Nome do Projeto
Círculo de Estudos das Práticas Antirracistas - CEPRANTI
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
08/02/2024 - 26/02/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Comunicação estratégica
Resumo
O Círculo de Estudos das Práticas Antirracistas é um projeto de extensão universitária que surge da recente experiência da equipe do Núcleo Psicopedagógico de Apoio ao Discente (NUPADI/CP/PRAE). No ano de 2023, a equipe se integrou em uma série de encontros conduzidos pela pedagoga Josy Dias Anacleto durante os quais foram realizados estudos e diálogos sobre as diversas temáticas englobadas pela questão do racismo, promovendo inicialmente o Letramento Racial do grupo e, posteriormente, aprofundando na temática da educação antirracista. Com o objetivo de oportunizar a formação em educação antirracista para outros servidores, foram promovidos, ainda em 2023, dois encontros: O I Encontro de Formação Antirracista na Prae e um encontro na mesma modalidade com a equipe da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. Em novembro do mesmo ano, a pedagoga Josy Dias Anacleto foi convidada para participar de uma palestra no Evento “Falas e Vivências- Mês da Consciência Negra”, com o tema “Os primeiros passos no letramento racial”, na Escola Estadual de Ensino Médio Coronel Pedro Osório. A partir desses encontros e reflexões em torno do papel dos técnico-administrativos em educação na emergência de uma educação antirracista, foi criado esse projeto que visa amplificar os estudos dessa temática para outras unidades organizacionais da Universidade, comunidade local e profissionais da rede pública de ensino, ação que se refletirá na promoção de espaços e serviços de atendimento mais qualificados e acolhedores para os estudantes da Ufpel e da rede pública de ensino.

Objetivo Geral

Promover e difundir a cultura negra e as práticas antirracistas para a população em geral e comunidade universitária da Ufpel.
Vivenciar os aspectos regionais e locais da cultura negra, estreitando laços entre a comunidade universitária (estudantes, técnicos administrativos e docentes) e comunidade regional do entorno, por meio da integração das iniciativas já existentes na PRAE e outros projetos institucionais, bem como as possíveis parcerias com a secretaria de educação e movimentos sociais, tais como, o Movimento Negro Unificado.
Ampliar os recursos para um atendimento mais acolhedor e antirracista tanto para os alunos da rede pública de ensino quanto para os alunos da Ufpel, por meio da qualificação em Letramento Racial, palestras e atividades correlatas que possam fomentar reflexões pertinentes ao contexto de formação dos servidores e integração com a comunidade a partir das perspectivas da cultura negra.

Justificativa

A Lei de Cotas para o ingresso no Ensino Superior, inicialmente estabelecida pela LEI Nº 12.711, DE 29 DE AGOSTO DE 2012 e recentemente ratificada pela LEI Nº 14.723, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2023, promoveu o acesso à matrícula nos cursos de graduação e pós-graduação a grupos que estiveram historicamente excluídos desses níveis de ensino. Apesar da diversificação do público estudantil que se observa desde então, no âmbito dos acolhimentos psicopedagógicos, são reincidentes os relatos de sofrimentos provocados por condutas racistas de profissionais da educação.
A notória persistência dessas condutas discriminatórias, que ainda se preservam no amparo da estrutura organizacional da instituição, impactam diretamente no desempenho acadêmico e na saúde mental dos estudantes negros. Essa constatação se dá a partir das reflexões sobre as vivências do servidor técnico-administrativo em seu mister cotidiano e faz ressaltar a necessidade das instituições adotarem uma abordagem proativa no combate ao racismo e na promoção da igualdade racial em todos os aspectos que permeiam a vida acadêmica de seus bolsistas e demais estudantes.
Entende-se relevante, neste contexto, a realização de estudos e formações em práticas antirracistas entre os servidores da Prae/UFPel, que atuam diretamente no acolhimento psicopedagógico dos estudantes, e a multiplicação desses estudos para outras unidades da instituição, comunidade do entorno e para profissionais da rede pública de ensino.

Metodologia

Para execução do projeto serão combinadas as metodologias de grupo de estudos, exposições, mural informativo, palestras, rodas de conversa e sala de apoio pedagógico, da seguinte forma:

- Grupo de estudos de 60 minutos semanais, entre a equipe do NUPADI, sobre as temáticas de combate ao racismo, conhecimento da cultura negra em uma perspectiva descolonial, bem como a produção de material expositivo acerca desses temas;
- Exposições do material produzido pelo grupo de estudo. As exposições deverão ocorrer de maneira itinerante pelos campi da UFPel;
- Confecção de mural informativo para divulgação de escritores negros com link para repositórios que disponibilizam conteúdos gratuitos;
- Realização de encontros formativos com todos os servidores da Prae com o propósito de realizar a formação em práticas antirracistas desses servidores;
- Realização de palestras e/ou rodas de conversa, a depender do tamanho do grupo, para a abordar a temática da educação antirracista nas unidades acadêmicas e administrativas da UFPel;
- Realização de palestras e/ou rodas de conversa, a depender do tamanho do grupo, para promover a formação em práticas antirracistas entre os profissionais da rede pública de ensino;
- Oferta semanal de uma sala de apoio pedagógico, a Sala das Pretas, com o objetivo de fazer o acolhimento de estudantes pretas e pardas.

Indicadores, Metas e Resultados

- Ampliação do número de servidores da UFPel com formação em práticas antirracistas;
- Ampliação da gama de conhecimento sobre a cultura negra, na perspectiva descolonial, dos servidores, da comunidade do entorno e dos profissionais de educação da rede pública de ensino participantes das atividades;
- Construção, execução e avaliação da primeira atividade de formação antirracista voltada para os profissionais da rede pública de ensino;
- Identificação de melhorias no atendimento/acolhimento dos estudantes da UFPel;
- Consolidação da Sala das Pretas como espaço de escuta e acolhimento de estudantes negras;
- Montagem de uma exposição itinerante;
- Confecção de um mural informativo.

Página gerada em 25/05/2024 17:42:06 (consulta levou 0.241064s)