Nome do Projeto
Diálogos e vivências em química de alimentos
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/06/2017 - 31/05/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Tecnologia e Produção
Linha de Extensão
Segurança alimentar e nutricional
Resumo
Considerando que a educação superior não deve ser focada apenas em formar recursos técnicos para o trabalho, mas também formar cidadãos com espírito crítico e que na sua área de ação possuam um viés social, objetiva-se propiciar diálogos e vivências reflexivas e aplicáveis, com base em conhecimentos técnicos e tradicionais, entre acadêmicos e professores da área de química de alimentos e a comunidade externa sobre temas tradicionais, atuais e recorrentes ligados à área de alimentos. O projeto consiste de experenciação e vivência pelos acadêmicos de atividades que envolvam sua área de atuação junto à comunidade, com atividades onde ocorrerão apresentações de mídias, palestras, reuniões temáticas e ou cursos e oficinas sobre temas ligados à atuação profissional do químico de alimentos, incluindo ética, cidadania, inovação tecnológica e demais aspectos cotidianos relacionados à demanda, qualidade e utilização de alimentos, levando em conta aspectos técnicos e também sócio-econômico-culturais relacionados aos alimentos. Cada atividade(s) será seguida de um espaço temporal para discussões e reflexões dos participantes sobre o tema abordado e ou atividade desenvolvida. O projeto tem como público alvo principal alunos da rede de ensino da cidade de Pelotas e outras cidades onde se faça possível, além de grupos populacionais/comunidades/associações que apresentem demanda para discussões e vivências nesta área.

Objetivo Geral

Propiciar diálogos e vivências reflexivas e aplicáveis, com base em conhecimentos técnicos e tradicionais, entre acadêmicos, professores e comunidade externa sobre temas tradicionais, atuais e recorrentes ligados à área de alimentos.

Justificativa

A área de alimentos apresenta constante crescimento no Brasil e no mundo e em função disso surgem demandas específicas por profissionais para atuar nesta área. O curso de Bacharelado em Química de Alimentos visa formar profissionais éticos, atuantes, socialmente justos e comprometidos com o desenvolvimento sustentável e que ao mesmo tempo atendam às demandas atuais no setor alimentício como uso de tecnologias limpas, desenvolvimento de produtos sustentáveis, com apelo nutricional e funcional, embalagens inteligentes, entre outros aspectos de qualidade e seguridade. Este projeto visa propiciar espaços para o aprofundamento de temas que não são totalmente explorados nas grades curriculares deste curso, como ética profissional, cidadania, relações humanas no trabalho e o cotidiano do profissional desta área. Além disto, atualmente na área de alimentos surgem inovações tecnológicas muito rapidamente, tornando difícil o conhecimento e acompanhamento de todas estas tecnologias nas disciplinas dos cursos. Assim, este espaço permitirá também o conhecimento e discussão destas novas tecnologias bem como a reflexão sobre as consequências para a sociedade das tecnologias atualmente utilizadas. Neste sentido, considera-se que a educação superior não deve ser focada apenas em formar recursos técnicos para o trabalho, mas também formar cidadãos com espírito crítico e que na sua área de ação possuam um viés social. Isso pode ser mais bem traçado através da possibilidade de experenciação e vivência pelos acadêmicos de atividades que envolvam sua área de atuação junto à comunidade. As discussões e atualizações acerca do tema “alimentos” não deve ficar restrita à academia, mas compartilhada com a comunidade externa, promovendo a troca de saberes e de conhecimentos também culturais. Prevê-se então a divulgação das atividades do curso e dos conhecimentos supracitados para a comunidade externa, particularmente alunos do ensino fundamental e médio onde é sabido que a possibilidade de formar multiplicadores é mais evidente, e comunidades onde seja identificada demanda, através da promoção de atividades educativas, elucidativas e interativas sobre a temática alimentos no âmbito deste profissional. Neste contexto, com foco na formação de profissionais diferenciados da área de alimentos capazes de contribuir efetivamente para o desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida da população, se justifica a execução deste projeto.

