS DA EDUCAÇÃOProfessor responsável pela turma: SANDRO FACCIN BORTOLAZZO
Horários
ManhãTardeNoite
TER19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13015
20000709 - LITERATURA SURDA IProfessor Regente: FABIANO SOUTO ROSA
Professor responsável pela turma: BRUNA DA SILVA BRANCO
Horários
ManhãTardeNoite
QUA19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
T13021

Alunos Matriculados

Name Ano de ingresso Semestre de ingresso
Ana Beatriz Reinoso Rosse20241
Andreina Silveira Milgarejo20241
CLAUDIA MARIA FURTADO GOMES 20241
Débora Gouvêa de Ávila20241
Denise de Souza Lemes Corrêa 20241
Elaine Amaral da Costa20241
Érico Durlan Garcia Galho 20241
Ester da Silva Aires20241
Eunice leite Rosa Vighi20241
Gabriela Farias de Oliveira20241
Hillary Vitoria Rodrigues Porto20241
Isabelle da Luz Obelheiro20241
Keila da Fonseca Gonçalves 20241
Lisiane Gonçalves Nizoli20241
LUANA DE OLIVEIRA KURZ20241
Luciana Pereira Barcelos20241
Marieli Silveira Pereira da Costa20241
Marilda Goulart Ribeiro20241
MARINA VITORIA GOMES20241
Mayra Gabriela de Oliveira Luiz20241
Paola Sodré da Costa 20241
RAQUEL VALIM DE OLIVEIRA20241
Ronaldo Fernandes Dias20241
Roseane Barbosa Duarte20241
Suenny Ingrid Barros Braga Azevedo20241
Thalia Alves Farias20241
Thayssa Fernanda De Oliveira Nunes20241
TUANE GOMES VASCONCELOS20241
VALENTINE COSTA SINNOTT20241
Ana Lucia Nunes Gonçalves20231
Annelise de Almeida Vetromile Lapuente dos Santos20231
ARTHUR DE CASTRO E KASTER20231
BEATRIZ DANIELCI MARASCA20231
cristiano avila bento20231
DEIVID ALLAN DA SILVA20231
DIRCEU SOUZA DE LIMA20231
Flávia da Silva Schaun20231
Guaciára Souza de Souza20231
Jennifer da Silva iordi20231
Jessica Barbosa Bederode20231
Jéssica Castro Amorim Acosta20231
Joabe Pereira Costa20231
Josiane Leal Romano20231
Julia Elizabeth Rosa de Lima20231
Natália Vieira Pereira20231
Priscila da Silva Avila20231
ROSA ELAINE GREQUE TAVARES20231
Sandra Regina da Silva20231
Sthefanie de Melo Swensson20231
TAIANA DOS SANTOS CASTRO20231
THERENA DA LUZ OBELHEIRO20231
Vanice Afonso Rodrigues 20231

Alunos Egressos

Name Ano de ingresso Ano de conclusão

(*) Conceitos de curso:

(**) Formas de ingresso:

ACAmpla concorrência
LB_EPCandidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_PCDCandidatos com deficiência, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_PPICandidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_QCandidatos autodeclarados quilombolas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_EPCandidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_PCDCandidatos com deficiência, independentemente da renda, que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_PPICandidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, independentemente da renda, que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_QCandidatos autodeclarados quilombolas, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
VRVaga reservada
ACAmpla concorrência
L01Candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L02Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L05Candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L06Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L09Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L10Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
L13Candidatos com deficiência que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L14Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
ACAmpla concorrência
LB_EPCandidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_PCDCandidatos com deficiência, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_PPICandidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LB_QCandidatos autodeclarados quilombolas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_EPCandidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_PCDCandidatos com deficiência, independentemente da renda, que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_PPICandidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, independentemente da renda, que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
LI_QCandidatos autodeclarados quilombolas, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

Location and contacts

Page generated on 2024-04-20 07:26:36 (query took 0.251996s)