Metodologia

Prevê-se a realização de no mínimo 20 vivências (reunião/encontro/oficina/curso) no período de 48 meses. Estas vivências consistirão de reuniões temáticas acerca de um item/aspecto atual ou recorrente na área de alimentos, divulgação do curso para a comunidade externa à UFPel através de palestras em escolas e comunidades acerca da atuação profissional e de temáticas de interesse coletivo na área de alimentos, realização de oficinas sobre higiene, manipulação, conservação, embalagem ou outro aspecto de garantia de uso e escolha de alimentos e melhor aproveitamento dos mesmos, diálogos acerca do andamento de pesquisas desenvolvidas na área e seu reflexo para o consumo saudável de alimentos, explanação elucidativa e desmistificadora do papel e das consequências dos novos alimentos e tecnologias no cotidiano, reflexões sobre aspectos sócio-economico-culturais como referência na demanda e utilização de alimentos e formulação de novos produtos.

Indicadores, Metas e Resultados

Os indicadores de atingimento dos objetivos e ou necessidade de adequação serão baseados em avaliações, as quais serão realizadas através de questionários individuais aplicados a cada encontro, onde todos os presentes ao final da atividade, através de respostas objetivas, avaliarão três tópicos: relevância do tema abordado, metodologia de abordagem do tema na reunião/encontro/oficina, aproveitamento/entendimento das informações obtidas neste tema, interrelação. Em todos os encontros será verificada a frequência dos participantes através de uma lista de presença sendo emitido certificado de participação de acordo ao número de encontros em que o assistente se fizer presente. Em intervalos de 6 meses, a equipe proponente discutirá os resultados alcançados em função dos dados das fichas e do interesse demonstrado pelo nível de participação nos encontros, propondo possíveis modificações ou alterações na sua sistemática.
Tem-se como metas o envolvimento de um número expressivo de acadêmicos do curso nas atividades junto à comunidade e, da mesma forma, com setores da comunidade.
Os principais resultados esperados referem-se à complementação da formação profissional e social dos acadêmicos em química de alimentos e a conscientização de alguns setores da comunidade externa acerca das temáticas atuais na área de alimentos relativamente ao uso adequado e racional de alimentos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA ELIS BRUINSMA
AMANDA PETER PEREIRA
ANDREY CONRADO RÜHLING MILCZARSKI
ANGELITA DA SILVEIRA MOREIRA16
Ana Claudia Barneche de Oliveira
BRENDA PAZ DOMINGUES
BRUNA CARDOZO BARBOSA
CAMILA DE OLIVEIRA PACHECO
CAROLINE PEIXOTO BASTOS
DAIANE CARRET DIAS RODRIGUES
DANIEL LEVY FILHO
DARLAN GUTIERES KRUMREICH BARTZ
DIEGO ARAUJO DA COSTA
ELIANE LEMKE FIGUEIREDO
FABRIZIO DA FONSECA BARBOSA
FERNANDO LUIZ HORN
GABRIEL LUCAS PAIL
GERÔNIMO GOULART REYES BARBOSA
GUILHERME MIRANDA OLIVEIRA
IZADORA ALMEIDA PEREZ
JENNIFER FERREIRA RIBEIRO SARAIVA
JOSIANE FREITAS CHIM19
JULIA TORRES CAVALHEIRO
JULIA TORRES RAMALHO
KENNIA MENDES PRIETSCH
LARISSA RIBERÁS SILVEIRA
LAURA BORBA VILANOVA
LAYLA DAME MACEDO
LIANE SLAWSKI SOARES
LIDIANE Moreira Chiattoni
LUCAS SIEBRA DE CARVALHO
Latoya Bonfim de Brum
MARCIO SCHMIELE
MARIA EDUARDA RIBEIRO DA ROCHA
MARIANE IGANSI ALVES
MIRIAN RIBEIRO GALVAO MACHADO24
NATHALIA FEIRA RODRIGUES
NELISA LAMAS DE SOUZA
PAULA ARAÚJO RIBEIRO
PAULA VERGARA DA SILVA
PEDRO FERNANDES VIANA
REBECA CAMARGO PORTO
ROSANE DA SILVA RODRIGUES26
TATIANE KUKA VALENTE GANDRA
THAUANA HEBERLE
VALERIA DA SILVA SANTOS
VICENTE GOMES WIETH
YURI MARQUES LEIVAS

Página gerada em 28/11/2020 21:58:47 (consulta levou 0.157517s)